Assoeva tem apenas três vitórias em casa na Liga Gaúcha

Publicado em 10/08/2017 às 11h26

Todo mundo se Normalmente se ganha um número maior de jogos em casa em relação a condição de visitante. Normalmente sim. Não para a Assoeva/Unisc/ALM em se tratando de Liga Gaúcha (Estadual) 2017. Equipe tem 14 jogos na competição - sete em casa e sete fora. Na condição de visitante, por incrível que pareça, a campanha da Assoeva é muito superior. São mais de 50% de diferença entre uma e outra.

Os números. Fora de casa a Assoeva tem sete jogos com seis vitórias, uma derrota, 20 gols marcados e 13 sofridos. A campanha? 76,19%.

Na condição de mandante, a Assoeva tem três vitórias, um empate, três derrotas, 14 gols marcados e 12 sofridos. A campanha? 33,33%.

Adversários que a Assoeva venceu fora de casa estão agora no returno dando o troco dentro do Poliesportivo. É o caso da Alaf. Em Lajeado, na estreia do Estadual, a Assoeva venceu por 3 a 1. No começo do returno, a Alaf fez 3 a 2 no Poliesportivo. Na terça-feira, 8, o América, de Tapera, devolveu o 2 a 1 que sofreu em casa. Em Venâncio fez 3 a 1. O único adversário que a Assoeva venceu fora e em casa foi a lanterna ATCEL. Ainda no primeiro turno, a Assoeva, dentro de casa, perdeu a Asif, de Ibirubá, e empatou com a AES, de Sobradinho.

É uma campanha muito irregular para quem almeja chegar em primeiro lugar na fase inicial, chegar na decisão da competição e ter a vantagem de decidir toda uma temporada ao lado do seu torcedor. O fator local não tem sido decisivo para a Assoeva que fez 4 a 3 na ACBF em Carlos Barbosa e perde pontos preciosos quando joga em casa. Uma campanha digna de 'montanha russa'.

Contra o América a Assoeva perdeu por 3 a 1 em ao menos dois erros do goleiro Deividi que conforme comentários de alguns torcedores, foram 'gols de doer'. Foram conquistadas sim vitórias fora com o goleiro da Assoeva sendo o melhor em quadra. É preciso seguir trabalhando, quem sabe mais ainda para melhorar, para driblar a fase ruim, para voltar a fechar o gol, para voltar a vencer como mandante e principalmente, para voltar a passar aquela confiança necessária à todos (principalmente colegas de equipe).

"Temos cometidos erros coletivos e outros individuais. É preciso uma maior atenção, uma melhora em tudo porque isso pode custar caro pra gente mais adiante", declarou o pivô Caio Júnior, no sábado, 5, após a derrota para a ACBF, no clássico gaúcho, pela Liga Futsal.

O camisa 99 bateu na mesma tecla quanto aos erros após o jogo na terça-feira, contra o representante de Tapera. "A fase voltou a ficar em baixa. Pra que todos saibam, aqui todos trabalham e muito. Algumas coisas tem que mudar. Enquanto que a gente não assumir um pouco as coisas, colocar a cara no jogo, não vamos chegar a lugar nenhum. Se continuarmos assim vai ser mais um ano jogado fora".

As declarações são fortes mas num todo o grupo da Assoeva sabe onde errou, sabe principalmente onde tem que melhorar. O sistema defensivo ficou devendo na terça-feira. O torcedor vaiou o time após o jogo. Vianei Hammes, vice-presidente do clube, desceu as escadas do Poli durante o jogo e foi até a comissão técnica cobrar uma melhor postura de todos. Sobrou até para o capitão Boni pois é quem deve responder pela equipe na condição de capitão.

Procedem algumas reclamações quanto a arbitragem dos dois últimos jogos mas o que não pode acontecer é uma expulsão como do preparador físico Eduardo Coelho (contra o América). A equipe simplesmente se desestruturou em quadra após o lance. Pra fechar, levou o terceiro gol da forma como foi. Pra completar a Assoeva teve goleiro linha. O adversário encaixou a marcação e assim manteve o placar até o fim.


Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e Foto: Roni Müller / Folha do Mate

voltar para Notícias - Esportes

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||