Notícias - Geral

Caciva assina convênio com a Unisc

Publicado em 16/12/2017 às 11h47

No fim da tarde dessa quinta-feira, 14, a Presidente da Câmara do Comércio, Indústria e Serviços de Venâncio Aires – Caciva, Fabiana Bergamaschi, assinou o convênio com a Universidade de Santa Cruz do Sul, pelo qual os associados (extensivo aos funcionários e dependentes) terão 30% de desconto nas mensalidades dos cursos da graduação dinâmica.

Os cursos de graduação dinâmica – Gestão Comercial, Gestão de Recursos Humanos, Logística, Marketing e Processos Gerenciais – terão duração de apenas dois anos, com aulas presenciais somente três vezes por semana. 

As inscrições podem ser feitas até o dia 3 de janeiro de 2018, pelo site www.unisc.br. A taxa é de R$ 35,00, sendo isenta ao candidato que utilizar a nota da redação do Vestibular da Unisc (2016 a 2018) ou do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem – 2010 a 2017). O Processo Seletivo ocorre no dia 13 de janeiro de 2018, às 14h30, constituído por uma prova de proficiência em Língua Portuguesa – Redação.

 

Fonte: AC Caciva
Créditos: Manoela Carvalho

Compartilhar

GF Essência da Tradição é fundado em Venâncio

Publicado em 16/12/2017 às 11h35
Grupo terá sua sede localizada na Picada Treib

Com a sigla GF, no dia 9, foi fundado em Venâncio Aires, o Grupo Folclórico Essência da Tradição, que tem como carro-chefe as modalidades individuais, voltadas às oficinas de Intérprete vocal, Chula, Declamação e a formação de casais para Dança de Salão, sem deixar de lado as Invernadas Artísticas. À frente do GF está o patrão Luzandro Hickmann e o vice. 

Com a finalidade de colocar em prática um projeto antigo, segundo o coordenador artístico Édison de Azambuja Aquino, a entidade começa a dar os primeiros passos. 'Zelar e preservar a cultura do Rio Grande do Sul, representada por suas tradições, história e folclore, tendo como primado maior a Carta de Princípios do Movimento Tradicionalista Gaúcho' estão entre os objetivos norteadores da nova entidade.

Aquino destaca que o objetivo do GF é o 'Tradicionalismo Gaúcho, acima de qualquer bandeira de Entidade'. Acrescenta, ainda, que cada um defende e representa a sua, mas no final todos são agentes da mesma causa, que significa cultivar o tradicionalismo, as raízes e essências.

 

Sede
A construção da sede, segundo Aquino, está prevista para se iniciar ainda neste ano. O projeto que vem ao encontro também dos proprietários do espaço, José Carlos Moraes e Cristiane Treib Moraes, integrantes da entidade, tem uma área de 7.500 metros quadrados, na Picada Treib, e foi cedido em sistema de comodato, por 20 anos. 'Objetivo este que com a benção do Patrão do Céu, e, com braços, cabeça e coração, de um grupo unido e forte, com certeza alcançaremos', enfatiza.

 

Início das modalidades
Declamação, coordenada por Édison Azambjuja Aquino, e realizada em sua residência, terá data a ser definida; Intérprete Vocal, será coordenada por Jorge Araújo; Chula e Invernadas Artísticas, terão a coordenação de Claudemir Lima. O início das atividades com invernadas se iniciam nesta sexta-feira, 15, a partir das 21h, no Ginásio do Parque Municipal do Chimarrão. Danças de Salão a definir. Mais informações com a patronagem.


Agora sim tudo definido, segue a caminhada. Estamos de alma e portas abertas a todos que quiserem continuar esse sonho' - Édison Azambuja Aquino - coordenador artístico

    • Presidente (Patrão): Lusandro André Hickmann
    • Vice-Presidente (Capataz Geral): Valentim Galarsa Silveira
    • 1º Secretária (1º Sota-Capataz): Cristiana Treib Moraes
    • 2º Secretária (2º Sota-Capataz): Viviane Fengler
    • 1º Tesoureiro (1º Agregado das Pilchas): José Carlos Moraes
    • 2º Tesoureiro (2º Agregado das Pilchas): Sélio Osvaldo Manzke
    • - Conselho Fiscal (Conselho de Vaqueanos): Luciano Schwengber, Gustavo Ariel Schuler, Daniel Roberto Gollmann
    • - Suplentes: Marcio Scheffer Cardoso, Ângelo Schuler, Márcio André Baierle

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Beatriz Colombelli 
Foto: Arquivo pessoal / Divulgação

Compartilhar

Natal solidário, adote uma carta

Publicado em 16/12/2017 às 11h31

Localizada na Praça da Igreja Matriz, a Casa dos Pedidos disponibiliza um espaço para que as cartas de Natal sejam expostas e adotadas. Toda noite um voluntário está presente para auxiliar as crianças e adultos que queiram fazer pedidos especiais para o período natalino. A ação é desenvolvida pela organização do “Natal Cor e Magia”.

Nas cartas é preciso ter o nome, o endereço e a idade da criança ou adulto que à escreveu, para que a entrega do presente seja feita por quem adotou a carta. Segundo a Primeira-Dama de Venâncio Aires, Cristiane Wickert, “a prefeitura também está realizando uma campanha interna, para que o máximo de cartas sejam adotadas”.

As crianças na sua maioria pedem brinquedos, mas há um grande número de cartas escritas por adultos em que pedem cestas básicas, roupas e fraldas, pois estão passando por dificuldades financeiras.

As cartas estão disponíveis na Casa dos Pedidos, onde podem ser adotadas por qualquer pessoa que queira fazer o Natal de uma família mais feliz. O espaço está montado próximo à esquina das ruas Osvaldo Aranha e General Osório, no fim do Largo do Chimarrão.

 

CORREIOS

Se na campanha realizada pela organização do Natal no centro da cidade ainda há cartinhas para serem adotadas, na campanha realizada anualmente nos Correios, todos os pedidos foram atendidos. Neste ano, a unidade de Venâncio Aires recebeu 100 cartinhas de crianças. Todas foram adotadas pela comunidade. Segundo a gerente, Denise Niedermeyer, nos últimos anos a adoção de todos os pedidos acabaram sendo concretizadas. “Trabalhamos para atender todos os pedidos que são enviados para os Correios e nos últimos cinco anos estamos garantido isso.”

Os Correios realizam a campanha há 28 anos. No Rio Grande do Sul, foram disponibilizados 84 pontos de adoção. Nos últimos três anos, foram recebidas mais de 2,5 milhões de cartas destinadas ao Papai Noel dos Correios. No Rio Grande do Sul, mais de 36 mil cartas foram disponibilizadas para adoção no ano passado.

 

Fonte: Olá Jornal

 

Compartilhar

Estado retira projeto sobre repasse da área do presídio da Assembleia Legislativa

Publicado em 16/12/2017 às 11h27

O projeto de lei do Governo Estadual para o repasse da área de quase 90 hectares da antiga Colônia Penal Agrícola de Mariante, já tramitava na Assembleia Legislativa. O repasse depende de aprovação dos deputados. Entretanto, a proposta foi retirada para ajustes no texto. Com pouco prazo, na última quarta-feira, 13, o prefeito Giovane Wickert (PSB) esteve com o governador José Ivo Sartori (PMDB), que garantiu o reenvio do projeto na próxima semana, com pedido de urgência.

Para tanto, secretários municipais e o vice-prefeito, Celso Krämer (PTB) buscam contatos diários para garantir a aprovação da transferência. Há oito anos o Govenro Municipal busca o repasse da área, que sediará um novo distrito industrial, às margens da RSC-287.

Ao longo da semana diversos projetos do tipo foram aprovados pelos deputados estaduais, inclusive o da cidade de Vacaria, que entrou na mesma data que o de Venâncio Aires. A pressa para aprovação envolve o período eleitoral de 2018. Isso porque, não podem ser votados projetos deste tipo em ano eleitoral. Desta foram, o governo local espera aprovação ainda em dezembro.

A promessa de Sartori é de encaminhar ainda na próxima semana e votação até o fim do mês. O poder público local justifica a agilidade por conta de empresas interessadas em ocupar a área.

 

Fonte: Olá Jornal

Compartilhar

Audiência pública evidencia importância de preservação do Arroio Castelhano

Publicado em 16/12/2017 às 11h19

Na propriedade de terras em Linha Sapé, seu Egon Schmidt protege uma das nascentes do CastelhanoVinte pessoas se reuniram, na noite de quinta-feira, 14, na Câmara de Vereadores, para discutir um assunto que diz respeito aos 70.481 moradores de Venâncio Aires: o Arroio Castelhano. Com 105 quilômetros de extensão, o arroio que corta o município e deságua no Rio Taquari é o principal responsável pelo abastecimento de água na cidade.

O pequeno número de pessoas que se propõe a discutir as soluções para preservar o arroio e melhor a qualidade da água, na audiência pública proposta pela Frente Parlamentar pela Sustentabilidade, contrasta com o tamanho dos desafios que envolvem a principal fonte de água de Venâncio Aires.

Indiscutivelmente, o Castelhano está doente e precisamos fazer alguma coisa por ele", Clóvis Schwertner, secretário municipal de Meio Ambiente.

Presidente do Instituto Gaúcho de Sustentabilidade (IGS), Volnei Alves Corrêa atenta para o fato de que a água que abastece Venâncio Aires não é infinita. "O Castelhano é um recurso natural que pode desaparecer, se não cuidarmos dele", alerta.

Segundo Corrêa, a proteção das nascentes, com mata ciliar, é fundamental para garantir abundância e qualidade da água. A vegetação nas margens do arroio combate o assoreamento e garante que a água das nascentes - pequenos filetes de água, que saem da terra - siga seu curso normal, nos córregos e vertentes que dão origem ao arroio.

 

Água de todos

Uma das 96 nascentes do Castelhano cruza a propriedade de oito hectares de Egon Schmidt, 74 anos, em Linha Sapé. Para chegar à vertente de água é preciso cruzar uma lavoura e enfrentar um trecho de pelo menos 80 metros de uma vegetação densa - mata virgem que protege o que, para seu Egon, é um tesouro: uma água límpida, geladinha e livre de produtos químicos. "Aqui ninguém mexe", garante.

Ao longo dos 40 anos que seu Egon e a esposa, Lires Schmidt, 71 anos, tiraram o sustento do cultivo do tabaco, sempre alugaram um pedaço de terra para plantar, para não desmatar a área da nascente. Consciente sobre a importância de respeitar o espaço da água, o agricultor não quer se desfazer da propriedade, embora já tenha recebido propostas de compra e, até hoje, nunca tenha sido recompensado financeiramente pelo trabalho.

Na propriedade de terras em Linha Sapé, seu Egon Schmidt protege uma das nascentes do Castelhano

"Sei que muitos não iriam cuidar. Tem muita gente que coloca embalagens de agrotóxico perto do arroio, lixo e animais mortos", critica. No entanto, a consciência de seu Egon sobre a responsabilidade em cuidar da nascente do Arroio Castelhano fala mais alto e honra o que já é feito, há pelo menos, três gerações. "Meu avô é falecido há quase 40 anos e ele já dizia: enquanto não secar essa vertente, não vai secar o Castelhano", conta.

Atualmente, 53 famílias da localidade são abastecidas com a água que nasce do morro, por meio da Associação Hídrica União de Linha Sapé, que já tem quase 50 anos. Além disso, seu Egon acredita que mais da metade da água 'sobre' e forme o córrego que se soma a outras nascentes e dá vida ao Arroio Castelhano. 'A água não é minha. É de todo mundo, é tudo o que temos.'

Um dos objetivos da proteção das nascentes é garantir que, com as condições naturais de vegetação nas margens, elas possam produzir mais água. Atualmente, a estimativa é de que uma estiagem de 30 dias já seria suficiente para afetar o abastecimento de água em Venâncio Aires. Cerca de 90% da água distribuída pela Corsan, no município, é oriunda do Arroio Castelhano.

 

Proteção integral: das nascentes à água que desemboca no Taquari

Projeto aprovado em agosto, na Câmara de Vereadores, tem objetivo de incentivar agricultores como seu Egon Schmidt a preservarem as nascentes do Arroio Castelhano, com a manutenção da mata ciliar. Por meio de um fundo municipal, poderão ser captados recursos da Agência Nacional de Águas (ANA) para repassar aos proprietários de terras com nascentes.

Paralelamente aos cuidados na origem do Castelhano, uma série de ações precisa ser adotada para garantir qualidade da água que abastece Venâncio Aires, incluindo o início do tratamento de esgoto e conscientização da população, para que não deposite lixo no arroio. "Precisamos lembrar também que, ao poluirmos o Castelhano, consequentemente, estamos poluindo o Rio Taquari, o Rio Guaíba e o mar", observa a vereadora Sandra Wagner.

Se o arroio está poluído é por causa de ações do passado. Mas, se continuarmos poluindo, hoje, com todas as informações que temos, será uma negligência. Temos que criar meios e caminhos para despoluir o Castelhano", Tata Haussen Oliveira, veradora.

O biólogo Fábio Vilella lembra que as projeções para o Rio Grande do Sul são de um clima cada vez mais seco, com chuvas mais espaçadas e intensas, em poucas horas. "Temos que estar preparados para isso. Água não se fabrica", destaca. "Não precisamos da água só para beber. Ela é fundamental para qualquer economia e comunidade. É um vetor de diversidade e de riqueza."

 

Curso do arroio

Umas questões discutidas na audiência pública de quinta-feira, 14, foi a alteração do leito do Arroio Castelhano, ao longo dos últimos anos. Além do assoreamento, a mudança do curso do Arroio Castelhano, realizada anos atrás, reduziu as 'curvas' do arroio, que ajudam a conter a velocidade da água, quando há volumes intensos de chuva. "Como não há tantas curvas, a água vem com muita pressão e o arroio logo transborda", explica o secretário de Meio Ambiente Clóvis Schwertner.

A presidente do Conselho Municipal do Meio Ambiente, Norma Barden, lembra que, antes da mudança do curso do leito do arroio, não havia a necessidade de realizar o desassoreamento. "Era um lugar lindo, com toda a sua biodiversidade. Não seria mais natural recuperarmos o leito do rio em vez de gastar tanto em desassoreamento?", questiona. De acordo com Schwertner, é necessário fazer um estudo técnico para avaliar a viabilidade e o custo. "Já se errou uma vez, não podemos errar de novo."

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Juliana Bencke 
Foto: Juliana Bencke / Folha do Mate

 

Compartilhar

Bom Jesus, Gaspar e Wolfram no pódio do Enem 2016

Publicado em 16/12/2017 às 11h12
Colégio Bom Jesus Nossa Senhora Aparecida apostou na preparação para o Enem e colhe os frutos, com a primeira colocação entre todas as escolas de Venâncio Aires

Foram divulgadas durante a semana informações sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016. Desta vez, contudo, quem tabulou a classificação geral das escolas não foi o Ministério da Educação (MEC), como acontecia até o ano passado, quando foram publicados os desempenhos de 2015. O MEC alega que os dados eram utilizados de forma incorreta por instituições, especialmente as privadas. Conforme o MEC, algumas chegavam a montar turmas de elite para obter resultados de destaque e fazer propaganda.

Sem os dados oficiais do Ministério da Educação, o jornal Folha de São Paulo, utilizando o mesmo mecanismo do ministério, formatou um ranking nacional do Enem por escolas. Foram excluídas as instituições com menos de dez alunos do 3º ano no exame e/ou com menos de 50% do total de seus estudantes na prova. Para análise de desempenho das redes, a Folha levou em consideração escolas com pelo menos 61 alunos de 3º ano do ensino médio e calculou a nota média com as quatro áreas da prova objetiva: linguagens, matemática, ciências da natureza e ciências humanas. Não foi levada em conta a nota da redação.

Pelo ranking da Folha de São Paulo, o Colégio Bom Jesus Nossa Senhora Aparecida, integrante da rede privada, aparece na primeira colocação entre as escolas de Venâncio Aires. Dono do 49º lugar entre as instituições gaúchas no Enem de 2015, o Bom Jesus subiu dez posições em 2016 e agora é 39º no ranking estadual. A nível nacional, aparece no 848º posto. O segundo mais bem colocado na Capital Nacional do Chimarrão é o Colégio Gaspar Silveira Martins, também particular. Conforme o levantamento, no ranking estadual a escola caiu do 43º para o 143º lugar, mas mesmo assim não perdeu o segundo posto na cidade. No Brasil, o Gaspar aparecia, no Enem 2015, em 975º lugar. No ranking de 2016, é 2.580º.

 

PRIMEIRA PÚBLICA - O terceiro lugar no desempenho do Enem em Venâncio Aires - e também primeiro lugar entre todas as instituições públicas do município - é da Escola Estadual de Ensino Médio Wolfram Metzler. No estado, a colocação é a 465ª, enquanto que no ranking nacional aparece na 6.904ª posição. No Enem de 2015, o melhor desempenho entre instituições públicas foi da Escola Estadual de Ensino Médio Monte das Tabocas, que em 2016, além da Wolfram, foi ultrapassada também por Cônego Albino Juchem e Frida Reckziegel, que ficaram em quarto e quinto lugares, respectivamente. Monte está em sexto e Mariante, em sétimo. Em razão dos critérios adotados pela Folha de São Paulo para a tabulação dos resultados do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) 2016, não foram contabilizados os desempenhos das escolas Jubal Junqueira, Adelina Konzen e Crescer, além do Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul) Campus Venâncio Aires.

 

DESEMPENHO

1º - Colégio Bom Jesus Nossa Senhora Aparecida

  • Posição Brasil: 848
  • Posição Estado: 39
  • Alunos do 3º ano do ensino médio: De 1 a 30 alunos
  • Média provas objetivas: 610.73
  • Média redação: 753.64

2º - Colégio Gaspar Silveira Martins

  • Posição Brasil: 2.580
  • Posição Estado: 143
  • Alunos do 3º ano do ensino médio: De 1 a 30 alunos
  • Média provas objetivas: 570.59
  • Média redação: 670.91

3º - Escola Estadual de Ensino Médio Wolfram Metzler

  • Posição Brasil: 6.904
  • Posição Estado: 465
  • Alunos do 3º ano do ensino médio: De 1 a 30 alunos
  • Média provas objetivas: 511.88
  • Média redação: 572.73

4º - Escola Estadual de Educação Básica Cônego Albino Juchem

  • Posição Brasil: 7.365
  • Posição Estado: 504
  • Alunos do 3º ano do ensino médio: Maior que 90 alunos
  • Média provas objetivas: 508.31
  • Média redação: 542.44

5º - Escola Estadual de Ensino Médio Frida Reckziegel

  • Posição Brasil: 7.895
  • Posição Estado: 563
  • Alunos do 3º ano do ensino médio: De 1 a 30 alunos
  • Média provas objetivas: 504.54
  • Média redação: 526.25

6º - Escola Estadual de Ensino Médio Monte das Tabocas

  • Posição Brasil: 7.952
  • Posição Estado: 572
  • Alunos do 3º ano do ensino médio: De 61 a 90 alunos
  • Média provas objetivas: 504.04
  • Média redação: 533.11

7º - Escola Estadual de Ensino Médio Mariante

  • Posição Brasil: 13.284
  • Posição Estado: 1.022
  • Alunos do 3º ano do ensino médio: De 1 a 30 alunos
  • Média provas objetivas: 477.68
  • Média redação: 489

A matéria completa, inclusive com as entrevistas nas escolas venâncio-airenses mais bem colocadas no Enem 2016, pode ser conferida na edição impressa da Folha do Mate deste sábado, 16.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Carlos Dickow e Taís Fortes
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do Mate

Compartilhar

Mais um dia para aproveitar as atrações da BierChoppFest

Publicado em 16/12/2017 às 11h05

Festeiros da BierChoppFestProcurando festa, diversão, chopp e boa gastronomia? Que tal dar uma passada pela BierChoppFest? A festa, que começou ontem no Pavilhão de Eventos São Sebastião Mártir, segue com diversas atrações durante o dia de hoje. Entre elas está a tradicional galinhada, a 'Tarde Kids' e a chegada do Papai Noel com a distribuição de brinquedos por meio do projeto 'Faça uma criança sorrir'.

A BierChoppFest é um evento muito tradicional em Venâncio Aires e chega a 24ª edição neste ano. Mas você já parou pensar qual é a história dessa festa promovida anualmente pelo Rotary Clube Venâncio Aires? O evento foi realizado pela primeira vez em dezembro de 1993 com duas fortes características, que continuam vivas e importantes até hoje: a venda do chopp - como bebida tradicional - e a arrecadação de valores para a aquisição de brinquedos, doados para crianças durante o evento por meio do lema 'Faça uma criança sorrir'.

A ideia da festa foi dada pelo ex-rotariano Jáder Luiz Maria durante seu primeiro ano como membro do clube. Ele conta que se inspirou em uma iniciativa adotada pelo Círculo de Pais e Mestres da Escola Estadual de Ensino Médio Cônego Albino Juchem nas décadas de 70 e 80. 'Eles faziam o festival de chopp na Travessa São Sebastião Mártir em benefício da escola. Depois eles pararam de fazer. Mas eu achava a ideia muito legal e então pensei em fazer um evento no qual pudêssemos agregar todos os companheiros para angariar fundos e comprar brinquedos por causa do lema 'Faça uma criança sorrir'', recorda. Antes da criação da festa, os rotarianos arrecadavam garrafas e jornais para vender e adquirir os brinquedos que eram doados às crianças.

De acordo com Jáder Maria, a cada edição da festa são entregues mais de 2 mil brinquedos. Levando em consideração o tempo de realização do evento, já foram distribuídos mais de 48 mil brinquedos desde a criação da festa.


 

A história da BierChoppFest

1. A primeira BierChoppFest foi realizada na Praça Coronel Thomaz Pereira, a Praça da Matriz. No local foi montada a estrutura de duas copas e uma barraca para a cozinha, onde as mulheres, integrantes da Casa da Amizade, preparavam e vendiam os itens da gastronomia: cuca, linguiça fervida, pastel e xixo. A bebida era o chopp, a tradicional da festa, como é até hoje.

2. Nos dias da primeira edição da Festa, um temporal atingiu Venâncio. 'Nós estávamos com toda a estrutura montada na praça e deu um temporal muito feito e arrasou com a nossa festa. Mas continuamos com ela no domingo e à tradinha deu outro temporal', recorda Jáder.

3. Apesar do imprevisto climático, os rotarianos conseguiram comercializar 500 litros de chopp na primeira edição do evento e obter um lucro de R$ 500 utilizado para a aquisição de 500 brinquedos. 

4. A segunda edição da festa foi realizada no Pavilhão de Evento São Sebastião Mártir, por causa do temporal do ano anterior. Neste ano, foram comercializados 1,2 mil litros de chopp. Essa também foi a primeira vez que a Bier teve o show de um conjunto musical, pois no primeiro ano havia sido apenas som mecânico.

5. No terceiro ano de existência, a tradicional festa do chopp voltou para a Praça da Matriz. 'Invetamos o tal do 'lonão' foi um sucesso total', salienta Jáder Maria.

6. Quando a festa começou a ficar grande, depois de uns 8 anos de existência, ela foi levada novamente para o Pavilhão de Eventos São Sebastião Mártir. Além disso, durante a história da BierChopp, duas edições da festa foram feitas no Parque Municipal do Chimarrão.

7. Quando foi criada e durante muitos anos a festa ocorria em quatro dias - quinta-feira, sexta-feira, sábado e domingo. No entanto, devido a grande demanda de trabalho optou-se por reduzir para dois dias.

8. Na época em que sugeriu a realização da festa Jáder Maria, que hoje não é mais integrante do Rotary, mas segue sendo voluntário do clube, ocupava um cargo na diretoria que era presidida por Almir Lemos

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos: Taís Fortes 
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do Mate 

 

 

Compartilhar

Alunos de projeto cultural recebem certificação da Alphorria

Publicado em 16/12/2017 às 10h57

O projeto “A Arte a Serviço na Alphorria”, contemplado no Prêmio Empreendedor Cultural – 3ª Edição com o patrocínio da RGE Sul, entregou na quarta-feira, 13, os certificados das oficinas realizadas ao longo do ano. Cerca de 30 alunos receberam as certificações pelas capacitações de beleza negra, capoeira, percussão, culinária afro e dança em ato solene na sede da ONG. Por meio das oficinas, a ONG ampliou o número de participantes das atividades, divulgou o trabalho da entidade, trabalhou a cultura de paz e proporcionou maior conhecimento das formas de manifestação da cultura afro.

Para a diretora de formação, Ana Lúcia Landim, um dos maiores ganhos do projeto foi contribuir para a diminuição das diferenças. “O projeto potencializou nossas ações em busca de combater as diferenças e o racismo. Estamos muito felizes e de portas abertas para todos.”

O produtor cultural, Éverton Teixeira, avalia que o mérito do projeto é da ONG que já desenvolve esse trabalho, fruto de reconhecimento do prêmio. “O grande mérito é perceberem o que a ONG já faz, e por ser feito em Venâncio Aires, terra de colonização germânica”.

A diretora do Olá Jornal, apoiador do projeto, Janine Niedermeyer agradeceu pela oportunidade de colaborar com a ONG e destacou a importância da união. “Esse projeto é prova de que podemos fazer juntos”.

 

O PROJETO
A realização do projeto é da Bola Cultural, com o empreendedor cultural Éverton Teixeira, com apoio do Olá Jornal. O Prêmio Empreendedor Cultural, patrocinado pela RGE Sul, e realizado pela Cida Cultural, busca estimular produtores que fazem a diferença em suas comunidades, oferecendo formação, recursos financeiros e acompanhamento técnico.

 

Fonte: Jornal Olá

Compartilhar

Ser Papai Noel mudou a vida dele

Publicado em 16/12/2017 às 10h49

A pequena Vitória Natasha da Silva, de 5 anos, sentiu a barba do Papai Noel para ver se era de verdadeLá está ele, sentado em uma cadeira branca de madeira ao lado de um pinheiro com grandes enfeites natalinos. Parece de mentira, mas tudo no Papai Noel é de verdade - até a barba. A risada soa como uma canção afora das paredes da casinha montada na Praça Coronel Thomaz Pereira, de Venâncio Aires.

Por trás da roupa vermelha com detalhes em branco, costurada especialmente para os momentos vividos com o personagem, estão os sonhos de Claudiomiro Luís da Silva, de 49 anos. Enquanto recebe crianças e adultos em sua casinha e distribui pirulitos de morango e chocolate, ele afirma que o trabalho como Papai Noel mudou a sua vida.

Tudo começou ainda na adolescência, aos 17 anos, quando usou pela primeira vez, as vestimentas do Bom Velhinho. 'Naquele momento já me senti um Papai Noel', recorda. O saco de presentes, conforme Silva, foi feito de papelão onde colou alguns algodões. 'Sempre via a emoção das crianças ao me ver e isso me deixava muito feliz'.

Mesmo que neste ano seja seu 14º Natal vestindo roupas vermelhas e garantindo uma 'renda extra', ele conta que a maior recompensa não está na quantia que recebe para entregar presentes, participar das programações natalinas ou campanhas publicitárias: 'Meu maior ganho é ver o sorriso das crianças e o coraçãozinho delas palpitando quando chegam perto de mim.'

Ao chegar perto, as crianças não deixam de observar a barba grande e verdadeira, fato que encanta ainda mais. Ao questionar sobre a manutenção, explica que sempre tinha o hábito de tirar após as festividades natalinas, mas com o nascimento dos netos, há três anos, não tirou mais. 'Eles me conhecem com barba, sabem que sou eu quando vou na escola deles, mas não dizem nada', comenta, acompanhado de uma risada 'gostosa' de Papai Noel.

Que os pais não deixem de dar presentes aos filhos no Natal, mas não deem tanta prioridade a eles porque envelhecem. Deem amor e carinho, porque é o principal, sentimento que cresce e fortalece junto com a criança. Se o pai e mãe não fazem isso, ele está perdido

Mensagem do Papai Noel

Sonho
Assim como os muitos pedidos já atendidos, o Papai Noel do Santo Antônio, localidade onde mora em Mato Leitão, também tem um sonho. De família humilde, com apenas a 4ª série concluída, ele perdeu o pai aos 13 anos, e a mãe aos 17. Sendo o filho mais novo, tomou conta das coisas da família e sem conter a emoção, recorda, a dificuldade que era em fazer todo o trabalho de plantação de forma manual. Hoje, segue trabalhando na lavoura como agricultor, onde planta milho e aipim - exceto no mês de dezembro.

Casado com Júlia, pai de Bianca e Ana Cláudia, de 24 e 27 anos, respectivamente, cultiva sonhos ao lado da família, 'berço' que para ele é o maior sinônimo de felicidade, assim como os momentos que vive ao ser Papai Noel. Quando vestiu a magia do Natal, Claudiomiro conta que alimentava o vício do jogo, álcool e cigarro. 'Mas graças à boa energia das crianças, consegui superar isso e hoje vivo para a família e para o trabalho o ano todo'.

Enquanto responde atentamente as perguntas feitas pela reportagem, deixa escapar 'eu tenho um grande sonho' acompanhado de um sorriso. Pela cor azul dos olhos, era visível que seria algo positivo para todos. 'Quero poder escrever um livro e contar a minha história. Para que ele seja uma forma de apoio para quem não dá valor à vida. Eu achei que nunca ia me libertar e consegui', comemora.

Agenda
A agenda do Papai Noel fica intensa, principalmente, em dezembro. Claudiomiro Luís da Silva divide a sua rotina com atividades em Venâncio Aires e Mato Leitão. 'Residente' na casinha na Praça Coronel Thomaz Pereira, explica que no dia 24 precisa realizar a entrega de presentes nesses dois municípios e também em Passo do Sobrado.

 

 

Fonte: Jornal Folha do Mate 
Créditos: Ana Carolina Becker 
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do Mate

Compartilhar

Gaspar faz turnê em Capão da Canoa

Publicado em 16/12/2017 às 10h43

 Conjunto Instrumental fará apresentação em dois locais no litoralOs alunos que integram o Conjunto Instrumental do Colégio Gaspar Silveira Martins 'fazem as malas' para participar da turnê por Capão da Canoa neste fim de semana. O grupo realiza duas apresentações no condomínio Condado de Capão e na comunidade Evangélica de Confissão Luterana do litoral.

Segundo o professor do grupo, Alberto Sindelar, essa é a segunda vez que o conjunto realiza uma turnê pelo litoral, em 2016, foram para Capão da Canoa e Osório. Neste fim de semana, a primeira apresentação não será aberta ao público, já a segunda, ocorre no domingo, às 9h, junto ao culto na Igreja Luterana de Capão.

Sindelar explica que está sendo preparado um repertório específico para cada apresentação. 'O primeiro voltado mais para temas de filmes, rock internacional, marchas alemãs e alguns temas natalinos. Já o segundo com hinos luteranos, canções de Natal e música de concerto', comenta.

Conforme ele, os estudantes aguardam por essas apresentações, pois além da experiência musical que se constrói, eles também estarão ao longos dos três dias adquirindo novas vivências importantes no crescimento individual e coletivo, 'como a disciplina, autonomia e trabalho em grupo'.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Ana Carolina Becker 
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do Mate

Compartilhar

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||