Notícias - Geral

Postos de Venâncio já registram falta de combustível

Publicado em 24/05/2018 às 13h42

Motoristas fizeram fila para garantir o abastecimentos dos veículos, nesta manhãPostos de combustíveis de Venâncio Aires já registram falta de combustível, na manhã desta quinta-feira, 24, a exemplo do que ocorre em outras cidades do estado. Por conta dos bloqueios em rodovias, em protesto contra a alta de combustíveis, alguns estabelecimentos ficaram desabastecidos, já que não houve reposição de diesel, gasolina e etanol, pelas distribuidoras. 

Em alguns postos de Venâncio Aires, foram registradas filas de veículos na manhã, com motoristas buscando garantir o abastecimento. Com relação a bloqueios, até o momento, não há registro de interrupção na RSC-287 nem na RSC-453.

 

SUPERMERCADOS

A paralisação também tem reflexos nos supermercados. Segundo o comprador Roderlei Lenz, mercadorias não-perecíveis estão bem abastecidas no estoque, mas o que se compra toda semana deve começar a faltar a partir de semana que vem. "Nem fomos para a Ceasa", observa.

Segundo ele, quem saiu hoje para efetuar compras na Ceasa, ficou trancado em Vendinha, uma localidade às margens da BR-386, em Triunfo. "Mas vamos sentir mesmo a partir de segunda se continuarem as paralisações."

A situação também reflete nos preços. Lenz observa que o valor sobe nos estabelecimentos que acabam conseguindo fornecer e entregar.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Juliana Bencke 
Foto: Letícia Wacholz 

Compartilhar

Bloqueios dos caminhoneiros cercam a região

Publicado em 24/05/2018 às 13h40

proximidades do Restaurante Casa Cheia, na RSC-287, manifestantes avisaram sobre fechamento da rodovia de dez em dez minutosO terceiro dia de manifestações lideradas pelos caminhoneiros mostrou que a categoria está obtendo mais apoio. Nesta quarta-feira, 23, em Venâncio Aires, foram registrados bloqueios em dois pontos - no trevo que dá acesso às localidades de Vila Palanque e Linha Travessa, na RSC-453, e também no quilômetro 81 da RSC-287, nas proximidades do Restaurante Casa Cheia. Desde as primeiras horas da manhã, nos dois locais, cones foram colocados na rodovia e participantes da mobilização falaram com os motoristas para que permanecessem estacionados. Ônibus de passageiros e os veículos sem carga foram liberados.

Ainda na RSC-287, houve protesto no trevo de acesso a Vale Verde, no entroncamento da ERS-405. Em diversos outros municípios da região, a mobilização contra os frequentes aumentos no preço do diesel encorpou. Taquari, Lajeado, Santa Cruz do Sul, Rio Pardo, Tabaí, Sobradinho e Novo Cabrais foram alguns onde os protestos mais chamaram a atenção. As manifestações se espalham por todo o estado e país e, segundo os organizadores, não está descartada a hipótese de que, nos próximos dias, ônibus e veículos de passeio tenham passagem bloqueada. Até agora, em Venâncio Aires, incidentes não foram registrados.

Claiton Bohn, de 27 anos, é natural de Vale Real e trabalha há um ano e meio na estrada. Depois de deixar uma carga de telhas em Venâncio Aires, ontem, pela primeira vez se viu participando de uma mobilização da categoria. Por volta das 10h, quando retornava à sua cidade de origem, estacionou o caminhão na RSC-453 a pedido dos manifestantes. 'O pessoal lá da empresa já sabia que isso podia acontecer e nos orientou a encostar, se fosse preciso. O jeito é parar e dar a mão, já que se não parar aqui, tem que parar em outro lugar, pois tem bloqueio em todo o estado', comentou. De acordo com ele, 'se o povo não pegar junto, vão baixar os preços em R$ 0,05 no dia e, quando as manifestações acabarem, sobe R$ 0,20'.

Da mesma maneira pensa o caminhoneiro Fábio Alves, de 28 anos, que ontem saiu de Santa Maria e iria para Teutônia, mas ficou no bloqueio da RSC-453, em Venâncio Aires. Ele já havia adiado a sua saída de Santa Maria - que ocorreria na segunda-feira, 21 - por conta dos bloqueios, porém assegura que não se importa de perder algumas horas na estrada em solidariedade ao movimento. 'A coisa tá bem complicada, os preços mudam todos os dias e o pessoal não está suportando mais esta situação dos combustíveis', disse. Alves afirmou ainda que se surpreendeu com a mobilização na região. 'A informação de que os bloqueios iriam acontecer a gente tinha, mas por aqui parece que o pessoal tá bem organizado', falou.

RSC-287 - Mesmo tendo caminho livre após cinco minutos de bloqueio na RSC-287, o representante comercial Augusto Silva, de 24 anos, decidiu encostar o veículo e aumentar o coro dos caminhoneiros na tarde de ontem. Silva retornava de Venâncio Aires para Santa Cruz do Sul e foi um dos poucos a ficar um pouco mais no local escolhido para o bloqueio. 'Parei e desci porque apoio o movimento. No carro, a gasolina que eu coloco é do meu bolso, as rodovias são cheias de buracos e a gente tem que pagar um monte de pedágio. Giro quase oito mil quilômetros por mês nestas estradas ruins e pagando caro pelo combustível', desabafou.

A Polícia Rodoviária Estadual (PRE) da região esteve nos locais de bloqueio quarta-feira, 23. Os policiais orientaram que as rodovias não poderiam ser bloqueadas totalmente e monitoraram os pontos. Não houve registro de incidentes até o fechamento desta edição, por volta das 21h.

'Se continuar assim, Venâncio ficará sem gasolina até sexta'

Proprietário de posto de combustíveis em Venâncio Aires, Fernando Knies projeta que os bloqueios nas rodovias gaúchas podem levar à falta de produtos nas bombas. De acordo com ele, o movimento de clientes nesta quarta-feira, 23, já foi anormal. 'Fim de mês é sempre bem mais calmo, mas hoje (ontem) as bombas não pararam. O pessoal está preocupa com eventual falta de produtos. Acho que se continuar assim (bloqueios ocorrendo em todo o estado), Venâncio ficará sem gasolina até sexta', comentou.

Knies ressaltou que fez nova encomenda de combustíveis no início desta semana, já prevendo que a situação chegaria ao cenário atual, mas o caminhão que abasteceria seu estabelecimento não saiu da refinaria, em Esteio, na Região Metropolitana de Porto Alegre. 'Tá lá trancado o caminhão que viria pra cá. Tinha comprado dois mil litros de combustível no domingo, mas fiz novo pedido prevendo a paralisação. Ainda tenho uma reserva, porém se os bloqueios não cessarem, vai faltar, sem dúvida', concluiu.

 

MAIS PROTESTOS

1 - Em Rio Pardo, o motorista de um caminhão que teria furado o bloqueio na BR-471, foi agredido. O caso ocorreu no fim da tarde de terça-feira, 22. Um vídeo divulgado nas redes sociais mostra o momento da confusão.

2 - Em Tabaí, no entroncamento da RSC-287 com a BR-386, a mobilização é intensa. Um vídeo encaminhado para a redação da Folha do Mate mostra dezenas de caminhões, veículos, pessoas e até tratores na pista de rodagem.

3 - Em Santa Cruz do Sul, segundo informações da Gazeta do Sul, já há registro de falta de combustíveis por conta dos protestos dos caminhoneiros. Em razão dos bloqueios, os postos não estão recebendo os produtos.

 

Câmara discutirá aumento de preço dos combustíveis

Em nota à imprensa divulgada nesta segunda-feira, 21, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, anunciou a realização de uma comissão geral no próximo dia 30, para debater os sucessivos aumentos dos preços dos combustíveis no país. Serão convidados para participar do debate representantes da Petrobras, de distribuidoras, de postos, do governo e ainda especialistas do setor. Durante as comissões gerais, qualquer convidado pode utilizar as tribunas do plenário para expor ideias e opiniões.

O objetivo, segundo Maia, é buscar ações imediatas para enfrentar a crise geopolítica global que encarece os combustíveis. Ele sustenta que, 'no curto prazo, o Governo Federal deve avaliar a possibilidade de zerar a Cide e diminuir o PIS/Cofins'. E acrescenta que 'os estados podem avaliar o mesmo para o ICMS'. De acordo com o presidente da Câmara dos Deputados, 'essas são ideias de políticas compensatórias para enfrentar o momento atual e estão distantes do congelamento de preços que vimos no passado'.

 

LIMINAR - Atendendo a um pedido da Advocacia-Geral da União (AGU), o juiz federal Guilherme Maines Caon, da 2ª Vara Federal de Uruguaiana, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, determinou a liberação das BRs 290 e 472. O ofício foi encaminhado à Polícia Rodoviária Federal (PRF) na noite de terça-feira. Além da desocupação, a Justiça Federal fixou multa individual por hora de R$ 5 mil em caso de descumprimento. De acordo com a PRF, uma equipe foi cumprir o mandado na manhã desta quarta-feira, 23. No entanto, os caminhoneiros se recusam a sair. A PRF ressalta que não há bloqueio total nas rodovias. Os manifestantes se encontram acampados às margens das estradas. Eles convidam os colegas que passam pelo local a se unirem ao movimento. Liminares como esta foram concedidas em outros sete estados brasileiros, a pedido de concessionárias e governo.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Carlos Dickow 
Foto: Alvaro Pegoraro 

Compartilhar

Hospital São Sebastião Mártir monitora estoque de oxigênio, por conta da paralisação dos caminhoneiros

Publicado em 24/05/2018 às 13h39

Com a paralisação dos caminhoneiros nas estradas do país, a entrega de mercadorias está sendo afetada. No Hospital São Sebastião Mártir a entrega de gases, entre eles o oxigênio, exige atenção, já que o reabastecimento ocorre nas quintas-feiras. Com isso, a direção da casa de saúde busca alternativas e estabelece políticas de economia. O estoque atual está garantido até segunda-feira, 28.

Conforme o administrador da casa de saúde, Jonas Kunrath, o problema tem sido registrado em outros hospitais gaúchos, e caminhões com produtos voltados às instituições estão sendo escoltados. “O fornecedor tem relatado problemas para entregar o produto, porém, com a escolta nossa expectativa é de garantir a entrega do produto até o fim da semana.”

Além disso, o HSSM organizou o seu estoque de medicamentos principais para garantir a continuidade dos atendimentos ao longo do fim de semana. Os produtos perecíveis também estão sendo monitorados para garantir adaptações nas refeições feitas pela casa de saúde.

 

Fonte: Jornal Olá

Compartilhar

Segue em análise a proposta de uso da área esportiva da escola Monte das Tabocas

Publicado em 24/05/2018 às 13h38

Área com pista de caminhada e quadras esportivas fica entre as ruas Conde DDepois de a Prefeitura propor projeto para utilização da área esportiva da Escola Estadual de Ensino Médio Monte das Tabocas, a instituição apresentou contraproposta com solicitações para que o espaço com pista de caminhada e quadras seja disponibilizado para uso da comunidade, durante a noite e nos fins de semana.

Há cerca de um mês, o assunto foi debatido em reunião entre colégio, Município e 6ª Coordenadoria Regional de Educação (6ª CRE). Depois disso, de acordo com a diretora Marinêz Ferreira Weizenmann, Conselho Escolar, professores e Círculo de Pais e Mestres (CPM) elaboraram uma contraproposta, na qual especificam requisitos para garantir a segurança do patrimônio da escola e de quem utilizar o espaço.

Entre elas, estão iluminação; conserto da cerca; drenagem, para evitar água empoçada na área; vigia e monitoramento com câmeras. "É o que precisa para deixar o espaço adequado para não ter problemas. É muito importante ter um guarda, uma pessoa responsável, para que não entrem marginais e seja mantida a segurança", destaca Marinêz.

Segundo o secretário municipal de Cultura e Esportes, Saul Zart, a proposta está sendo analisada. "Precisamos sentar com o prefeito e definir, mas nesta semana ele está em Brasília", explica. O titular da pasta adianta, no entanto, que as exigências da escola vão ao encontro do que a Prefeitura pensa para o projeto.

O objetivo do Município é buscar parcerias na iniciativa privada para revitalizar o espaço e, em contrapartida, possibilitar o uso, pela comunidade, para prática de atividades físicas em um local de fácil acesso, no centro da cidade. Atualmente, a área é utilizada para atividades esportivas da escola Monte das Tabocas e também pelo Colégio Gaspar Silveira Martins.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Juliana Bencke 

Compartilhar

Veículos da Prefeitura de Venâncio deixam de circular nesta sexta por conta da mobilização dos caminhoneiros

Publicado em 24/05/2018 às 13h36

O prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert (PSB) determinou a paralisação dos veículos oficiais a partir desta sexta-feira, 25. Entretanto, máquinas pesadas e veículos de secretarias, exceto da Saúde e Educação, já devem parar nesta quinta-feira, 24. A mobilização da Administração Municipal se une a outras prefeituras gaúchas.

Segundo o gestor público, a medida também foi adotada pela Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs). “São 77% dos municípios que vão aderir a paralisação nesta sexta-feira. Existem relatos de problemas para o abastecimento de veículos oficiais, por isso determinamos a paralisação também, em apoio a mobilização nacional dos caminhoneiros.”

Segundo o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisp), Renato Gollmann (PTB), não há mais reserva de diesel para máquinas no pátio da pasta. Um tanque de 15 mil litros garante o consumo do maquinário, em média, ao longo de três semanas, entretanto, um novo carregamento não chegou até o município após encomenda na última semana. “Os veículos da saúde e educação seguem circulando, os demais nesta sexta ficarão parados, e as máquinas que ainda possuem combustível seguem circulando, porém não temos mais como abastecer na secretaria.”

 

Fonte: Jornal Olá

Compartilhar

Viasul suspende horários de ônibus para racionamento de combustíveis

Publicado em 24/05/2018 às 13h35

Os reflexos dos bloqueios em rodovias, por conta dos protestos contra a alta dos combustíveis, já refletem em Venâncio Aires. A Viasul suspendeu alguns horários de ônibus, ao longo desta quinta-feira, 24, nas linhas para Lajeado, Vila Arlindo, Vila Mariante e General Câmara.

De acordo com o supervisor comercial Marlon Lopes, a medida foi adotada para racionamento do combustível e atingirá apenas regiões contempladas com outras opções de horários. "Por conta dos bloqueios, não recebemos combustível das distribuidoras nos últimos dias e por isso estamos otimizando. A situação de amanhã ainda está indefinida. Ainda não sabemos informar como será", destaca.

 

Alterações

Na linha Venâncio Aires - Estrela, os ônibus seguirão apenas até Lajeado, por conta dos bloqueios que impedem a passagem de veículos em Estrela. Hoje, estão suspensos os horários para Lajeado com saída de Venâncio às 13h e às 14h10min; e Lajeado - Venâncio Aires, das 10h40min e das 16h15min.

Para Vila Arlindo, está suspenso ônibus que sai de Venâncio às 10h e às 15h30min e que retorna à cidade às 10h30min e às 16h. Da mesma forma, para Vila Mariante, não haverá ônibus às 13h30min nem às 15h15min, assim como não haverá retorno do distrito para o centro. A suspensão ainda atinge horários de ida e volta para General Câmara.

 

Chimatur

No caso dos ônibus urbanos, a Chimatur manteve todos os horários, por enquanto. De acordo com o proprietário da empresa, Adalberto Hamester, até o fim de semana, há combustível garantido, pois a compra foi realizada antes do início dos bloqueios nas rodovias. Se houver necessidade, a empresa poderá suspender horários intermediários, para manter o serviço para trabalhadores de horários regulares.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Juliana Bencke 

 

Compartilhar

Poda das árvores deve ser efetuada por técnicos ou órgão especializado

Publicado em 24/05/2018 às 13h32

Roni Wagner é qualificado para realizar este serviço e está fazendo uma poda de condução de uma figueiraCom a chegada do inverno, aumenta a incidência de podas por ser esta a época em que as plantas entram em estado de dormência, perdendo naturalmente as folhas e diminuindo suas atividades metabólicas. No entanto, é necessário cuidado para que a ação não ocorra de maneira exagerada, visando preservar as árvores. 'A poda não é uma operação necessária para o bom desenvolvimento das plantas. Muitas vezes, as pessoas a praticam somente em benefício próprio', enfatiza o secretário municipal de Meio Ambiente Clóvis Schwertner. Ele explica que antes de cortar os galhos, é necessário e importante se conhecer a árvore, pois a poda é comparada a uma cirurgia. 

'Para executar a poda em árvores urbanas, é necessário que se compreenda como elas crescem. Isto é muito fácil, porém, exige um pouco de observação', frisa. Ele acrescenta que o corte dos galhos precisa ser feito de uma maneira racional e somente em caso de necessidade e não como rotina e, deve-se cortar somente o mínimo necessário para cada situação. O secretário alerta que uma poda mal orientada pode deixar uma árvore ainda mais doente, pois é uma agressão a um ser vivo e deve ser feita sempre por um profissional especializado.

 

RESPONSABILIDADE

Schwertner orienta que a poda somente pode ser efetuada com autorização pelo setor competente da Prefeitura, pois as árvores do logradouro público são de responsabilidade da Prefeitura e não somente de quem as plantou. 'O corte de árvores no perímetro urbano é crime previsto no Código Florestal e pode acarretar em processo judicial e altíssimas multas', alerta. O secretário explica que as podas são a de formação, de manutenção e/ou limpeza, e, de segurança e que elas podem ser executadas pela população, porém, as drásticas estão proibidas e a retirada maior de 30% da copada já conota poda drástica. Schwertner orienta ainda que o recolhimento dos galhos das árvores do passeio público é de responsabilidade da Semma e os do interior dos pátios é dos proprietários.

 

MALEFÍCIOS

Outro malefício oriundo da poda drástica é o desequilíbrio que esta causa na planta, entre a copa e absorção das raízes, o que faz a planta emitir vários galhos desordenadamente para recompor a folhagem original. Esse aspecto com galhos jovens é confundido com vitalidade da planta. Contudo, essa reação é uma tentativa desesperada de sobrevivência, pois dos galhos saem as flores e destas as sementes que garantem a manutenção da espécie. Estes vários galhos emitidos, porém, são muitos frágeis e propícios a causarem acidentes com a sua queda. Além disso, a exposição do tronco aos fungos e demais parasitas causados pela poda, combinados com a falta de reserva energética, pode levar a planta a morte.

'É preciso acabar com o mito de que a poda revitaliza o vegetal, pois a retirada dos galhos é prejudicial à planta', destaca Schwertner. Ele destaca que a supressão da copa retira a reserva energética que as plantas acumulam nos ramos através das gemas para a sobrevivência durante o inverno. 'Muitas plantas perdem as folhas no inverno e não conseguem realizar a fotossíntese e dependem dessa reserva.'

 

OFICINA

O secretário informa que na segunda quinzena do mês de junho próximo, a Semma vai ministrar uma oficina de técnicas corretas de poda, O objetivo é qualificar os profissionais de jardinagem e também, os demais interessados para evitar a mutilação das árvores dos passeios públicos e também, os pátios, para que as podas sejam efetuadas de maneira correta e assim, não prejudicar a planta e nem a estética da cidade.

 

RECOLHIMENTO

O recolhimento dos galhos oriundos das podas das árvores do passeio público, segundo Schwertner, é de responsabilidade da Semma. Dos pátios, é dos proprietários. Para mais informações sobre o recolhimento, o telefone de contato da Semma é 3983-1034.

 

JARDINEIRO

O aconselhado é contratar pessoas qualificadas tanto para efetuar as podas de árvores nos logradouros públicos quanto nos particulares. Entre eles estão Eldor e seu filho Micael Böhm. Micael se qualificou nesta área durante a oficina de qualificação promovida no mês de maio de 2017 pela Semma. Eles podam qualquer tipo de árvore e também, se for preciso, recolhem os galhos e o preço para este serviço depende do tamanho da árvore e do tipo de poda e ele é negociado diretamente com o contratante.

Quem também presta este tipo de serviço Roni Wagner, que há cinco está neste ramo. Eles não faz podas radicais e somente de correção e condução da copada e no caso de frutíferas, faz a poda de recuperação. O preço igualmente varia conforme o serviço e é tratado diretamente com o contratante.
O telefone de contato com Micael Böhm é (51) 99820-4363; Eldor Böhm (51) 99507-4771, e, com Roni Wagner (51) 99600-5312.

 

ESPÉCIES

'Árvore certa nos lugares certos e um pouco de bom gosto na composição das formas e cores. Aí está a fórmula muito simples para uma boa arborização'. A afirmação é do secretário municipal de Meio Ambiente Clóvis Schwertner, ao orientar como proceder na hora de escolher qual tipo de árvore plantar nos passeios públicos e nos pátios. Ele acrescenta que conhecer bem a espécie de árvores que se deseja utilizar é muito importante, além de conhecer o porte, forma e tamanho da copa da árvores nos estágio de adulta.

O secretário apresenta as espécies de árvores recomendadas para serem plantadas sob a rede elétrica, as que podem ser plantadas em ruas e espaços que não estão sob a rede elétrica. As espécies recomendadas são a pata-de-vaca, chal-chal, cereja, ipê-amarelo, sibipiruna, tarumã, pau-ferro, guabiroba e medalhão.

São diversas as espécies aconselhadas a plantar debaixo de redes de energia elétrica, como a araçá-do-campo, pitangueira, primavera, quaresmeira, frutíferas nativas, aroeira-salsa, goiabeira e cocão.

 

REDE DE LUZ

Nas árvores que se encontram debaixo de rede de luz, segundo o secretário, quem efetua a poda de condução é a concessionária RGE Sul e é feita em forma de V. Muitas pessoas não gostam deste visual e Schwertner observa que árvores de grande porte não podem ser plantadas debaixo de redes de luz. Nestes casos, o recomendado são árvores de porte menor, que atinjam entre três metros e no máximo cinco metros de altura. Às vezes, é mais fácil substituir as árvores grandes por menores.

 

DICAS

Ao efetuar uma poda, o recomendado é usar os equipamentos de proteção individual como luvas, óculos e botas por exemplo, além de utilizar escadas e as ferramentas adequadas como serrote, tesoura ou motosserra e jamais usar facão, pois este, segundo Schwertner, provoca um corte desuniforme, podendo até prejudicar as árvores.


'O objetivo das podas corretas é proporcionar às árvores urbanas, um longo ciclo de vida'.
Clóvis Schwertner, secretário municipal de Meio Ambiente.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Edemar Etges

Compartilhar

Frigoríficos de Venâncio param a produção devido a greve dos caminhoneiros

Publicado em 24/05/2018 às 13h31

A produção dos frigoríficos de Venâncio Aires está paralisada em função da greve dos caminhoneiros que bloqueia estradas pelo país. Sem conseguir entregar a carga abatida as empresas suspenderam o abate e trabalham apenas com manutenção interna. A produção também é afetada no processamento pois as unidades não conseguem receber a matéria prima.

O proprietário do Frigorífico Sapé, Cristian Roehl, considera a situação caótica. Sem produção há dois dias, a empresa que abate cerca de 130 animais por dia liberou grande parte dos 120 funcionários e trabalha apenas na desossa. “Há uma grande preocupação, o resultado vamos colher em 60 dias”, avalia o empresário referindo-se aos prejuízos.

O Frigorífico Boi Gaúcho encerrará as atividades, que já estão em 80% da capacidade, nesta quinta-feira, 24. Com abate de aproximadamente 200 animais por dia, a unidade não consegue fazer as entregas e nem mesmo receber os animais para o abate. O proprietário Neri dos Santos estima um prejuízo de R$ 100 mil por dia. “O prejuízo é enorme, não conseguimos fazer entregas desde segunda-feira”. O empresário afirma que em 10 anos de empresa nunca viu uma situação parecida. Atualmente o frigorífico possui 140 funcionários.

Já o Frigorífico Kroth vai parar a produção nesta sexta-feira, 25. De acordo com o proprietário, Fábio Kroth, nesta quinta-feira, 24, ainda há veículos fazendo entregas de carne em regiões sem bloqueios no entanto alguns caminhões trancados com destino para a fronteira. “Não queremos arriscar transportar gado e ficar com o mesmo trancado em alguma manifestação”, explica. A unidade abate 250 animais por dia.

 

ESTADO

O diretor do Sindicato da Indústria de Carnes e Derivados no Estado do Rio Grande do Sul (Sicadergs), Zilmar Monsale, afirma que a situação está beirando ao caos. Ele explica que esta quinta-feira, 24, é o último dia de abate de quem ainda tem animais e por isso enfrentam uma encruzilhada devido a falta de condições de entregar a produção e também de destino correto dos resíduos do abate. “Muitos frigoríficos dependem de empresas que fazem o recolhimento diário dos resíduos o que fica comprometido com a paralisação dos caminhoneiros”. Assim, mesmo que abatam os animais enfrentarão dificuldades em destinar esses materiais.

Monsale prevê ainda um grande risco de desperdício das cargas de carne tancadas em bloqueios. Segundo o diretor, a carne pode ficar em caminhão refrigerado por até sete dias, após este período não pode ser consumida. “Mesmo aqueles frigoríficos que congelarem a produção, perderam valor agregado ao produto”, afirma. Ele estima que os estoque possam ser reabastecidos em dois dias após a paralisação ser encerrada.

O Rio Grande do Sul possui cerca de 300 frigoríficos que abastecem principalmente o mercado interno, sendo outros 3% da produção destinada a exportação e 3% aos estados de Santa Catarina e São Paulo.

 

GREVE

A paralisação dos caminhoneiros já dura quatro dias em cerca de 253 pontos de protestos, atingindo 23 Estados brasileiros e o Distrito Federal.. Os trabalhadores reivindicam a diminuição no preço dos combustíveis. A Petrobrás anunciou nesta quarta-feira, 23, uma redução de 10% por 15 dias no preço do diesel vendido pelas refinarias.

 

Fonte: Jornal Olá

Compartilhar

Prefeitura destina R$ 32 mil para esterilização de animais

Publicado em 24/05/2018 às 13h30

 Cassio falou no tribuna da Câmara de VereadoresO Legislativo Municipal aprovou projeto de lei do Executivo que implementa o programa de esterilização cirúrgica de cadelas e gatas, bem como, realiza a microchipagem destes animais. A prioridade dese serviço será para animais de rua, cadastrados via organizações não governamentais e beneficiários de programas sociais. Para a atividade, a Prefeitura destinará R$ 32 mil. Pessoas interessadas em receber esse serviço deverão realizar solicitação por protocolo. Ele deverá ser encaminhado ao Conselho Municipal de Proteção Animal, que avaliará e organizará lista de espera, conforme regulamento específico. O serviço será realizado por clínicas veterinárias, que precisarão realizar credenciamento prévio na Prefeitura.

 

OUVIDORIA DO SUS

Foi alterada lei que instituiu em maio de 2016 a Ouvidoria Municipal do Sistema Único de Saúde (SUS). Anteriormente era necessário que o funcionário público tivesse curso superior. Pela atualização da lei o servidor efetivo poderá realizar a atividade paralelo às suas obrigações diárias de origem, mas para para isso receberá uma Gratificação por Exercício de Função.

 

MOÇÕES

O vereador Ciro Fernandes, do PSC, teve aprovada duas moções de aplauso. Uma elogia à Federação Gaúcha de Futebol pela doação de cinco motocicletas a Brigada Militar e o segundo documento parabeniza o governador José Ivo Sartori por incluir no Calendário Oficial de Eventos do Estado o dia 8 de agosto como Dia Estadual em Homenagem aos Policiais Militares Mortos em Serviço e o dia 2 de dezembro como a data para homenagear os Policiais Civis Mortos em Serviço.

 

COMUNICAÇÕES

O único vereador a utilizar do espaço das comunicações foi o suplente Cassio Storch, do PSDB. O tucano se manifestou pela primeira vez na segunda-feira. Ele assumiu o lugar da titular Helena da Rosa, do MDB. Ele agradeceu aos votos recebidos no pleito e prometeu contribuir significativamente nos debates da casa legislativa.

 

TRANSPORTE COLETIVO NO BAIRRO BATTISTI

Três tribunas livres movimentaram a sessão parlamentar, na segunda-feira, 21. A primeira foi ocupada pelo presidente da Associação de Moradores do Bairro Battisti, Marcone Klafke Soares. Ele solicita ao Departamento Municipal de Trânsito mudança no itinerário do transporte coletivo. Ele disse que o pedido já tramita há um ano na Prefeitura.

'Queremos uma mudança no roteiro para facilitar o deslocamento de idosos. O trajeto aumentaria em até 600 metros'. Além disso, pelo novo trajeto sugerido, loteamentos novos também seriam beneficiados. O coordenador do Departamento Municipal de Trânsito, Dário Martins, informou que o solicitação foi encaminhada ao Conselho Municipal de Trânsito. 
A segunda tribuna foi ocupada pelo assistente social que atua no IFSul de Venâncio Aires, Luciana da Silva Conrad. Ela integra a equipe da Assistência Estudantil do campus e lamentou que a evasão escolar cresceu a partir de cortes no programa. O repasse é feito pelo Ministério da Educação, contudo neste ano existe um deficit de R$ 300 mil. Em apoio, a Câmara de Vereadores irá providenciar uma moção de repudio ao Governo Federal.

Integrante do Sindicato dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul, o professor João Batista Gomes, também ocupou a tribuna para falar do aniversário de 80 anos de fundação da entidade. Atualmente a entidade possui 23 mil profissionais sindicalizados.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Cristiano Wildner

Compartilhar

Wickert defende participação de prefeitos como observadores da COP 8

Publicado em 24/05/2018 às 13h26

Prefeito Giovane representou a Associação dos Municípios Produtores de TabacoA Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados promoveu, na tarde desta terça-feira, 22, uma audiência pública para tratar sobre o posicionamento brasileiro na Conferência das Partes para o Controle do Tabaco, agendada para ocorrer de 1º a 6 de outubro, em Genebra, na Suíça.

A reunião, liderada pelo deputado federal Alceu Moreira (MDB/RS), contou com a participação de diversas lideranças da cadeia produtiva do tabaco e também da Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (Conicq).

Presente na audiência, o prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert, fez um discurso que se destacou durante o evento, ao defender diálogo e sintonia entre as partes: o setor do tabaco e as entidades antitabagistas, bem como, as organizações de saúde.

Representando a Associação de Municípios Produtores de Tabaco, ele lembrou que desde a realização da Abertura da Colheita do Tabaco, realizada em outubro do ano passado em Venâncio Aires, vem mantendo contato com membros da Conicq que teria manifestado interesse em abrir um diálogo com os prefeitos dos municípios produtores. Inclusive, anunciou que pretendem agendar um encontro, no começo do próximo mês, na sede do Inca, no Rio de Janeiro, para estreitar relações e sugeriu um encontro, também na maior região produtora de tabaco do país.

 

Prefeitos na COP 8

Durante sua fala, Giovane Wickert também defendeu que prefeitos de municípios produtores de tabaco sejam representados na Conferência das Partes para o Controle do Tabaco, que ocorre em outubro, na Suíça.

Segundo ele, a Associação dos Municípios Produtores de Tabaco, vai se mobilziar para conquistar um credencial de observador da COP 8. 'Vamos trabalhar para que, pelo menos um prefeito possa nos representar no evento.'

Prefeito também observou que embora Venâncio Aires tenha o tabaco como a principal fonte de renda de milhares de famílias, é um município que também diversifica e de destaca em diversas segmentos, como a proteína animal, milho, erva-mate e se destaca pelas agroindústrias familiares.

 

Parece que queremos dançar tango em baile funk. Parece que não há entendimento entre as partes. Precisamos afinar isso.' 

GIOVANE WICKERT - Prefeito de Venâncio Aires ao comentar a necessidade de diálogo entre a cadeira produtiva de tabaco e as organizações e entidades antitabagistas. 

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Letícia Wacholz 
Foto: Adriene Antunes / AI Prefeitura

Compartilhar

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||