Notícias - Geral

Semana Farroupilha: ‘Laçando’ a cultura

Publicado em 18/09/2019 às 08h42

Paixão Côrtes e Bento Gonçalves ainda não são nomes conhecidos para o Lucas. Isso não é exclusividade do menino de 9 anos, afinal, quem, com essa idade, já sabia tudo sobre a vida e obra do homenageado da Semana Farroupilha? Ou sobre a história do líder da revolução que originou as comemorações em torno do 20 de setembro?

Mas o que Lucas Daniel Treib tem certeza é de que “gosta muito” do que conhece sobre tradicionalismo gaúcho. Morador de Linha Bem Feita, ele estuda no 3º ano da Escola Municipal de Ensino Fundamental Dom Pedro II, de Linha Hansel, interior de Venâncio Aires.

Nesta terça-feira, 17, ele estava entre parte dos 250 alunos que foi ao Parque do Chimarrão, participar das atividades propostas pela Associação Tradicionalista Venâncio-airense (ATVA). Além da Dom Pedro II, estudantes da Escola Estadual Leontina, do bairro Santa Tecla, também estiveram no Palco Super Lenz.

É neste local que as crianças acompanharam palestras e conheceram atividades como o laço da vaca parada e brinquedos antigos. “Isso é novidade para mim”, reconheceu Lucas. Mesmo ‘novato’ em alguns pontos, ele fez questão de calçar as botas e vestir a bombacha e o cinto, presentes recentes dos pais Adriane e Silvio. O menino conta que faz pouco tempo que viu uma apresentação do Grupo Folclórico Essência da Tradição. “Achei bonito e pedi pro pai e pra mãe pra participar. Daí ganhei a roupa e comecei a dançar Pezinho e Caranguejo [danças tradicionalistas].”

Curioso e interessado, ele quis tentar o laço, com direito à narração de Vilnei Ferreira, narrador de rodeios e um dos voluntários das atividades da ATVA. “Ainda não sou bom no laço, mas na dança sim, com o Maçanico do Banhado”, relata Lucas, citando a composição de Barbosa Lessa, também considerado um dos grandes folcloristas e historiadores gaúchos.

 

Participação

O entusiamo de Lucas acerca da cultura gaúcha também é compartilhado por muitos alunos da escola Dom Pedro II. Segundo a vice-diretora, Júlia Ferreira, pela proximidade com o CTG Chaleira Preta, de Linha Bem Feita, alguns estudantes já participam de atividades.

Mas, para aqueles que ainda não vivenciam na prática, Júlia diz que, durante o mês de setembro, a escola também promove palestras, oficinas de danças nas aulas de Educação Física e mateada. “É importante conhecer a cultura, se apropriar e, se gostarem, divulgar. E eventos desse porte no Parque são importantes para despertar o interesse.”

Conforme a coordenadora da 24ª Região Tradicionalista e uma das organizadoras dos festejos farroupilhas, Luce Carmen Mayer, o objetivo é oportunizar atividades que agreguem àquilo já realizado nas escolas. “Queremos que a criança conheça e vivencie. Porque geralmente são nestes momentos que se desperta o interesse e eles levam isso às famílias.”

A expectativa é que, até quinta-feira, 19, cerca de 700 alunos participem das atividades no Parque do Chimarrão, que contam com o apoio de cerca de 30 voluntários da ATVA.

 

Programação

Quarta-feira, 18

  • Tradicional Encontro de Escolas, promoção do CTG Lenço Branco. Palco Super Lenz
  • À noite: jantar, promoção CTG Erva-Mate – Palco Super Lenz

Quinta-feira, 18

  • Recepção aos alunos do IFSul – Palco Super Lenz

Sexta-feira, 20

  • Desfile temático – rua Osvaldo Aranha (sentido inverso)
  • Missa Crioula e Costelão, promoção do CTG Chaleira Preta – Palco Super Lenz
  • À tarde: Treino com boi, promoção do Piquete Cavaleiros da Estrada – pista de laço, Parque do Chimarrão

Domingo, 22

  • Lançamento do 3º Premiart, com almoço e pré-estreia da Invernada Pré-Mirim, promoção do CTG Erva-Mate

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Débora Kist

Compartilhar

Grupo contrário a revitalização do calçadão insiste na realização de audiência pública

Publicado em 18/09/2019 às 08h40

Apesar de a Prefeitura já ter manifestado que não fará novas audiências públicas para discutir a revitalização do Calçadão, o grupo contrário ao projeto original procurou a reportagem da Folha do Mate para renovar o seu descontentamento. Depois de vencido o prazo de 45 dias sugerido pelo Ministério Público de Venâncio Aires para que a revitalização do Calçadão ganhasse novo rumo, o projeto segue parado.

Grupo liderado pela Prefeitura e empresários do Largo do Chimarrão defende uma renovação do visual, recuo da calçada e abertura de uma segunda pista de rolamento. A justificativa é de que essa medida reverteria a saída do comércio do Calçadão. Contudo, movimento contrário argumenta que tal medida desconsidera as atuais tendências de mobilidade urbana.

Para que a voz dos descontentes ganhe eco, o movimento pede a realização de uma nova audiência pública no Legislativo. Mas os envolvidos dizem que o tema já foi amplamente discutido, tanto na Câmara, quanto na Prefeitura. Desde 2013, audiências públicas focaram na revitalização do chamado “coração” de Venâncio Aires.

A professora aposentada e uma das integrantes do movimento que discorda do projeto original, Rosângela Dolgener Cantú, reafirma que uma audiência pública é importante para atualizar o assunto, mesmo que encontros anteriores já tenham tratado do tema. Ela diz ainda que um documento, com 37 páginas, foi reencaminhado ao Executivo, no qual argumentos são apresentados para uma “discussão ampla e democrática”.

“Um grupo de leigos, urbanistas e arquitetos, todos moradores da cidade, elaborou um estudo com críticas, questionamentos e muitas ideias de possíveis soluções para o espaço em questão. Apenas queremos que o espaço seja revitalizado de forma justa, coerente com questões ambientais e demais impactos que a intervenção pode vir a causar.”, ROSÂNGELA DOLGENER CANTÚ – Professora aposentada

 

Vocação

Rosângela lamenta que durante o período de 45 dias, sugerido pelo Ministério Público para que houvesse um entendimento entre as partes, a Prefeitura não tenha tido o devido envolvimento para chegar a uma conciliação. Ela destaca ainda que sem a interferência do Executivo para a criação de um projeto que leve em consideração a “verdadeira vocação do Calçadão”, dificilmente haverá um consenso.

 

Documento

  • O movimento contrário é formado, entre outros profissionais, por arquitetos e professores. O mesmo documento reencaminhado ao Executivo havia sido apresentado na Promotoria Pública.
  • Assinam o dossiê Alcir Paulo Cantú, Ana Maria Kalfke, Cláudia Kuhn, Fernanda Rayher Soares, Fernanda Kretschmer, Júlia Kuhn, Luiz Fernando Metz, Raymundo Konzen, Rosângela Dolgener Cantú, Sabrina Assmann Lücke e Vanessa Zart Rien.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Cristiano Wildner

Compartilhar

Celebração Ecumênica marca os 100 anos da Sicredi

Publicado em 18/09/2019 às 08h39

Dentro das comemorações dos 100 anos da Cooperativa Sicredi Vale do Rio Pardo, uma celebração ecumênica reuniu cerca de mil pessoas na manhã deste sábado, 14, na igreja São Sebastião Mártir, em Venâncio Aires. “A religiosidade faz parte da nossa história, que iniciou com o padre Theodor Amstad, precursor do cooperativismo no Rio Grande do Sul. Por isso, no momento que celebramos 100 anos, temos muito o que agradecer aos nossos idealizadores, a todos que ao logo do tempo deram sua contribuição, como associados, colaboradores e dirigentes, e especialmente a Deus, que inspirou as pessoas e abençoou esta história e que segue sendo nossa fonte permanente de inspiração para o futuro”, destacou o presidente da Sicredi VRP, Heitor Álvaro Petry.

A cerimônia, que foi conduzida pelo padre Zeno Graeff, e pelo professor Tiago Becker, representando a Comunidade Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, iniciou com a entrada das lideranças da cooperativa. Em seguida, o presidente da comunidade São Sebastião Mártir, Elmo Fengler, deu as boas-vindas a todos e parabenizou a equipe da cooperativa em Venâncio Aires pela dedicação e comprometimento na organização do evento.

A celebração, prestigiada também pelo prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert e pelo prefeito de Vale Verde e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp), Carlos Gustavo Schuch, foi abrilhantada pela performance do Coral São Martinho, de Vila Palanque,  e pela participação especial da colaboradora da Sicredi de Rio Pardo, Vanessa Gaedke, acompanhada pelo tecladista Robson Bittencourt, interpretando ‘Aleluia’. “Momento de louvar e agradecer por esta nossa história. E também de pedir forças para que possamos deixar o nosso legado e não nos afastar da nossa essência, de seguir unindo forças e cooperando para gerar prosperidade e bem-estar para as nossas comunidades”, completou Petry.

 

Programação

  • No sábado, 21, data da fundação da cooperativa, será realizada uma grande solenidade festiva, no Pavilhão Central do Parque da Oktoberfest, em Santa Cruz do Sul, com a participação de coordenadores de Núcleos, conselheiros, dirigentes, autoridades e convidados.
  • Na quinta-feira, 26 , ocorre a palestra ‘A Vida que Vale a Pena ser Vivida’, com o jornalista e professor Clóvis de Barros Filho, no Auditório Central da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), a partir das 19h30min.
  • Já no dia 1º de outubro, está marcada mais uma celebração ecumênica na Catedral São João Batista, em Santa Cruz do Sul, a partir das 19h.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Assessoria de Imprensa
Foto: Rosilene Müller

Compartilhar

Tradicionalistas são homenageados pelo Legislativo

Publicado em 18/09/2019 às 08h37

Por solicitação do vereador Clécio Espíndola, o Galo (PTB), a sessão da Câmara foi realizada, nesta segunda-feira, 16, no Palco Super Lenz, no Parque Municipal do Chimarrão. A iniciativa teve como objetivo inserir o encontro do Legislativo na programação da Semana Farroupilha. De acordo com o vereador, “é preciso reconhecer o trabalho realizado pelas entidades tradicionalistas, especialmente com os jovens”.

Aproveitando a ocasião, e também por sugestão de Galo, a Câmara prestou homenagens aos peões e prendas da 24ª Região Tradicionalista (24ª RT) gestão 2019/20. Além de gaúchos e gaúchas da Capital do Chimarrão, foram destacadas as presenças de representantes de entidades tradicionalistas de Lajeado, Arroio do Meio e Encantado. Ainda foi reconhecida Marina Mayer, 1ª Prenda da 24ª RT gestão 2018/19.

A coordenadora da 24ª RT, Luce Carmen Mayer, elogiou a proposta da Câmara, destacando que “o reconhecimento do Legislativo a estas crianças e jovens ficará marcado na vida deles”. Ela também destacou o histórico de títulos conquistados pelos tradicionalistas de Venâncio Aires e 24ª RT, o que torna ainda mais importante a valorização das ações tradicionalistas. “Entendo que é fundamental o conhecimento sobre o que acontece dentro dos nossos galpões. As dificuldades são superadas com a dedicação de todos”, disse.

 

Moções e mais homenagens

  • Os vereadores também aprovaram por unanimidade, na sessão desta segunda-feira, 16, duas moções e três outras homenagens, que serão prestadas no próximo encontro do Legislativo, marcado para segunda-feira, 23.
  • O vereador André Puthin (MDB) requer que seja encaminhada ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, uma Moção de Repúdio à proposta de retirada da imunidade de contribuições previdenciárias de entidades educacionais beneficentes de assistência social, apresentada no relatório do Senador Tasso Jereissati à PEC 06/2019 (Reforma da Previdência).
  • O vereador Ciro Fernandes (PSC) requer que seja encaminhada à Universidade do Vale do Taquari (Univates), uma Moção de Aplauso pelo fim do uso de copos, canudos e mexedores plásticos, nas dependências da universidade.
  • Por sugestão da vereadora Sandra Wagner (PSB), a Câmara homenageará a cooperativa de crédito Sicredi, pelos 100 anos de história completados no dia 21 de setembro; Ademar Biguelini, por ter sido premiado na 42ª Expointer, com o primeiro lugar em duas categorias com suas aves; e Edson Ricardo Schwendler, por ter sido premiado na 42ª Expointer, com o primeiro lugar na qualidade do seu mel, no 8º Concurso de Produtos da Agroindústria Familiar, promovido pelo Programa Estadual da Agroindústria Familiar (PEAF).

 

Ordem do dia

  1. Projeto de Lei número 139/2019, do Executivo, reedita a lei 5.377, de 25 de setembro de 2013, que estabelece critérios para o pagamento de despesas de representantes oficiais do Município. Aprovado por unanimidade.
  2. Projeto de Lei número 142/2019, do Executivo, autoriza a abertura de crédito suplementar por anulação de dotação orçamentária. Aprovado por unanimidade.
  3. Projeto de Lei número 148/2019, do Executivo, altera nomenclatura, atribuições e demais requisitos para o provimento de cargos integrantes do Quadro Geral do Município de Venâncio Aires. Aprovado por unanimidade.
  4. Projeto de Lei número 149/2019, do Executivo, altera nomenclatura, atribuições e demais requisitos para o provimento de cargos integrantes do Quadro da Saúde do Município de Venâncio Aires. Aprovado por unanimidade.
  5. Projeto de Lei número 151/2019, do Executivo, autoriza contratação temporária por excepcional interesse público, de técnico administrativo com carga semanal de 40 horas, pelo prazo de um ano, prorrogável por igual período. Aprovado por unanimidade.
  6. Projeto de Lei número 146/2019, do Executivo, autoriza o Poder Executivo a conceder incentivo à empresa Evaporsul Indústria de Climatizadores Evaporativos Ltda. Aprovado por unanimidade.
  7. Projeto de Lei número 150/2019, do Executivo, autoriza o Poder Executivo a permutar bens imóveis localizados em Venâncio Aires. Aprovado por unanimidade.

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Carlos Dickow

Compartilhar

Decisões do STF preocupam o produtor sobre futuro do tabaco

Publicado em 18/09/2019 às 08h34

Duas liminares conquistadas por uma empresa cigarreira de São Paulo e pelo Sindicato Interestadual das Indústrias do Tabaco (SindiTabaco), em primeira instância, que desautorizavam a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a proibir o uso de aditivos no cigarro brasileiro, foram derrubadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF), na semana passada.

Segundo o presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco, Romeu Schneider, a decisão gera incerteza para a indústria do tabaco e causa preocupação aos fumicultores. “A liminar é uma realidade e a decisão final sempre é do STF”, salienta, acrescentando que as liminares proíbem o uso de aromatizantes na fabricação de cigarros pelas indústrias brasileiras. Schneider observa que diversas entidades ingressaram com pedido de liminar para poderem continuar operando, pois é muito complicado manter o mercado funcionando enquanto não houver uma mudança radical na maneira de fabricar os cigarros. Hoje, destaca o dirigente, para poder utilizar os três tipos de tabaco que são produzidos, é de extrema importância o uso de aditivos para poder equilibrar os sabores e diferenciar as marcas. “Os fumicultores serão prejudicados porque o mercado legal está sendo reduzido. O mercado ilegal está crescendo porque se sabe que tipo de matéria-prima ele usa para fornecer e atender os seus consumidores.”

“No momento em que apresentarem um cultura que proporcione a mesma renda para o agricultor familiar, com certeza, vou parar de plantar tabaco.”, JAIR DIAS DE OLIVEIRA – Fumicultor

 

Fumicultor

“Ninguém é obrigado a fumar, o que é uma escolha pessoal de cada um. Não defendo os fumantes, e sim, os fumicultores que, na sua quase totalidade, têm no tabaco a principal ou a única fonte de renda da propriedade”, afirma o produtor Jair Dias de Oliveira, morador de Linha Canto do Cedro. Ele acentua que se as liminares continuarem a ser favoráveis à Anvisa, em poucos anos, não vai mais ter ninguém produzindo tabaco e com isso, será instalado o caos no interior, pois quem produz, o faz porque ainda é a cultura que proporciona a melhor renda por hectare e é a mais indicada para a pequena propriedade rural.

Nesta safra, Oliveira tem plantados 70 mil pés, quantia que vem mantendo nos últimos anos e não reduz por causa dos investimentos feitos e devido ao rendimento que proporciona. Porém, não descarta reduzir se as campanhas antitabagistas continuarem combatendo a cultura. O fumicultor acredita que vai iniciar a colheita no prazo de 15 a 20 dias e, com o atual estágio de desenvolvimento da cultura na lavoura, Oliveira estima colher em torno de 800 arrobas. Porém, isto também depende das condições climáticas favoráveis até o fim do ciclo da cultura. Na safra passada, ele teve 100% de perda em função do granizo registrado no início do mês de novembro.

 

Proibição do uso de aromatizantes afeta os cigarros tradicionais

“Além de atingir os cigarros com sabores especiais, como os mentolados, por exemplo, a proibição da Anvisa atinge, também, os tradicionais, apesar de os mais visados serem os saborizados, como os que têm sabores de frutas, de chocolate, os mentolados”, salienta Schneider. Mas, hoje, continua ele, o cigarro diferenciado do tradicional, o mentolado, é mais consumido, mas não numa quantidade tão grande que isto possa ter uma influência ou um prejuízo muito grande. “O problema maior é que isto atinge o cigarro tradicional e neste não poderão ser usados diversos aditivos e que já fazem parte há décadas, desde que começou a ser introduzido o sistema American Blend na preparação das marcas de cigarros no Brasil.”

 

Mercado ilegal

Schneider frisa que atualmente, o tipo de tabaco utilizado para a fabricação dos cigarros e complementação é o American Blend, composto pelo Virgínia, que é a principal variedade; de 20% a 25% do Burley e mais em torno de 5% da variedade Oriental, que atualmente é totalmente importado – no passado, havia uma produção em pequena escala na região Nordeste do Brasil.

Para fazer o American Blend, precisa destas três variedades de tabaco. É possível fabricar cigarros tipo American Blend, ou seja, com o cigarro que é consumido no Brasil, historicamente, somente com o tabaco Virgínia, mas aumentaria muito o custo deste cigarro e nem todo o sistema técnico está adaptado para fazer isso.

“Com a cassação das liminares, o STF não se dá conta que está dando aval para o mercado ilegal de cigarros, que hoje já soma em torno de 60% no Brasil.”, ROMEU SCHNEIDER – Presidente da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco

Schneider reforça que todo mercado consumidor, certamente, se voltará para o consumo de cigarros contrabandeados, pois estes vêm para o Brasil com os aditivos e continuam conseguindo encontrar mercado, pois o consumidor quer aquilo que ele está habituado, aquilo que ele gosta, o sabor e o aroma que ele está procurando e eles estão presentes no cigarro contrabandeado. “Enquanto isso, no Brasil, está se trabalhando muito fortemente por meio do sistema judicial, de impedir que seja fabricado e fornecido este tipo de cigarro. Isto foi uma determinação da Anvisa, a qual é muito ruim para o mercado e enquanto não houver uma decisão definitiva, ainda se consegue trabalhar com liminares e é assim que o mercado está funcionando neste momento. Porém, isto não é uma segurança e com certeza, será uma dificuldade para o mercado brasileiro de produção de tabaco.”

 

Liminares

Empresas e entidades podem ajuizar novas ações contra a decisão da Anvisa, o que segundo Schneider, é possível e, por isso, o mercado ainda está funcionando desta forma. “É uma preocupação muito grande pois sempre se tem a insegurança. Não se sabe o que vai acontecer amanhã ou depois, porque o STF vai se reunir e terminar com a liminar que está lá. E enquanto não mudarem os titulares no STF que decidem isso, não há perspectiva de ter uma direção diferente no caminho destas decisões”, destaca.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Edemar Etges

Compartilhar

Expoagro Afubra 20 anos define tema

Publicado em 18/09/2019 às 08h32

Valorização do agricultor: do campo à cidade. Este é o tema central da 20ª Expoagro Afubra, maior feira do Brasil voltada à agricultura familiar, que ocorrerá de 18 a 21 de março de 2020. Segundo o coordenador geral da Expoagro Afubra, engenheiro agrônomo Marco Antônio Dornelles, o tema visa a valorização do produtor rural, desde a produção até a comercialização de seus produtos.

“Pretendemos mostrar o caminho que a produção faz a partir do momento em que é produzida nas propriedades rurais até chegar às casas dos consumidores finais. Queremos mostrar a importância das comunidades rurais e a sua relação com o meio urbano”, explica Dornelles.

Para isso, a Expoagro Afubra 2020 será realizada durante quatro dias, estendendo-se até o sábado, 21 de março. “Vamos unir duas datas importantes: os 20 anos da Expoagro Afubra e os 65 anos da entidade, e proporcionar um dia a mais para que também o público das áreas urbanas possa prestigiar a feira”, finaliza o coordenador da feira.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Edemar Etges

Compartilhar

Assinado contrato para retomar a reforma da Praça da Matriz

Publicado em 17/09/2019 às 16h39

A ‘novela’ envolvendo a reforma da Praça da Matriz ganha novos capítulos. Foi assinado o contrato com a nova empresa que prosseguirá as melhorias e obras de revitalização, a Progetto Sul, de Lajeado. A notícia foi comemorada pelo prefeito Giovane Wickert.

Ele informou que a documentação já foi enviada para análise da Caixa Econômica Federal, que é a responsável pelo financiamento e por acompanhar as etapas da obra. Além disso, Wickert informou que foi solicitada prioridade para essa análise, justamente pelo tempo em que o investimento já vigora. “Esperamos conseguir retomar as melhorias o quanto antes”, informou.

 

SAIBA MAIS

A primeira tentativa de reformar a praça culminou com licitação deserta. A revitalização no principal espaço público da região central de Venâncio Aires iniciou, no entanto, em 5 de dezembro de 2018. A obra era de responsabilidade da empresa Dettenborn & Cia Ltda, de Venâncio Aires. Contudo, a construtora rescindiu o contrato com a Prefeitura por causa da demora para receber pagamentos referentes a etapas cumpridas e insegurança para a sequência da intervenção. A empresa que agora assume o resto do projeto ficou em segundo lugar durante o processo licitatório.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Cristiano Wildner
Foto: Carlos Dickow

Compartilhar

Câmara de Vereadores realização sessão para marcar Semana Farroupilha

Publicado em 17/09/2019 às 16h38

Além da votação dos projetos de lei, a sessão da Câmara de Vereadores desta segunda-feira, 16, foi especial. A reunião ordinária ocorreu no Parque Municipal do Chimarrão para marcar a Semana Farroupilha. A atividade foi realizada no Palco Super Lenz e contou com homenagens aos integrantes do movimento tradicionalista.

Por meio de solicitação do vereador Clécio Espíndola (PTB), as atividades parlamentares foram realizadas no parque para marcar as comemorações de 20 de setembro. Durante as atividades, os vereadores prestaram homenagem às prendas e peões da 24ª Região Tradicionalista. Além disso, Marina Mayer recebeu o reconhecimento, por meio de certificado, pela indicação a primeira etapa do troféu “Jovens de agora, valores de outrora, apresentando Jovens Lideranças.”

A sessão especial não contou com período de comunicações. O encontro do Legislativo foi acompanhado por membros dos CTGs de Venâncio Aires, Encantado, Arroio do Meio e Lajeado.

 

Fonte: Olá Jornal

Compartilhar

Gabinete da Primeira-Dama oferta aulas de dança gratuitas para a Melhor Idade

Publicado em 17/09/2019 às 16h36

O Gabinete da Primeira-Dama passa a oferecer aulas de dança para a Melhor Idade. As aulas serão realizadas nas terças e quintas-feiras, das 8h30min às 9h30min, na Sociedade de Leituras. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no clube no dia da primeira aula que ocorre nesta quinta-feira. As aulas serão ministradas pela professora Eliane Turcatto.

 
Compartilhar

Escola Leontina participa da IV Mostra de Projetos promovida pela 6ª CRE

Publicado em 17/09/2019 às 16h34

A Escola Estadual de Ensino Fundamental Professora Leontina teve projeto selecionado para participar da IV Mostra de Projetos promovida pela 6ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE). O projeto ‘Reciclagem que vira corpo: O Lixo que Cria Corpo’, foi realizado por todos os alunos do 8º ano e representado no evento regional pelos alunos Natali Ferreira e Natanael Florentino Schuster e pela professora de Ciências e orientadora Leila Ivana Nyland Baierle. A apresentação ocorreu dia 5 de setembro, na Feira do Livro de Santa Cruz do Sul.

O projeto buscou apresentar o corpo humano, como ele é formado, bem como, toda a complexidade do seu funcionamento. Com o reaproveitamento de materiais reciclados, lixo e sucata, os próprios alunos confeccionaram maquetes do corpo humano.

No retorno da Mostra, os participantes foram recebidos com aplausos na escola. A direção da escola desatacou que os alunos e a professora orientadora tiveram a oportunidade de mostrar um pouco do trabalho realizado na Escola Leontina, bem como, conhecer projetos desenvolvidos pelas demais escolas participantes.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Foto: Divulgação

Compartilhar

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||