Notícias - Geral

Personagem assustador, Momo preocupa pais novamente

Publicado em 19/03/2019 às 07h37

Segundo relatos, Momo diz para crianças cortar profundamente os pulsosNesta segunda-feira, 18, mais uma vez, as redes sociais receberam um turbilhão de publicações de pessoas preocupadas com os conteúdos que estariam disponíveis no Youtube Kids. Relatos de pais dão conta que vídeos direcionados ao público infantil seriam interrompidos pela imagem da personagem Momo - que surgiu de forma desconhecida incitando crianças ao suicídio - influenciando crianças a cortarem os pulsos.

O vídeo estaria disponível em vários idiomas e a personagem, segundo denúncias de pais, diz para as crianças procurarem por objetos cortantes e não contarem para os pais. Caso contrário, ela iria até o quarto delas à noite.

Embora circule muitas mensagens pelo WhatsApp, até esta segunda-feira não havia nenhuma evidência concreta de que tenha circulado na plataforma YouTube Kids. No entanto, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) notificou o Google e o WhatsApp para que removam das redes sociais conteúdos que exibam imagens da boneca Momo.

Segundo publicação da Revista Crescer, uma mãe teria mostrado a personagem para a filha, que disse ter visto o vídeo três vezes e estar com medo. O Youtube se pronunciou sobre o fato para a Revista Crescer ontem. O departamento de comunicação do Youtube Kids - aplicativo lançado em 2016 para atender a demanda a respeito de segurança do conteúdo infantil - garante que vídeo assustador não está em seu conteúdo. "Muitos de vocês compartilharam suas preocupações conosco nos últimos dias sobre o Desafio Momo - prestamos muita atenção nisso. Depois de muita análise, não vimos nenhuma evidência recente de vídeos promovendo o Desafio Momo no YouTube. Vídeos incentivando desafios prejudiciais e perigosos são claramente contra nossas políticas, incluindo o desafio Momo', dizia a resposta.

Em entrevista à Revista Crescer, o gerente de comunicação do YouTube, Cauã Taborda, afirma que o conteúdo do YouTube Kids não é passível de ser burlado ou hackeado. 'Para que um hacker ou qualquer pessoa mal intencionada possa fazer uma alteração grave dessas nos vídeos já existentes, seria necessário que ela retirasse o vídeo do ar e fizesse novamente o upload no aplicativo. Mas ainda assim ele seria barrado', garantiu. Ele também observou que além da análise automática, também é realizada a curadoria humana feita por mais de 10 mil pessoas.

O Ministério Público do RS se manifestou orientando as famílias a tomarem cuidado. Segundo a coordenadora do Centro de Apoio da Infância e Juventude, Denise Villela, se algum pai ou responsável verificar alguma evidência ou identificar o contato com a Momo, deve procurar e denunciar a situação para a autoridade policial ou Ministério Público mais próximo.

 

CONTROLE DOS PAIS

Conforme a pedagoga e Mestre em Educação pela Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Fernanda Rosa, a atenção e supervisão dos pais referente ao conteúdo que o filho acessa na internet é fundamental para evitar problemas. Veja algumas dicas.

1 Supervisionar o acesso do seu filho e determinar o tempo de navegação é muito importante.
2 Mantenha o diálogo aberto e de confiança com seu filho, se interesse pelas coisas que ele assiste.
3 Bloqueie sites que julgue que não são adequados para a idade do seu filho, evitando conteúdos impróprios.
4 Estabeleça uma rotina de pelo menos duas vezes por semana tirar seu filho dos aparelhos eletrônicos e brincar com jogos de tabuleiro com ele. Além de benefícios cognitivos, será um excelente momento de interação da família. 
5 Explique para seu filho que nem todas as informações da internet são seguras e que não se pode confiar em todas as pessoas.
6 Oriente a não manter amizades virtuais com quem não conhece pessoalmente, nem mesmo fornecer contatos.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos: Cassiane Rodrigues 

 
Compartilhar

Conselho paroquial define as datas da 144ª Festa de São Sebastião

Publicado em 19/03/2019 às 07h35

Casais festeiros se apresentaram e solicitaram apoio dos líderes para a organização da festaDurante a reunião realizada na noite da sexta-feira, 15, no Centro de Evangelização, o Conselho Paroquial de Evangelização da Paróquia São Sebastião Mártir definiu os dias 17 a 20 de janeiro de 2020, para a realização da 144ª Festa de São Sebastião Mártir.

Na oportunidade, os casais festeiros Márcio Henrique e Lisete Weyh Klock; Artur José e Maria Cristina de Oliveira Alves; e, Décio Luís e Sandra Beatris Berté Wagner, se apresentaram, agradeceram a confiança neles depositada para assumirem a missão, solicitaram o apoio de todas as lideranças para a organização dos festejos em honra ao padroeiro e, prestaram contas do trabalho de divulgação que vêm fazendo desde a noite do dia 20 de janeiro último, quando foram apresentados e empossados.

Os festeiros também solicitaram o apoio à campanha que os festeirinhos já começaram a desenvolver e que consiste na arrecadação de latinhas, vidros de conserva, plásticos, garrafinhas, potes e tampinhas. Os festeirinhos estão empenhados em realizar um bela ação social e os materiais arrecadados podem ser levados para a secretaria da paróquia.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e Foto: Edemar Etges 

Compartilhar

IFSul Campus Venâncio Aires abre vagas para professores substitutos

Publicado em 18/03/2019 às 11h25

O campus Venâncio Aires do IFSul está com inscrições abertas para professores substitutos. As vagas são para pedagogia e biologia, com uma vaga disponibilizada para cada uma das áreas.

A habilitação exigida para pedagogia é licenciatura plena em pedagogia com habilitação em supervisão escolar; licenciatura em pedagogia com especialização/pós-graduação em supervisão escolar, gestão escolar/educacional ou pedagogia gestora.

Já para biologia, a habilitação exigida é licenciatura em ciências biológicas.

Interessados nas vagas podem se inscrever até o dia 21 de março. O valor da taxa de inscrição é de 40 reais.

O atendimento no Campus ocorre na segunda, terça, quarta e sexta-feira, das 14h às 18h; quinta-feira das 16h às 20h.

As inscrições devem ser feitas no próprio campus Venâncio Aires, situado na Avenida das Indústrias, 1865. A seleção será feita com uma prova de desempenho. Participarão desta etapa somente os 10 primeiros candidatos selecionados por meio de análise de currículo. Havendo 10 ou menos candidatos inscritos, não haverá análise de currículo e todos poderão realizar a prova.

 

Fonte: Portal RVA

Compartilhar

Lançamento do Grito de Alerta ocorre nesta terça-feira com destaque para políticas públicas que valorizem a Agricultura

Publicado em 18/03/2019 às 11h24

As estratégias de mobilização de trabalhadores rurais serão apresentadas à comunidade nesta terça-feira, 19, durante evento em Santa Cruz do Sul. Será realizado o lançamento do 9º Grito de Alerta, que está marcado para ocorrer em 15 de maio. Neste ano, o evento terá como foco 'A valorização da Agricultura Familiar, Previdência Social e Políticas Públicas'.

O objetivo é alertar não só agricultores, mas a comunidade de uma forma geral, segundo o coordenador da Macro Regional Centro/RS da Fetag, Diego Kiefer Moreira. Ele ressalta a contrariedade a determinados pontos da reforma na previdência, ainda em tramitação, como um dos principais focos de reivindicação. Além disso, terão ênfase assuntos como a perda de direitos da agricultura com o passar dos anos.

O lançamento do Grito de Alerta ocorre nesta terça, junto à sede do Esporte Clube Avenida. O evento inicia às 9h e deve reunir autoridades e dirigentes sindicais. A mobilização envolve quatro regionais, com cerca de 50 sindicatos de mais de 60 municípios gaúchos. Entre os participantes, está o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Venâncio Aires. 

 

Fonte: Portal RVA
Foto: RVA

Compartilhar

Trabalhadores serão conscientizados sobre perdas na Reforma da Previdência

Publicado em 18/03/2019 às 11h22

Os trabalhadores de Venâncio Aires receberão nos próximos dias material de conscientização sobre os prejuízos que terão com a Reforma da Previdência. Trata-se de perdas imediatas, benefícios concedidos que serão cortados tão logo seja aprovada. A estimativa é de que sejam mais de R$ 11 milhões somente com o corte no abono do PIS.

O material assinado pelo Comitê Suprassindical será distribuído aos trabalhadores do campo e da cidade para que tomem conhecimento de que forma serão atingidos. O grupo formado pelos representantes das categorias do fumo, alimentação e afins, rurais, metalúrgicos e calçadistas

ganha ainda mais força com a adesão do sindicato dos comerciários que passa a integrar o comitê. O vice-presidente, Marcos Azeredo, e a diretora, Ariane Bernardes participaram da última reunião do comitê realizada nesta quinta-feira, 14, quando os dirigentes definiram as próximas ações.

Para Azeredo, a reforma prejudica diretamente o comércio tanto o trabalhador comerciário como o empresário com a redução do poder de compra da população. Ele afirma que cerca de 800 comerciários em Venâncio Aires serão atingidos com a perda do abono do PIS. “Estamos felizes em fazer parte do comitê que tem um papel importante na conscientização do trabalhador. Este é o nosso papel, onde tem luta dos trabalhadores nós estamos junto”.

 

MOBILIZAÇÃO

Além da panfletagem, as entidades estarão mobilizadas no dia 22 de março quando haverá uma ação nacional em defesa da previdência e da aposentadoria. Um posto de informações será montado na Praça Matriz durante todo o dia onde os dirigentes estarão distribuindo o material, além do comércio e das fábricas, e esclarecendo a população do que vai mudar caso a proposta da reforma seja aprovada. De acordo com a diretora do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Sandra Wagner, o

momento é importante para acordar o trabalhador que não está se dando conta do quanto perderá. “É um dia de luta para levar esta informação pois afetará de imediato a vida do trabalhador. Por isso estamos unindo o campo e a cidade em favor dos trabalhadores.”

 

Fonte: Olá Jornal 

Compartilhar

Município vai repassar terreno à Aacemuc, mantenedora do campus Uninter em Venâncio

Publicado em 18/03/2019 às 11h20

O sonho de construção de um prédio próprio para Associação dos Amigos do Centro Municipal de Cultura (Aacemuc) dará mais um passo. Nesta quinta-feira, 14, a Prefeitura de Venâncio Aires encaminhou ao Legislativo projeto de lei autorizando o repasse de área à entidade venâncio-airense, que também é a mantenedora do campus universitário da Uninter.

O complexo educacional e cultural da Aacemuc é aguardado há pelo menos três anos. O terreno de 10 mil metros
quadrados está localizado no bairro Aviação e ficará ao lado de outra área doada ao Senai para a construção de uma nova escola técnica. O projeto de lei autorizando o repasse deve ser votado até o fim do mês de março.

Em Venâncio Aires atualmente a Uninter oferece 99 cursos de graduação e 130 de pós-graduação, atendendo 1.050 acadêmicos. A proposta de construção de um complexo educacional permitirá ampliar a oferta de cursos, garantirá espaços para a realização de aulas e oficinas, além de contar com auditório para eventos.

 

Fonte: Olá Jornal 

Compartilhar

Vitor Vogt, um jovem escritor

Publicado em 18/03/2019 às 08h12

Jovem se orgulha do texto publicado entre 250 obras de todo o paísO número sete é símbolo na vida de Vitor Augusto Vogt, 21 anos. Coincidência ou não, várias fases da vida, momentos importantes, têm relação com o algarismo. Desde o nascimento, no dia 7 de outubro de 1997, até a página do livro no qual sua prosa poética foi publicada: 377.

Com o título 'Porque não choro em público', o texto de Vitor integra a coletânea Poetize 2019, organizada pela Vivara Editora Nacional. 'É gratificante ver o livro com um texto meu. Sempre tive insegurança com a minha escrita, achava que não era boa o suficiente, sempre me cobrei muito, agora vi que realmente tenho talento, estou sendo valorizado, é uma força para continuar', diz.

O morador do bairro Aviação estava em um dia qualquer atualizando as redes sociais, quando um anúncio no Instagram apareceu novamente. 'Aquele anúncio já estava há vários dias na minha tela, tirei um print para depois, com calma, verificar o conteúdo', comenta. E foi o que Vitor fez, acessou o site do concurso Poetize e, com as inscrições prestes a serem encerradas, resolveu concorrer enviando a sua prosa poética.

O concurso permitia o envio de até dois textos por autor, de todo o país. Porém, Vitor decidiu arriscar com um só. Foram 2.103 textos enviados para o concurso, apenas 250 seriam selecionados. No dia da divulgação dos finalistas, o jovem acessou o site e não encontrou o nome. 'Eu pensei: não foi dessa vez. Mas, dias depois, recebi um e-mail me parabenizando pela seleção da poesia. Vi que não tinha pesquisado direito', relembra, aos risos.

 

INCENTIVO

O estudante de Produção em Mídia Audiovisual (PMA) salienta a colaboração da família. 'Eles me apoiam muito e, com certeza, sentem orgulho de mim. E a aprovação da editora gerou mais confiança, era o que eu precisava para acreditar e mostrar meu trabalho', afirma.

 

Inspiração desde criança e um estímulo do exterior

Vitor lembra que na 4ª série a professora pediu que ele fizesse um livro com imagens e poesias. 'Ela deixou livre, poderíamos criar as poesias ou readaptar as conhecidas. Foi nesse momento que decidi escrever.'
Já com 13 anos, Vitor queria compartilhar suas obras e pesquisou na internet um local adequado. 'Decidi me cadastrar no Recanto das Letras, um site onde muitas pessoas compartilham seus trabalhos. Meus primeiros textos e poemas não eram algo que eu estava sentindo, mas sim, o eu lírico, as poesias eram base da minha percepção sob determinado assunto', esclarece.

O acadêmico começou a compartilhar suas produções, até que, em um dia qualquer, um professor da França, Michel Gaillard, leu a poesia de Vitor no site e o encorajou a publicar seus textos em livros, apresentando editoras a ele. Após muita pesquisa, Vitor decidiu participar de concursos. Hoje, o universitário já aguarda o próximo livro que está sendo diagramado. 'Por intermédio desse professor, escrevi 12 crônicas que já foram revisadas pela editora 'Palavra é arte' e estão em fase de diagramação. Nos próximos meses, terei em mãos mais um livro com textos meus', orgulha-se.

O jovem escritor não esconde a alegria das produções. Ele salienta que já está trabalhando e escrevendo um romance. 'Agora estou confiante o necessário para arriscar, escrever e enviar o material para uma editora.'

O rapaz relembra que desde pequeno queria trabalhar com cinema, por isso, escolheu cursar PMA. 'Me identifico com o roteiro, tenho muitas ideias. E na direção também, imagino a cena e coloco ela em prática, acredito que isso facilita na hora de escrever. Busco inspiração, procuro o sentimento mais intenso e a forma de expor ele é, sem dúvidas, escrevendo', finaliza.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e Foto: Rosana Wessling 

Compartilhar

Quando o amor e a possibilidade de cura levam ao mesmo destino

Publicado em 18/03/2019 às 08h10

Camila e Régis se conheceram em retiro para tratamento alternativo contra o diabetes em São João da Boa Vista/SPFoi a esperança de cura que levou-a ao encontro do amor. A possibilidade de deixar de lado a insulina diária trouxe a artista, também, a Venâncio Aires. E foi aqui, na Capital Nacional do Chimarrão, que Camila Lagoeiro, 31 anos, encontrou a esperança de dias melhores, de uma vida longa e feliz.

Desde que foi diagnosticada com diabetes tipo 1, aos 11 anos de idade, ela segue em tratamento ininterrupto para a doença. Doses diárias de insulina são necessárias toda vez que ingere algum alimento. Os médicos foram enfáticos no diagnóstico: não há cura. Mas Camila queria mais respostas, mais possibilidades. 'Eu pensei: não é possível que eu seja obrigada a conviver com isso por toda a minha vida. Eu não nasci para ser condenada ao diabetes', ressalta.

Natural de Campinas, no estado de São Paulo, Camila morava com a família na cidade natal. Em busca de cura para a doença, em uma pesquisa na internet, encontrou a esperança. O médico Yamil Chihuantito, que atende em São João da Boa Vista (também em São Paulo), estava recrutando pessoas para um retiro de 30 dias. O profissional defende que o diabetes pode ser revertido por meio de uma alimentação vegana, com ingestão exclusiva de alimentos crus.

A possibilidade de cura fez com que Camila não pensasse duas vezes na proposta. Entrou em contato com o médico e foi participar do retiro no local que ficava 124 quilômetros de distância de onde morava. Junto dela, mais duas mulheres com diabetes tipo 2 e uma com obesidade mórbida.

Foi durante o retiro que Camila conheceu o santa-cruzense Régis Silveira, 32 anos, que reside em Venâncio Aires há 24. Ele é enfermeiro e fazia parte da equipe de atendimento às pacientes durante todos os dias de retiro. É por isso que o tratamento alternativo trouxe mais que a possibilidade de cura para Camila, trouxe também o amor. Os dias de tratamento terminaram, mas o namoro continuou. 'A minha vantagem é que trouxe o enfermeiro pra casa', brinca.

Régis foi até Campinas depois do retiro e ficou uma temporada pela região ministrando workshops de culinária crudivegana (alimentação vegana e crua). Foi em dezembro de 2018 que Camila decidiu vir morar em Venâncio Aires. Ela trabalhava havia 10 anos em uma editora, fazendo ilustração de livros infantis, mas com a baixa do mercado editorial nos últimos tempos, o quadro de funcionários precisou ser diminuído. 'Meu chefe me chamou para um acordo e eu percebi que era hora de novos rumos', conta.

 

Registro da história do município por meio da arte

As habilidades com desenho e pintura surgiram naturalmente, desde a infância. 'Sou pintora e desenhista desde que me conheço por gente', relata Camila. Ela participou de concursos de artes em Campinas e desde o tempo de escola ganhou prêmios. 'O videogame e computador que tenho foram prêmios de concurso', diz.

Em 2006, ingressou na Faculdade de Artes Visuais da Pontifícia Universidade Católica (PUC Campinas). Depois disso, fez também uma pós-graduação na área de artes pela Universidade de Campinas (Unicamp).

Camila já fez exposições de seus trabalhos em salões de arte no Piauí e em Buenos Aires. Suas obras compõem desenhos com traços suaves, pinturas e técnica "lettering", que são letras desenhadas.
Desde que chegou ao município, a artista busca referências locais para suas peças. Primeiro, ela pintou a imagem de São Sebastião Mártir, uma peça que estima que levou 25 horas para concluir.

Agora, finaliza o desenho de Venâncio Aires, o jornalista brasileiro e precursor das ideias republicanas e abolicionistas que dá nome ao município. 'Minha intenção é ajudar de alguma forma a comunidade com esse trabalho, ter a imagem de quem deu nome ao município', comenta. Ela diz que ao pesquisar não encontrou imagens realistas de Venâncio.
A intenção, agora, é registrar os pontos turísticos da Capital do Chimarrão. 'Tem tantos lugares lindos aqui, quero fazer o registro deles', diz.


PLANOS

1 Recentemente, Camila firmou uma parceria para ministrar aulas de desenho no Espaço das Artes. Bailarina de dança do ventre, procura também onde atuar com a modalidade no município.
2 Ela quer continuar a produzir e já se informou para adquirir a carteira de artesão e comercializar seus trabalhos em eventos. Hoje, muitas das peças são vendidas por meio da conta na rede social Instagram (camilalagoeiro.art).
3 Camila se sente feliz e realizada no lugar que escolheu para viver que, segundo ela, é muito inspirador. 'É um lugar que eu sempre sonhei. Em cidade grande parece que a arte perdeu o coração, a essência', relata. Ela diz que aqui sente que o trabalho feito à mão é valorizado, enquanto que onde vivia a tecnologia predomina.

 

'Venâncio é uma cidade inspiradora, muito propícia para trabalhar com artes.'
CAMILA LAGOEIRO - Artista plástica

 

A alimentação para a cura

Camila não come carne há oito anos, mas desde que participou do retiro a alimentação passou a ser totalmente vegana e com alimentos crus. O namorado, Régis, também é vegano e come vegetais crus há mais tempo.

Ela conta que as outras pacientes que fizeram o retiro tinham um tipo de diabetes menos agressiva e, com a mudança na alimentação, ficaram inclusive sem utilizar medicamento durante o tratamento. 'Eu ainda não consegui deixar de usar medicamentos, mas já percebi uma evolução muito grande', conta. Ela diz que se sente mais disposta, percebeu melhora na visão e na circulação, pois antes ficava muito inchada. 'Minha alimentação é baseada em frutas, vegetais e sementes, tudo cru', afirma.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e Foto: Cassiane Rodrigues

Compartilhar

Oito escolas municipais participam do Projeto Verde é Vida da Afubra

Publicado em 18/03/2019 às 08h07

ANO LETIVO Lançamento ocorreu durante reunião ocorrida na manhã de ontemDesde a sua criação no ano de 1991, seis escolas da Rede Municipal de Ensino participam do Projeto Verde é Vida, programa de ação socioambiental da Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra). A partir deste ano, mais duas escolas se integram ao projeto, que teve o lançamento ocorrido na manhã da quinta-feira, 14, na sede da filial da Afubra de Venâncio Aires, durante a reunião pedagógica de abertura do ano letivo de 2019.

Na abertura, o tesoureiro da Afubra Marsílio Drescher, destacou as parcerias da Afubra com as Secretarias Municipais de Educação dos municípios interessados em aderir ao programa e das escolas que entendem que o mesmo é interessante e viável. Renovou o desejo que o ano de 2019 seja de muito proveito com o trabalho que será desenvolvido pelas escolas e com o envolvimento de milhares de mãos das regiões de atuação da Afubra. 'O Verde é Vida é uma história construída ao longo de 27 anos. Estamos felizes por causa da compreensão das parcerias e entendemos que somente de mãos dadas e mentes voltadas para um objetivo só, estaremos conseguindo aquilo que almejamos', frisou.

O vice-prefeito Celso Krämer, reforçou as parcerias da Administração Municipal com as mais diversas entidades, como a Afubra no Projeto Verde é Vida, salientando a preocupação da Afubra com o cuidado com a natureza. Frisou que a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Dom Pedro II, de Linha Hansel, vai representar o município durante a Expoagro Afubra, onde vai apresentar o projeto ´Manuseio de Agrotóxicos`. Defendeu a necessidade de desenvolver um trabalho do manuseio correto dos agrotóxicos, pois isto também implica na preservação do meio ambiente. Reforçou que o município é parceiro neste trabalho e que a conscientização começa pelas crianças e envolve as escolas.

 

'Aqui se inicia e renova o esforço de cada um para que o projeto colha os frutos que todos almejamos e que tenhamos êxito em nossa caminhada'.
MARSÍLIO DRESCHER - Tesoureiro da Afubra

 

'O município é parceiro da Afubra para trabalhar a preservação do meio ambiente'.
CELSO KRÄMER - Vice-prefeito de Venâncio Aires

 

Objetivo

Criado em 1991, o Projeto Verde é Vida tem por objetivo, sensibilizar sobre a importância da preservação socioambiental, tendo as escolas como principal instrumento nas comunidades onde a Afubra atua. A preservação ambiental é tema de trabalhos da entidade desde a sua fundação.

 

Saiba mais

5
é o número de municípios da microrregião da filial da Afubra que integram o Verde é Vida. São eles: Venâncio Aires, Mato Leitão, Sério, Arroio do Meio e Boqueirão do Leão.

15
é o número de regiões de atuação da Afubra.

632
é o número de escolas que desenvolvem o projeto.

184
é o total de municípios que têm escolas envolvidas com o Verde é Vida

 

Escolas - Localização

Emef Dom Pedro II - Linha Hansel
Emef Cidade Nova - Bairro Cidade Nova
Emef Dois Irmãos - Bairro Aviação
Emef Coronel Thomaz Pereira - Linha Taquari Mirim
Emef Bento Gonçalves - Estância São José
Emef Alfredo Scherer - Acesso Dona Leopoldina
Emef São Judas Tadeu - Grão Pará
Emef Narciso Mariante de Campos - Linha Tangerinas

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e Foto: Edemar Etges

Compartilhar

Selma Müller e o badalar do sino

Publicado em 18/03/2019 às 08h05

Selma executa um trabalho que não é mais realidade em comunidades vizinhas, onde o sino já toca automaticamenteCerca de quarenta passos dividem a caminhada diária de Selma Müller, 89 anos, até um local sagrado. A moradora de Linha Arroio Grande tem um compromisso, há exatos 34 anos: tocar o sino da Igreja Evangélica da localidade. Um trabalho voluntário, que faz com boa vontade e dedicação.

Tudo começou em 1949, quando Selma se casou com Kuniberto Müller e saiu de sua terra natal, Vila Santa Emília. 'Nós nos casamos na igreja da cidade, porque aqui não tinha. Os cultos da comunidade evangélica eram no Salão Riograndense, mas o casamento foi lá fora', lembra.

A agricultora aposentada conta, que em 1979 a comunidade de Linha Arroio Grande mobilizou-se para a construção de uma igreja. 'Cada sócio ajudou um pouco, com o que tinha. Eram umas vinte famílias evangélicas. E no dia 20 de abril de 1980 a pedra fundamental foi lançada', recorda.

Porém, a igreja foi inaugurada sem o sino. 'Depois de alguns anos, nós já utilizávamos a igreja e, em setembro de 1994, recebemos uma verba da Alemanha para a compra do sino e de cadeiras estofadas.' No dia 22 daquele mês, uma assembleia aconteceu, informando os sócios de uma doação da Alemanha no valor de mais de 7,5 milhões de cruzeiros, para a aquisição do sino.

 

DIE ANKUNFT DER GLOCKE *

Com a memória rica em detalhes, Selma recorda que em 1985 ocorreu a festa de inauguração do sino. 'A Annita Rosina Peiter foi a madrinha do sino e, naquele dia, nós duas juntas puxamos o sino pela primeira vez na comunidade.' Mal sabia ela, que seria convidada para realizar a atividade diariamente, pelas próximas décadas.

Ao ser questionada como aprendeu a tocar o sino, Selma enfatiza: 'É bem fácil, aprendi logo. Hoje devido minha idade, o que cansa é puxar o sino quando alguém morre, são 45 minutos. Eu puxo a corda três vezes e preciso fazer força para segurar ela, porque não pode tocar de novo, tem que dar a pausa de 10 segundos antes de tocar de novo', explica.

A idosa encara a atividade como profissão. 'As pessoas se orientam com o sino. Às 11h30min não posso falhar, pois muitos estão na roça e escutam o sino, é hora de ir para casa. Quando eu ainda ia na roça voltava especialmente no horário para avisar os vizinhos que estava na hora, eu não posso atrasar, é importante para eles.'

Além desse horário, o sino também é badalado à tardinha, nos cultos e casos de falecimentos. Antigamente, quando Selma tocava o sino pausadamente, avisando a perda de um amigo da comunidade, vinham até ela em busca de notícias. Hoje, com a tecnologia, quem toca na sequência é o telefone. Pode parecer um aviso qualquer, mas quando 'falha', a preocupação corre solta. 'Uma vez precisei ir no médico para fazer uma consulta e não voltei no horário do meio-dia, daí ligaram para minha família perguntando onde eu estava, se estava bem.'

 

*A chegada do sino


Tenho orgulho de ser a responsável pelo sino da comunidade. Nunca pensei que ia ser convidada, era nova na época. E me orgulho, de junto da Anita, ser a primeira a puxar o sino da nossa comunidade e seguir até hoje. Minha família já pediu para largar o compromisso, mas enquanto eu estiver aqui e puder, vou fazer com muito prazer e boa vontade.'
SELMA MÜLLER - Moradora de Linha Arroio Grande


Companheiro fiel nas idas à igreja

Há 7 anos, Selma Müller não puxa o sino sozinha. Ela têm um companheiro que a segue e aguarda até a conclusão do compromisso. Da cor preta com manchas brancas, o cachorro Bobi, amigo fiel da senhora, a espera no portão da igreja. 'Se a gente deixasse ele ia participar do culto, porque sempre fica aqui sentado esperando, é o meu amigo, meu xodó', enfatiza.

Apaixonada pelas lidas do campo, Selma adora ir para a roça, cultivar aipim, batata, feijão, milho e cuidar dos animais. 'Hoje tenho só um terneiro, mas gosto muito de cuidar dos meus bichinhos.'

 

Reconhecimento da Comunidade Evangélica

O pastor da Comunidade Evangélica, Lair Hessel, explica que existem muitas maneiras de servir a Deus e à comunidade. Ele enfatiza a gratidão e o reconhecimento à Selma.'A dona Selma, encontrou o seu caminho: durante anos responsabilizou-se pelo badalar do sino da Igreja Evangélica de Arroio Grande. Sabemos que ela sempre o fez com capricho, com zelo e com alegria.'

Nem sempre Selma anunciou horário e alegrias, teve dias de tristeza. 'Movimentado pelas mãos de Selma, o sino da nossa igreja badalou em dias de alegria e de regozijo: para o culto, festa, casamento e celebração de bodas. Mas anunciou também, muitas vezes, a tristeza, a despedida e o luto. Marcou, pois, pelas mãos de dona Selma, os altos e os baixos, as chegadas e as partidas de toda uma comunidade.'

 

Percepção de repórter

Hoje, Selma se recupera de problemas de saúde, ficou alguns dias sem tocar o sino, quando a atividade foi realizada pelos filhos e netos que moram próximos à idosa. A entrevista foi realizada na quinta-feira, 14, toda em língua alemã e marcou a retomada do trabalho. Acompanhada por mim, a idosa fez o trajeto até a igreja, tocou o sino e garantiu que daria sequência à atividade. 'Wenn es mir nochmal besser geht, läute ich wieder die Glocke.' Para quem não lê em alemão, segue a tradução: 'Quando eu ficar melhor vou voltar a puxar o sino.'


Cultos

O casal Müller tem cinco filhos, três mulheres e dois homens. Desde que a residência foi fixada na localidade, a participação nos cultos já fazia parte da rotina da família. 'Desde o dia que a igreja foi inaugurada nunca faltei um culto, isso é um compromisso', orgulha-se Selma.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e Foto: Rosana Wessling

Compartilhar

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||