Notícias - Geral

UPA e Samu estão há meio ano sem recursos do Estado

Publicado em 17/01/2019 às 13h21

Schwengber e Marinete creditam à gestão de recursos a condição para dar os aportesO assunto pode até ser considerado 'velho' e 'batido', mas a preocupação é bem atual e passível de reflexos em um futuro breve. E, embora o leitor não se surpreenda mais com manchetes 'negativas' relacionadas ao setor da Saúde, a partir da próxima semana são esperadas novidades. Se serão positivas ou não, fica a expectativa.

Expectativa essa do Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul (Cosems/RS), que na próxima quarta-feira, dia 23, promove uma assembleia geral em Porto Alegre. Nela, gestores municipais esperam, ansiosos, por um posicionamento do novo governo gaúcho em relação ao repasses em atraso.

Herdeiro de dívidas passadas, assim como seu antecessor, Eduardo Leite (PSDB) ainda não se pronunciou oficialmente sobre o assunto. A nova secretária estadual de Saúde, Arita Bergmann, por enquanto disse apenas que será feita uma análise dos repasses. Ela é esperada na reunião do Cosems. 'A nova secretária tem um histórico municipalista, então tenho esperança que ela veja com outros olhos nossa situação', destaca o secretário de Saúde de Venâncio Aires, Ramon Schwengber.

A preocupação de Schwengber é a mesma de tantos outros gestores, que nos últimos tempos têm visto corte de serviços e atendimentos. Em Venâncio, apesar dos atrasos nos repasses estaduais, tudo se mantém dentro da normalidade.

Só que para manter hospital, atenção básica, Samu e UPA, a Prefeitura tem bancado dois terços do sistema, na teoria, tripartite. Na teoria porque além de pagar a sua parte, o Município tem usado os recursos próprios para quitar os repasses que correspondem ao Estado. Só do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), foi R$ 1,39 milhão. Ou seja, o governo gaúcho não paga suas parcelas a estes serviços desde julho de 2018.

ATÉ QUANDO?

A condição financeira da Prefeitura, fiadora de uma conta alheia, até permitiria imaginar um pote de ouro bem guardado. Mas a realidade não tem nada de fabulosa e o que justifica esse 'deixa pra mim' da Administração é, segundo Ramon Schwengber, um rigoroso trabalho de gestão. 'Temos que ter tudo na ponta do lápis, na calculadora. É gestão, é revisão de contratos.'

Gestão essa que permitiu, conforme o secretário, bancar outra dívida estadual: os R$ 770 mil adiantados para o Hospital São Sebastião Mártir na última semana. Originalmente, o valor é referente a atrasos entre setembro e novembro de 2018. 'Não sabemos até quando vamos conseguir manter essa dívida do Estado. Não queremos instaurar o caos, mas é muito preocupante', alerta.

Ao encontro das palavras dele, a assessora administrativa da Secretaria de Saúde, Marinete Bortoluzzi, lembra que a 'gordura já foi queimada'. 'Se o Estado não começar a pagar, não sabemos até quando conseguiremos dar os aportes.' Além da revisão de recursos vinculados, ela mencionou a ampliação do Teto Financeiro de Média e Alta Complexidade (MAC) - R$ 400 mil a mais em 2018 - e a liberação de emendas de custeio - cerca de R$ 1,5 milhão. 'Isso foi fundamental para conseguirmos manter os serviços.'

'Além de mantermos os serviços, ainda conseguimos iniciar outros, como o Caps Infantil, o posto da Vila Arlindo, ampliamos as cirurgias eletivas e fizemos mutirão de exames.' RAMON SCHWENGBER, Secretário de Saúde de Venâncio Aires

 

A DÍVIDA

O montante que o Fundo Municipal de Saúde de Venâncio Aires tem a receber do Estado, só em 2018, chega a R$ 3.851.603,94. Neste valor, está incluído o R$ 1.282.046,94 devido ao hospital e do qual o Município já antecipou, com recursos próprios, R$ 770 mil.

A maior parte da dívida soma R$ 2.569.557,00, referentes aos serviços de atenção básica e média e alta complexidade da rede municipal. Entre eles, as contratualizações terceirizadas da UPA e do Samu.

Quanto à UPA e Samu, que desde a metade do ano passado não recebem repasses estaduais, a Prefeitura já pagou a parte do governo gaúcho, com recursos próprios, somando R$ 1,39 milhão. Foram R$ 675 mil para a UPA e R$ 715.928,00 ao Samu.

 

Estado já reconheceu R$ 2,2 milhões da dívida

Dos mais de R$ 3,851 milhões devidos pelo Estado só em 2018, R$ 2,2 milhões já foram empenhados. Ou seja, grande parte da dívida foi reconhecida, conforme atualização da Secretaria da Fazenda do Rio Grande do Sul, no fim de dezembro.

Segundo a assessora administrativa da Secretaria de Saúde, Marinete Bortoluzzi, esses R$ 2,2 milhões são o somatório dos empenhos de 2018 até outubro. 'De acordo com a Fazenda Estadual, esse é o valor empenhado pelo Fundo Estadual de Saúde para o Fundo Municipal de Venâncio.'

Ainda conforme Marinete, a expectativa agora é o que pode ser anunciado a partir da reunião do Cosems, na próxima semana. 'Esses empenhos já são um bom indicativo. Mas estamos na espera para que o Estado declare logo tudo o que deve, de fato, aos municípios.'

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Débora Kist

Compartilhar

Melhorias na Peva serão autorizadas hoje pelo governador

Publicado em 17/01/2019 às 13h20

Peva foi inaugurada em setembro de 2014O governador do Estado, Eduardo Leite, assina hoje ordem de início de obras na Penitenciária Estadual de Venâncio Aires (Peva), localizada em Vila Estância Nova. A cerimônia ocorre a partir das 14h, no Salão Alberto Pasqualini, do Palácio Piratini, em Porto Alegre. Serão executadas obras de reformas orçadas em R$ 61,4 mil, contudo detalhes não foram informados. A empresa vencedora da licitação é de Encantado.

No mesmo ato serão também anunciadas reformas em 17 escolas do Rio Grande do Sul, pórtico para a Secretaria Estadual da Fazenda e melhorias junto ao 4º Esquadrão da Brigada Militar. Também participam da solenidade os secretários de Educação, Faisal Karam; de Obras e Habitação, Rogério Salazar; de Segurança, Ranolfo Vieira Júnior; e da Fazenda, Marco Aurélio Santos Cardoso. As ações correspondem a um investimento de quase R$ 7,9 milhões.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Cristiano Wildner 
Foto: Alvaro Pegoraro

Compartilhar

Prefeitura busca uma solução para esgoto em Estância

Publicado em 16/01/2019 às 17h09

Representante da empresa MG esclareceu que a solução mais rápida é mudar o fluxo da água e do esgotoSolucionado o problema do esgoto que saía da Penitenciária Estadual de Venâncio Aires (Peva) sem o tratamento adequado, agora alguns moradores de Vila Estância Nova enfrentam outro transtorno: o acúmulo do esgoto em frente às suas casas. Ontem pela manhã, o coordenador da Defesa Civil, Dário Martins, esteve no local e constatou que há canos entupidos. "Além de impedir a passagem, a água é represada, inundando os pátios e as casas dos moradores", afirmou.

Acompanhado por Paulo Landim, também da Defesa Civil, e por um funcionário da empresa MG Serviços Rodoviários, uma prestadora de serviços da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), Martins conversou com moradores e soube que tempos atrás um caminhão danificou a tubulação que passa em frente ao antigo Posto do Marino, hoje pertencente à rede Buffon. Não foram feitos os reparos necessários e, conforme o denunciante, foi colocado terra e fechados os buracos. "E isso causa o entupimento", observou Martins.

Há duas soluções para o problema: uma é abrir o trecho de aproximadamente 250 metros que margeia a RSC-287, retirar a tubulação antiga e trocar por canos novos; e a outra, explica o representante da MG, é direcionar o fluxo do esgoto por trás do posto de combustíveis e voltar pelo lado da borracharia, onde seria religado à rede de esgoto.

O coordenador da Defesa Civil diz que, apesar de ser um problema grave, é de fácil solução. "E o prefeito Giovane Wickert quer ver isso solucionado o mais rápido possível", disse Martins, que também é o presidente do Comitê de Transição do Gabinete da Secretaria de Segurança Pública Municipal. O caso será debatido entre os interessados para que se chegue a uma solução.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Alvaro Pegoraro

Compartilhar

Definidas as candidatas a rainha e princesas do Carnaval de Venâncio

Publicado em 16/01/2019 às 17h07

Nove candidatas disputam os títulos de rainha e princesas do Carnaval Municipal 2019. As meninas serão conhecidas em evento realizado nesta quinta-feira, 17, no Barão Bar & Prosa, a partir das 19h30min.

Segundo a vice-presidente da Liga das Escolas de Samba de Venâncio Aires (Lisva), Jaqueline Gonçalves dos Santos, duas candidatas de cada escola estarão representadas na disputa, mais três indicadas pela Lisva, com exceção da Malandros do Ritmo, que optou por não participar do concurso.

A escolha da corte será no dia 9 de fevereiro, no ginásio Santa Rita de Cássia, inspirado na temática "Das Origens do Carnaval à Paixão e Tradição da Terra do Chimarrão". Para o desenvolvimento da temática foram convidadas nove pessoas da comunidade, diretamente envolvidas na cultura local, para representar uma origem ou etnia.

No dia 17 será realizado um sorteio entre as candidatas e no dia da escolha elas farão uma apresentação cultural para os jurados, usando um objeto ou símbolo escolhido pelo representante da cultura.

 

CULTURAS

As representatividades serão alemã (Jairo Bencke); italiana (Joice Battisti Gassen); indígena (Rodrigo Baracy); árabe (Claudia Hamid); negra (Sérgio Rosa); japonesa (Mitsuo Okajima), Portuguesa (Carla Inês Schwaickhardt), senegalesa (Cherif Toure) e argentina (Jorge Ernesto Coliboro).

A atual corte é formada pela rainha Thaís Acosta e pelas princesas Sandriele da Silva Soares Hammes e Évelin Fabiane Pacheco Heller.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Cassiane Rodrigues 

Compartilhar

Organização realiza últimos preparativos para Festa de São Sebastião Mártir

Publicado em 16/01/2019 às 13h56

Venâncio Aires está ultimando os preparativos para 143ª Festa de São Sebastião Mártir. Além da trezena de São Sebastião que está acontecendo nas quintas-feiras de noite desde outubro e da visita das bandeiras nas casas das famílias, a imagem do padroeiro passa pelas comunidades da paróquia desde o dia 26 de dezembro.

Na sexta-feira, dia 18, a imagem retorna à Igreja Matriz onde haverá missa, depois de procissão com saída da Comunidade Nossa Senhora Rainha do bairro Coronel Brito. A celebração inicia às 20h, quando será dado início à Festa do Bastião. Depois da missa será servida galinhada no pavilhão, ao valor de R$ 10 por pessoa. Haverá ainda música ao vivo até a meia-noite, com as bandas La Montanara e Nova Estação.

No sábado, dia 19, o convite é dirigido, especialmente, às pessoas da terceira idade. Haverá missa às 10h, seguida de almoço, apresentações artísticas e música. Já no domingo, dia 20 de janeiro, Dia de São Sebastião Mártir, os festejos continuam no pavilhão com almoço, galinhada, pastéis, cuca, roda da sorte e música ao vivo. Às 17h inicia a tradicional missa campal presidida pelo bispo diocesano, Dom Aloísio Alberto Dilli. Logo após, ocorre a procissão pelas ruas centrais da cidade, seguida do momento de benção da saúde. Na noite de domingo, o destaque é para a busca e apresentação dos novos festeiros e sorteio da Ação entre Amigos, que tem como primeiro prêmio um valor de R$ 18 mil. As cartelas com três números podem ser adquiridas ao valor de R$ 7.

A Festa de São Sebastião Mártir de Venâncio Aires é considerada a maior festa religiosa no território da Diocese de Santa Cruz do Sul. Neste ano, o evento tem como festeiros os casais Luciano e Ângela Algayer, Luciano e Márcia Walker, e Álvaro e Elaci da Silva. A Festa ocorre nesta sexta, sábado e domingo, dias 18, 19 e 20. A Rádio Venâncio Aires acompanha o evento e realiza boletins. Também será transmitida a missa campal e a busca dos novos festeiros.

 

Fonte: Portal RVA
Créditos: Veridiana Röhsler

Compartilhar

Domingo tem mais um passeio da Rota do Chimarrão Verão

Publicado em 16/01/2019 às 13h47

No próximo domingo, 20, acontece mais um passeio pelas lindas paisagens da região serrana de Venâncio Aires. O projeto Rota do Chimarrão Verão chega a sua terceira edição e pretende levar visitantes e moradores da Capital do Chimarrão para conhecer as belezas naturais do interior. Com direito a transporte, almoço, acompanhamento de guia, degustação de tererê e acesso aos pontos turísticos, o passeio de um dia custa R$ 40,00.

Uma iniciativa da Associação de Turismo Rural Rota do Chimarrão (Aturchim) e Departamento de Turismo do Município, o roteiro desse domingo inicia às 9h da Praça da Matriz, segue a ERS 422 com paradas na gruta Nossa Senhora de Lourdes, Mirante Lauro Erdmann, Figueira Centenária (almoço) e à tarde Balneário Paraíso. Em cada local o grupo poderá conhecer um pouco da história do lugar e desfrutar da recepção dos atrativos. O retorno acontece às 18h.

As inscrições, limitadas a 26 pessoas por passeio, estão abertas através do WhatsApp (51) 99996-0350, com Sônia Lang.

 

Fonte: 
Créditos: Daiana Nervo

Compartilhar

Sine com vagas disponíveis nesta semana

Publicado em 16/01/2019 às 09h47

Para quem busca oportunidade de entrar ou retornar ao mercado de trabalho, a agência do Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Venâncio Aires, nesta semana está com vagas abertas em diversas áreas.

Os interessados podem comparecer ao local de segunda à sexta-feira, das 9h às 15h.  Mais informações podem ser obtidas através dos fones (51) 3741 – 9277 e (51) 3983 – 1164.

 

VAGAS

  • AUXILIAR TÉCNICO DE CONSUMO( experiência no setor de calçados)
  • AUXILIAR DE COZINHA (experiência)
  • AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS -LIMPEZA (experiência)
  • AUXILIAR DE ENCARREGADO DE PRODUÇÃO (experiência)
  • PEDREIRO (experiência)
  • CALCETEIRO (experiência)
  • SERVENTE DE OBRAS (experiência)
  • COZINHEIRA (experiência)
  • DESENHISTA DE PROJETOS (CAD + experiência)
  • ESTOQUISTA (experiência)
  • FRESADOR (experiência)
  •  MECÂNICO DE MANUTENÇÃO DE MÁQUINAS (experiência)
  • MECÂNICO MONTADOR (experiência)
  • NUTRICIONISTA (experiência)
  • SOLDADOR (experiência)
  • SUPERVISOR/GERENTE (experiência)
  •  TÉCNICO AGROPECUÁRIO (CURSO, experiência)
  • TORNEIRO MECÂNICO (experiência)
  • VENDEDOR EXTERNO DE CONSÓRCIOS (experiência)
  • VENDEDOR PRODUTOS AGRÍCOLAS (Téc Agropecuário, experiência)
  •  VENDEDOR (Conhecimento na área rural, experiência)

 

Fonte: Olá Jornal

Compartilhar

Mobilização quer garantir tratamento de células-tronco na Tailândia para o pequeno Antony

Publicado em 16/01/2019 às 09h45

Terapias buscam desenvolver a coordenação motora do meninoUm menino de cabelos loiros, olhos castanhos e brilhantes têm mobilizado centenas de pessoas, em busca de um tratamento do outro lado do mundo. Nos últimos dias, a história de Antony Sackser de Mello, 3 anos e 10 meses, repercutiu nas redes sociais e ganhou as rodas de conversa no município.

Depois de uma encefalite viral que deixou lesões cerebrais e comprometeu o desenvolvimento do venâncio-airense, em 2017, a família iniciou, no fim do ano passado, uma campanha para arrecadar o valor suficiente para o tratamento com células-tronco, na Tailândia.

'A aplicação de células-tronco na medula pode estimular o desenvolvimento dele. Conversamos com pessoas que realizaram esse tratamento e elas tiveram uma evolução muito grande', destaca a mãe, Juliana Andréia Sackser, 34 anos, que se dedica exclusivamente aos cuidados do filho, desde que convulsões, em 31 de maio de 2017, interromperam a vida normal da família.

Na época, Antony tinha 2 anos e 3 meses. 'Ele nasceu normal e se desenvolveu perfeitamente. Brincava, corria, desenhava, fazia de tudo', lembra Juliana. Na manhã de 31 de maio, a mãe foi chamada para a escola de Antony, pois o menino estava abatido. 'Levamos ele para a UPA e chegou vomitando e com desmaios.'

Em seguida, começou a ter crises de convulsão. 'Ele ficava com o olhar parado, os braços esticados e paralisados', lembra a mãe. Depois de dois dias internado no Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), em Venâncio Aires, Antony foi transferido para o Hospital Santa Cruz (HSC), onde permaneceu por 23 dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). 'Ele chegou em coma e com uma lesão séria no cérebro. Os médicos não nos deram nenhuma esperança. Entregamos nas mãos de Deus e foram feitas muitas correntes de oração, em muitos lugares.'

No 21º dia de internação, contrariando as expectativas, Antony voltou a respirar, o que permitiu que fosse transferido, dois dias depois, para o Hospital de Clínicas, em Porto Alegre. Foram 53 dias de internação, diversos tratamentos, dezenas de exames, inclusive enviados para fora do país, e muitas dúvidas sobre o diagnóstico. 'Eram mais de 50 profissionais no caso dele e não se encontrava um diagnóstico. Por fim, a suspeita foi uma encefalite viral, uma infecção no cérebro. Como faltou oxigenação em alguns momentos, ele perdeu a coordenação motora, a lesão atingiu toda a parte da frente do cérebro', explica Juliana.

 

Em busca de desenvolvimento

Para a mãe, Juliana Sackser, embora o caminho a percorrer ainda seja longo, em busca do desenvolvimento do filho, a evolução desde que voltou do Hospital de Clínicas, no fim de agosto de 2017, é muito grande. Antony já abre os olhos, já reage a estímulos como cócegas e faz movimentos involuntários com as mãos. Ontem, ele começou as sessões de equoterapia - terapia global realizada com o cavalo. Fora disso, realiza sessões diárias de fisioterapia, além de ter acompanhamento médico e fazer acupuntura.

 'Ele voltou para casa imóvel. Os médicos disseram que ele iria apenas vegetar, mas isso não aconteceu. Estamos muito felizes com a evolução do Antony. Antes, ele não tinha nenhum estímulo facial e hoje já sorri', afirma Juliana.

Contente pelas evoluções do filho e com esperança de que o tratamento na Tailândia possa garantir que ele retome movimentos realizados por qualquer criança, a mãe se emociona ao ver o tamanho da mobilização em torno de Antony.

No ano passado, em 33 dias, a família arrecadou mais de R$ 49,5 mil para viabilizar tratamento de 5 meses, no Centro de Estudos e Fisioterapia para Funcionalidade e Integração (Ceneffi), em Porto Alegre. 'O custo é muito alto para nos mantermos lá. Meu marido trabalha e não tem como nos mudarmos para Porto Alegre', afirma Juliana, que pediu demissão para se dedicar aos cuidados de Antony.

Depois de conhecer a possibilidade de tratamento com células-tronco, Juliana, o marido Marcos Ismael de Mello, 39 anos, familiares e amigos lutam para conseguir levar Antony até o país asiático. O objetivo é arrecadar R$ 320 mil para custear dois protocolos de 30 dias, em um hospital tailandês. 'Ele não caminha, não segura a cabeça, não fala. Estamos sempre tentando alternativas para o desenvolvimento do nosso filho', detalha Juliana.

 

Saiba como ajudar

1 Uma campanha foi lançada no site Vakinha, por meio do qual é possível indicar um valor para ajudar e gerar um boleto ou realizar a doação via cartão de crédito.

2 Uma ação entre amigos busca arrecadar recursos para o tratamento de Antony. Cada número custa R$ 10 e os prêmios são um ar condicionado split de 9 mil BTUs, uma televisão de 32 polegadas Smart, uma luva de goleiro assinada pelo goleiro do Internacional e um kit de produtos Mary Kay. O sorteio ocorre em 6 de abril.

3 Uma galinhada será realizada no dia 9 de fevereiro, no bairro Macedo. A maioria dos ingredientes já foram doados, mas ainda é possível colaborar. Além disso, os cartões podem ser adquiridos com a mãe de Antony, pelo WhatsApp 99772 9441.

4 Também é possível ajudar com um depósito bancário na Caixa Econômica Federal: agência 0529, variações 001, conta corrente 000134109.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Juliana Bencke
Foto: Arquivo pessoal / Divulgação

Compartilhar

Sesc/RS é a melhor empresa do terceiro setor para trabalhar no Brasil

Publicado em 16/01/2019 às 09h43

Ações de promoção de saúde, cultura e lazer mobilizam a equipe de profissionais da unidade de Venâncio AiresO Serviço Social do Comércio (Sesc/RS) está em 1º lugar no ranking 2019 das melhores empresas para trabalhar no Brasil -categoria Terceiro Setor, do Great Place to Work Brasil (GPTW Brasil). O ranking, divulgado na edição de janeiro da Revista Época Negócios, apresenta as dez empresas que mais se destacam em relação ao ambiente de trabalho e se baseia no veredito que é dado pelos próprios funcionários e em um relatório de práticas assinado pelos gestores. A instituição é a única gaúcha a figurar no ranking.

Para o diretor regional do Sesc/RS, Luiz Tadeu Piva, a distinção representa a sólida conexão entre a instituição e seus colaboradores. 'Receber este destaque entre 75 empresas de todo o país que participaram da avaliação confirma que o vínculo entre o Sesc e seus colaboradores é forte e sólido.'

Atualmente, a instituição conta com 43 unidades operacionais Sesc e 21 unidades Sesc/Senac. Na Capital do Chimarrão, a unidade do Sesc conta com 18 profissionais, entre os quais estão instrutores de academia, odontólogo, agente e auxiliar de cultura. O trabalho focado na promoção de cultura, bem-estar e lazer é liderado pela gerente Diane Lacerda Araújo e inclui a organização de eventos como a Feira do Livro e o Dia do Desafio.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Juliana Bencke

Compartilhar

Venda direta, diversificação e processos sustentáveis: o segredo da família Frey

Publicado em 16/01/2019 às 09h42

Sérgio e os filhos Fernanda e Carlos Henrique atuam no cultivo e na venda dos produtos AvesFrey e Sabor da ColôniaSérgio Frey sempre foi agricultor. Plantou soja, cultivou milho e apostou na produção de leite, sempre aliado ao plantio do tabaco. Foi de 2011 para cá, entretanto, que descobriu o que ele considera a alternativa mais viável para a propriedade de 8 hectares, localizada em Linha Cecília: a produção de ovos, frutas e hortaliças. 'Estamos apenas começando, mas, pela primeira vez, consigo ver uma claridade no fim do túnel. Uma possibilidade, se os filhos quiserem seguir esse caminho', afirma.

Com produção diária de 80 dúzias de ovos e 3 hectares destinados ao plantio de alimentos sem agrotóxicos, a família Frey comercializa os produtos diretamente ao consumidor. São duas feiras por semana, no bairro Morsch, aos sábados pela manhã, e no Centro, nos fundos da Prefeitura, nas manhãs de quarta-feira, além da entrega de kits com alimentos.

Entre as estratégias do negócio está a oferta de produtos de agricultores vizinhos, para garantir a variedade nas feiras. 'Tudo o que encontramos de diferente, tentamos plantar. Isso é diversificar', considera Frey, que atua junto à esposa Lovane e aos filhos Fernanda e Carlos Henrique.

Outras ações, viabilizadas com o aperfeiçoamento técnico da família, também buscam reduzir custos e agregar valor aos produtos. Entre elas, estão desde a produção própria de ração até a vacinação das aves e a utilização das sobras de hortaliças na propriedade. 'Aos poucos, vai se formando um sistema autossustentável. Hoje, já conseguimos plantar todo o milho utilizado.'

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Juliana Bencke

Compartilhar

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||