Agências comunitárias conectam moradores do interior com a cidade

Publicado em 27/11/2017 às 14h35

 Orlando Schulz é agente dos Correios há mais de 50 anosVocê já imaginou ter que se deslocar dezenas de quilômetros do interior até a cidade para retirar uma correspondência na agência da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT)? Esta era até poucos anos, a realidade da maioria dos moradores do interior, o que foi facilitado com a instalação das Agência de Correios Comunitárias (AGCs) nas oito sedes distritais e em mais quatro localidades - Linha Tangerinas, Linha Herval, Picada Nova e Cachoeira Baixa.

Cartas simples e registradas, aviso da chegada de mercadorias compradas via internet, recibos de pagamento de contas de água e telefone, IPTU, IPVA, avisos do INSS, cartões dos bancos, Sedex, e de vez em quando, cartas pessoais, ou seja, que são remetidas por parentes que residem em outros municípios ou estados. 'Este tipo de correspondência é bastante raro porque as pessoas hoje se comunicam via telefone, redes sociais, e outras ferramentas', salienta Orlando Schulz, proprietário da Casa Comercial Schulz, de Vila Deodoro, que abriga a AGC com mais tempo de atividades em Venâncio Aires - mais de 50 anos, cuja área de abrangência vai de Linha Palmital até Linha Cipó.
'É bom saber que a gente pode facilitar a vida dos moradores aqui da região serrana do município', afirma Josoeli Parckert, administradora da agência localizada na Casa Comercial Parckert, situada na entrada de Linha Cachoeira, e que está em funcionamento há seis anos. A área de atuação dela são as linhas Julieta, Leonor, Cachoeira Baixa e Cachoeira Alta.

'As agências facilitam muito a nossa vida pois do contrário, teríamos que nos deslocar até a agência dos Correios do centro da cidade e isto iria gerar muitos transtornos, sem falar dos custos de deslocamento', afirma Carmem Junqueira da Silva, moradora de Vila Mariante e que retira as suas correspondências na AGC Porto Maiante, localizada na residência de Iascara Brandão, localizada à Avenida Álvaro Ribeiro Caldas, 2090, em Vila Mariante. 'Facilita a retirada porque as cartas não chegam juntas no mesmo dia. Já imaginou a gente ter que se deslocar duas ou mais vezes por semana para a cidade para retirar as correspondências?'

Morador de Linha Chafariz, Luís Carlos da Fonseca, comunga da mesma opinião de Carmem e adianta que costuma procurar as correspondências com bastante frequência. 'Faço isto para não atrasar e pagar as contas em dia', relata. Iascara assumiu a AGC no dia 17 de maio deste ano, a qual até então funcionava na Agropecuária Xiló.

Universalização

Segundo a gerente Administrativa da agência local da ECT Denise Niedermeyer, das doze AGCs, somente três retiram as correspondências na agência. Para as demais, elas são enviadas diariamente, via ônibus. 'Elas são uma das formas da empresa manter viva a universalização das agências postais', observa. Denise acrescenta que o funcionamento das AGCs ocorre por meio de um convênio firmado entre os Correios e a prefeitura que repassa os recursos para a Associação dos Servidores Municipais de Venâncio Aires (Asmuva) que repassa os recursos para os agentes.
Denise reforça que as AGCs servem somente para entregar as correspondências aos moradores do interior, evitando que precisem vir até a agência da ECT do centro para fazê-lo. Porém, para enviar, eles precisam, sim, comparecer na agência central. A gerente salienta ainda que não tem como quantificar o número de correspondências que são encaminhadas diariamente para o interior. Ela acentua que duas vezes por ano, é feita esta contagem que é informada à empresa.

Endereço

Segundo Denise, as AGCs têm um limite de distância para efetuar a distribuição, no caso, até 500 metros. Os que residem acima desta distância, precisam se dirigir até o agente.
O que até há alguns anos era um empecilho para a ECT conseguir fazer as correspondências chegarem aos moradores do interior, mesmo os mais distantes, está resolvido e isto se deve ao zoneamento e área de abrangência das AGCs. Orlando Schulz orienta os moradores para que também acrescentem no endereço, a sua casa comercial. 'Este dado facilita muito para o Correio enviar de forma correta as correspondências para o interior', resume.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Edemar Etges 

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||