Andressa quer ser vista como uma soberana autêntica e espontânea

Publicado em 16/11/2018 às 17h53

Andressa quer ser lembrada com uma princesa do povo, que fez por merecer o título de soberana da FenachimEla se considera uma menina de personalidade forte, autêntica, responsável e brincalhona, mas que também sabe ser séria quando precisa. Aos 21 anos, Andressa Halmenschlager, é uma das princesas da 15ª Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim) e busca, na forma divertida de viver, uma maneira de divulgar a maior festa de Venâncio Aires. 'Eu quero ser aquela soberana que o povo vai dizer: ela vinha aqui, se dava bem como todo mundo, dançava, participava, brincava, estava sempre sorrindo, sempre alegre. Era alguém que era de verdade. Eu quero ser lembrada por ser quem eu sou', relata. 

A estudante de Pedagogia compartilha que durante toda a trajetória do concurso adotou essa mesma postura: procurou mostrar quem era de verdade e sempre se dedicando muito a cada etapa. 'Aproveitei cada minuto sendo eu mesma. Eu estava sempre brincando, rindo e dançando. Não inventei uma Andressa diferente para chamar a atenção de ninguém', salienta. 

E de acordo com ela, essa espontaneidade já vem da infância, período em que costuma estar "metida" em vários lugares e situações, além de brincar muito. 'Eu era meio gurizinho, sabe? Que ficava brincando no meio da rua, se pendurando em tudo que é coisa', recorda. Entre os divertimentos de criança estava escorregar em tábuas de madeira nos morros de Roca Sales, município em que viveu dos dois meses aos seis anos, carrinhos de rolimã e jogo de peteca. 

'Eu nunca fui calma. E esse espírito brincalhona, de estar se metendo nas coisas, permanece até hoje. Essa é a minha personalidade. Os meus amigos até brincam, às vezes, dizendo que eu devo ter começado a descobrir que era uma menina depois dos 18 anos, porque sempre fui meio "moleca".', afirma. Mas ela também observa que tem momentos em que algumas coisas a tiram do sério, em especial, quando algo não dá certo ou algumas situações estão fora do alcance. 'Sou oito ou 80. Ou estarei extremamente feliz ou extremamente irritada', brinca.

Além disso, Andressa também comenta que tem uma personalidade forte. 'Se me disserem que está errado, e eu acredito que está certo, vou continuar fazendo e vou provar para as pessoas que é desta forma.' Entretanto, ela destaca que normalmente é uma pessoa que faz brincadeiras e piadas, buscando ver os outros sorrirem. 'É o meu modo de viver. É como eu me sinto bem.'

 

O resultado 

O dia 1º de novembro começou bem cedo para Andressa. A jovem conta que às 7h30min já estava na Venax Eletrodomésticos, empresa onde trabalha e também foi sua patrocinadora, para, com a ajuda de outros funcionários do local, encher os balões que decorariam o espaço onde a sua torcida ficaria concentrada no ginásio Poliesportivo.

Apesar de essa ser a data em que seria eleito o trio de soberanas da 15ª Fenachim, a estudante não estava nervosa, apenas ansiosa para saber o resultado. Ela ainda pondera que durante a semana da realização do concurso ela aproveitou para treinar, em casa, a passarela e se sentir segura na hora do desfile. 

A quinta-feira da escolha ainda contou com ida ao salão para arrumar cabelo, fazer as unhas e a maquiagem, correria para acertar os últimos detalhes para o desfile e uma ida à Venax para convidar as pessoas para participarem da sua torcida. 'Eu acordei muito confiante. Não teve um minuto em que fiquei nervosa na quinta-feira. Eu entrei dentro daquele coquetel e eu estava tão segura do que estava fazendo que para mim era só mais uma coisa que estava acontecendo', relembra a princesa da Fenachim. 

Na hora do anúncio, Andressa conta que quando voltou para a passarela, tudo que desejava era poder valorizar a torcida que estava com ela no Poliesportivo. 'Eu queria mostrar para quem estava torcendo por mim que de certa forma eu fiz a minha parte e eles fizeram a deles por estar lá me dando todo o apoio. Queria abraçar todas as pessoas que estavam torcendo por mim. Queria mostrar a minha gratidão', ressalta. 

Para ela, a Fenachim é uma oportunidade de crescimento pessoal e de conhecer pessoas, e os compromissos realizados como soberana da festa estão sendo recheados de muitas experiências. 'Estou bem contente e satisfeita com tudo que está acontecendo. E tenho certeza que eu vou ser assim do início ao fim. Que não vou mudar o meu jeito de ser e a forma como eu vou receber as pessoas. Porque é tão bom, independente, de quem vir te abraçar, tu conseguir atender aquela expectativa, tu dar carinho para aquela pessoa, tu saber tratar bem alguém.'

Quero ser lembrada com uma princesa do povo, que nos lugares em que ia se dava bem e dançava com todo mundo. Que atendeu as expectativas que o povo venâncio-airense tinha em querer uma soberana.'
ANDRESSA HALMENSCHLAGER- Princesa da 15ª Fenachim

Chimarrão como companheiro 

Andressa conta que o apreço por tomar chimarrão surgiu bem antes dela participar da Fenachim. 'Eu peguei mais esse hábito quando morava com a minha avó. Ela tem mais idade, então era aquela coisa de tu sentar para conversar um pouquinho, para não se sentir tão sozinha', recorda.

E hoje, a bebida típica do Rio Grande do Sul e também de Venâncio Aires continua sendo companheira da jovem, que aproveita os momentos livres para degustá-la. Além disso, sempre que pode já toma o verdinho no trabalho e quando não dá tempo de tomar o chimarrão em casa ela prepara um e leva para a universidade.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e Foto: Taís Fortes

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||