Araci: "Minha vida é só gratidão"

Publicado em 26/11/2018 às 08h44

Araci comemora 30 anos de atuação na área da saúde com dedicaçãoÉ com sorriso no rosto e brilho nos olhos que a técnica de enfermagem Araci Silvia Nagel Gerlach, 65 anos, fala da profissão. Para ela, a oportunidade de trabalhar no Hospital São Sebastião Mártir (HSSM) que foi dada em 1988 foi um presente especial. Balconista do comércio venâncio-airense, ela foi até o hospital para tentar uma vaga na creche da casa de saúde que tinha sido criada recentemente.

'Tinha uma moça que cuidava do meu filho mais novo mas não deu certo, então fui até o hospital pedir uma vaga na creche e me ofereceram um emprego', recorda. Ela diz que foi explicado que a creche era somente para filhos de funcionários do hospital, mas que se ela estivesse disposta eles tinham vaga para atendente aberta. 'Já não estava feliz no meu atual emprego, aquela foi uma ótima oportunidade', comenta.

Começou como atendente, passou a auxiliar de enfermagem e, posteriormente, fez o curso para técnica de enfermagem, função que desempenha até hoje.

Mesmo aposentada, Araci continua trabalhando no turno da noite na chamada unidade azul do hospital, onde ficam os pacientes internados por motivos diversos. 'Eu adoro trabalhar com idosos, eles precisam de carinho e estou disposta a ajudá-los e dar atenção', declara. Apaixonada pela profissão, diz que se sente realizada por poder ajudar as pessoas.

Araci já passou por outras alas da casa de saúde, inclusive no setor de hemodiálise. 'Reconheço que tenho uma fraqueza com crianças. Um choro de criança me deixa muito abalada, admiro os colegas da pediatria', confessa.

 

FAMÍLIA

As oportunidades na área da saúde são vistas como uma bênção de Deus por Araci. Em 1998 o marido, Jacob Ivo Gerlach, já falecido, sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC), perdendo a fala e os movimentos do lado esquerdo do corpo. 'A experiência do hospital me ajudou muito nos cuidados com meu marido', comenta.

Ela conta que ele chegou a recuperar parte dos movimentos, mas devido a um câncer no pâncreas faleceu em 2006. 'Eu não questiono o porquê de Deus ter levado meu marido cedo, eu agradeço por ter os meus filhos, temos que ver sempre o que de bom foi nos proporcionado', relata.

Araci é mãe de André Fernando, 41 anos, e Luis Henrique, 31, com quem não divide mais o mesmo teto, mas os encontros semanais. A quinta-feira virou dia de encontro da família. 'Eles vem almoçar comigo todas as quintas. A comida é simples, mas é feita com amor. Adoro cozinhar.'

Moradora do Centro, a técnica de enfermagem também reserva um tempo precioso para a companhia dos pais. Otilo, 87 anos, e Selita, 84, que segundo ela é o casal de moradores mais antigo da rua General Osório. 'Eles moram no mesmo lugar desde que casaram, 65 anos atrás', diz. Na família, Araci é conhecida pelo apelido "Siha", em alemão.

'Não é só medicar, técnica de enfermagem é também carinho e proteção. Quando a gente coloca amor no que faz tudo fica melhor.'
ARACI SÍLVIA GERLACH - Técnica de enfermagem

TRABALHO SOCIAL

1 Araci é envolvida com trabalhos sociais, atividades que faz com dedicação por poder ajudar o próximo.

2 Presidente da Ordem Auxiliadores de Senhoras Evangélicas (OASE) há oito anos, é também vice secretária da Comunidade Evangélica e Luterana e conselheira fiscal da Oase Sinodal, de Santa Cruz do Sul.

3 É também voluntária da Liga Feminina de Combate ao Câncer.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e Foto: Cassiane Rodrigues

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||