Assessores de Zé da Rosa são exonerados por ordem do presidente

Publicado em 15/05/2019 às 13h14

Além de exonerar assessores, Kappel afirma que analisa novos desligamentos do LegislativoPresidente do Legislativo Municipal, Eduardo Kappel (Progressistas) está envolvido em uma nova polêmica. Dois assessores que tiveram exonerações determinadas por ele afirmam que estão sendo dispensados sem justificativas plausíveis. Uma assessora parlamentar do vereador Zé da Rosa, de 28 anos, e um servidor que atuava como assessor de comissões, de 27 anos - ambos indicados por Rosa -, foram informados, na sexta-feira, 10, de que seriam desligados de suas funções nesta terça-feira, 14.

A única explicação para a dispensa dos servidores, na opinião deles próprios, seria um problema de Kappel com um familiar do assessor de comissões. A assessora parlamentar teria sido demitida por ser namorada dele. 'Ele [Kappel] disse que a coisa é pessoal e que a gente ia ter que "pagar o pato". Imaginamos o que está motivando esta atitude, mas é inacreditável. Tentamos conversar, pedimos a outras pessoas que intermediassem, mas tudo o que dizem é que ele já informou que é irreversível', lamenta a assessora.

O rapaz lembra que decidiu aceitar o convite de Zé da Rosa para assumir a função recentemente, já que está no último ano do curso de Direito e, em razão dos horários a cumprir no Legislativo, ficaria 'mais tranquilo para fazer o TCC [Trabalho de Conclusão de Curso]'. 'Eu sei que CC pode ser exonerado a qualquer momento, que isso faz parte da política. Mas, dessa forma, é inaceitável. Não é por conta de incompetência, nem por improdutividade. Quem nos indicou está satisfeito. É mero capricho do presidente', desabafa. A assessora ainda afirma que foi mandada embora antes de receber a portaria com a exoneração. 'Estava no meu horário de trabalho, ainda não tinha a portaria e ele [Kappel] mandou o assessor jurídico dizer para eu ir embora', conclui.

 

PARTIDO

Presidente do PSD, Chico Rech disse ontem que não tinha conhecimento das exonerações dos dois filiados ao partido. 'Estou sabendo agora, pela imprensa', comentou. Ele admitiu estar surpreso com a situação. 'O partido é governo, não entendo o motivo disso', declarou, em referência o fato de que Eduardo Kappel também integra a base governista. O PSD perdeu recentemente dois cargos em comissão (CCs) no Executivo, episódio que repercutiu intensamente nos bastidores da política.

 

'Estou abalado, tão desanimado que nem fui à tribuna'

O vereador Zé da Rosa (PSD) conversou com a reportagem da Folha do Mate na manhã de ontem. Ele garantiu que as exonerações não estavam nos seus planos e que ainda tenta junto ao presidente evitar as demissões, mas ressaltou que o comandante do Legislativo afirmou que não voltará atrás na decisão. 'Estou abalado, tão desanimado que nem fui à tribuna', comentou Rosa, se referindo ao fato de ter declinado do pronunciamento durante a sessão da Câmara de Vereadores desta segunda-feira, 13.

O parlamentar afirmou que seus dois indicados 'são bons funcionários e não teriam motivos para demitir eles'. Rosa disse ainda que ficou triste com o ato arbitrário de Eduardo Kappel: 'Está é uma coisa que está sendo feita à força, contra a minha vontade e sem qualquer explicação. Só fui avisado que deveria procurar outros dois assessores, porque estes dois não ficam mais'. Sobre a suspeita dos servidores acerca do motivo das exonerações, Rosa disse apenas que não pode falar, "porque não sei de nada'.

 

'Eu fiz o que pude para reverter a situação, mas inclusive o Departamento Jurídico me informou que as exonerações, inclusive dos assessores dos vereadores, são prerrogativa do presidente. Fica difícil quando tu indica alguém de confiança e estas pessoas são arrancadas de ti.'
ZÉ DA ROSA - Vereador do PSD

 

'É decisão exclusivamente minha'

'Exonerei mesmo. É decisão exclusivamente minha e não tenho que dar justificativa'. A afirmação é do presidente da Câmara de Vereadores, Eduardo Kappel (Progressistas), que na tarde de ontem falou à reportagem da Folha do Mate sobre o episódio do afastamento de dois assessores indicados por Zé da Rosa (PSD).

Kappel destacou que sabe que o colega do PSD ficou 'um pouco chateado', mas salientou que não vai rever a decisão. 'Tudo é questão de política e tudo é voto, mas não vou ficar falando mais sobre isso, pois não preciso ficar dando satisfação', declarou, acrescentando que outras exonerações estão em análise.

 

'Enquanto eu for presidente da Câmara, contrato e demito quem eu quiser e não devo satisfação para ninguém.'
EDUARDO KAPPEL - Vereador do Progressistas e presidente do Legislativo

 

REGIMENTO

1 Consultado pela reportagem, o promotor de Justiça João Afonso Silva Beltrame argumentou que é preciso buscar informações no Regimento Interno da Câmara sobre o episódio.

2 'Depende do que diz o Regimento. Se estiver amparado, não há ilegalidade e ele [Kappel] pode usar do expediente', comentou, acrescentando ainda que 'é necessário ver como os servidores estavam lotados, se eram realmente indicações do vereador ou se estavam cedidos ou em funções relacionadas com a presidência'.

3 Beltrame lembrou que caso alguma representação seja enviada ao Ministério Público (MP), 'será analisada a necessidade ou não de atuação'.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos: Carlos Dickow 
Foto: Alvaro Pegoraro

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||