Berçário industrial: um começo para novas empresas

Publicado em 29/10/2018 às 09h06

Estrutura física também é apontada como fundamental para crescimento das empresas Cedência de área e auxílio com aluguel ainda têm sido os principais estímulos do poder público a empreendedores que almejam investir em Venâncio Aires. Mas outra questão, que já é realidade em municípios como Santa Cruz do Sul, leva em conta o "nascimento" de um empreendimento, principalmente as pequenas empresas.

Trata-se do berçário industrial, que pode virar realidade em Venâncio a partir do ano que vem, já que está dentro das iniciativas do orçamento municipal de 2019.

Na prática, ele ofereceria estrutura física e assessoria profissional para que pequenas empresas e novos empreendedores que estejam engatinhando no seu negócio, consigam, com o passar do tempo, caminhar sozinhos.

Segundo o prefeito Giovane Wickert, a ideia do berçário passa pela implementação de uma incubadora tecnológica, para criar e desenvolver os projetos. Ela deve ser estruturada nos pavilhões onde funcionava a Fundação Ambiental de Venâncio Aires (Favan), em Linha Ponte Queimada, já repassada à Prefeitura. 'Seria na Favan a incubadora com extensão para o berçário. Lá começaríamos e depois as empresas iriam para o novo Distrito Industrial, que também será um prolongamento do processo', projeta. Quanto ao novo distrito, que será instalado na antiga área do Instituto Penal de Mariante, o município ainda não tem a escritura. A expectativa, com o fim do período eleitoral, é de que haja uma definição.

 

PARCERIAS
O prefeito Giovane Wickert entende que esse primeiro estímulo a empreendimentos é a essência do desenvolvimento industrial e reflete diretamente na economia do município. 'Tendo a incubadora, berçário e distrito, são mais atrativos e mais arrecadação.'

Para sair do papel, o desafio será conseguir linhas de financiamento junto ao BRDE e Badesul, por exemplo. Mas não apenas o recurso, a ideia é contar com parceiros.

Para o vice-presidente de Indústria da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Venâncio Aires (Caciva), Júnior Haas, parcerias com incubadoras da Univates e Unisc poderiam ser um caminho. 'O berçário precisa oferecer vantagens em termos de estrutura física, cadeira de serviços e assessorias diversas. Além da previsão, é importante compreender como será operacionalizada, para realmente trazer benefício.'

 

Apoio de gestão para quem tem boas ideias
Um dos defensores da implantação do berçário industrial em Venâncio Aires é o empresário Gerson Luis Schwingel. Com experiência de décadas dentro de indústrias venâncio-airenses, ele conta que o assunto é discutido há anos no município e comemorou o fato de estar previsto no orçamento de 2019. 'Além de espaço físico, é importante que o pequeno empresário tenha um apoio de gestão. A pessoa tem iniciativa, conhece seu produto, mas, às vezes, não tem outras informações necessárias. Sebrae e universidades oferecem suporte, mas ter esse berçário viria para somar.'

Segundo Schwingel, o ideal seria criar um comitê, formado por contadores, gestores e até professores para dar assessoria inicial e acompanhar a evolução. 'Não pode ser apenas um curso intensivo, mas sim um acompanhamento de tudo. Porque no futuro, quando tiver que enfrentar um momento de crise, por exemplo, estarão alicerçadas.'

 

O PRÓPRIO EXEMPLO
Gerson Luis Schwingel é proprietário da Gelus, empresa que iniciou no ano 2000 com apenas um funcionário e hoje soma cerca de 90. Antes disso, ele atuou como gerente de produção em outras metalúrgicas do município, até decidir começar a própria empresa. 'Posso dizer que sou um exemplo de quem teve uma ideia, um objetivo, e também contou com incentivo do poder público para crescer.'

No caso dele, o apoio veio, inicialmente, com aluguéis e depois na aquisição de um prédio, no Distrito Industrial. Há 13 anos, ele saiu do centro da cidade devido à expansão e o investimento em equipamentos, que necessitavam de um lugar maior. 'Venâncio Aires tem um grande potencial industrial, com pessoas interessadas e capacitadas. Isso precisa ser considerado e o berçário é algo que deve ir para frente.'

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e foto: Débora Kist

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||