Canalização de sanga é demanda dos moradores do Loteamento Eisermann

Publicado em 15/10/2018 às 09h22

Construção de calçada, próximo da Sanga da Areia, deve ocorrer em breve, para garantir mais segurança aos estudantesOrlando Schonarth, 47 anos, mora há mais de duas décadas no Loteamento Eisermann e já participou de várias mobilizações pela canalização da Sanga da Areia. O córrego fica em frente à casa dele e ao lado da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Alfredo Scherer.

'Já fizemos abaixo-assinado e pedimos muitas vezes. A sanga está aumentando cada vez mais e, com isso, também aumenta o perigo', comenta, ao citar que muitas crianças trafegam pelo local e podem acessar a água com facilidade. 'Além disso, em dias de chuva, as crianças precisam passar pela rua, porque não tem calçada.'

A canalização da sanga e a construção de uma calçada no local foram solicitadas ao Município, durante a Caravana Pé na Estrada, realizada em 1º de setembro. De lá para cá, a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisp) já instalou dois canos de concreto, para possibilitar a obra do passeio público. De acordo com secretário Renato Gollmann, o serviço deve ser realizado em breve e melhorar as condições para os pedestres.

Apesar disso, outros dois problemas devem continuar fazendo parte do dia a dia dos moradores das proximidades e estudantes: o cheiro do esgoto e os mosquitos. 'Especialmente no verão, quando a temperatura eleva e reduz a água, cheiro é muito ruim. Como as salas de aula estão daquele lado da escola, as crianças reclamavam do cheiro, no verão passado', afirma a diretora Ionara Bencke. 'Acreditamos que algum esgoto esteja sendo despejado na sanga, porque, além do cheiro, às vezes, a água também está turva', observa.

Presidente do Conselho Escolar da Emef Alfredo Scherer, Schonarth também se preocupa com a quantidade de mosquitos no bairro, por conta da sanga. 'Não dá para se sentar na rua, durante o verão, de tantos mosquitos', lamenta.

 

Estudo
De acordo com o secretário de Infraestrutura e Serviços Públicos, Renato Gollmann, a instalação de canos ao longo de toda a quadra, para fechamento da sanga, solicitada pelos moradores, esbarra em questões ambientais. 'Não é algo simples, pois depende de autorização ambiental.'

O engenheiro da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Fernando Cardoso, explica que, para que seja canalizada uma sanga, é necessário um estudo técnico e a elaboração de uma legislação específica que inclua isso no planejamento urbano.

'Quando se canaliza uma sanga, perde-se o acesso natural da água em dias de chuva. Por isso, é preciso um estudo qualificado para que se coloque uma tubulação adequada, que não seja menor do que a necessária e que não apresente problemas em 20 ou 30 anos', cita. 'Hoje, o entendimento que se tem a partir da experiência de outros municípios, como Porto Alegre, e com consultorias, é de que não se recomenda a canalização total.'

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e foto: Juliana Bencke

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||