Cidadãos pedem atitude a Giovane Wickert

Publicado em 01/06/2018 às 08h32

Cidadãos levaram cartazes onde estavam expostos os seus desejos e suas indignaçõesUm grupo de 25 pessoas foi à procura do prefeito Giovane Wickert, nesta quarta-feira, 30, solicitar que o chefe do Executivo lidere mobilização de prefeitos e mantenha constante pressão ao Governo Federal no sentido de evitar o aumento abusivo dos produtos e cobrar a redução da carga tributária. Inicialmente, Wickert recebeu duas representantes dos cidadãos - empresária Márcia Marli Wildner, de 50 anos, e auxiliar administrativa Daniele Inês Wildner, de 30 anos. Depois, o prefeito pediu que todo o grupo ocupasse a sala de reuniões do seu gabinete e debateu com os integrantes uma série de temas, por mais de uma hora.

'Estamos aqui para trazer ideias e oferecer apoio, mas também cobrar que o prefeito represente sua comunidade, pois é ele quem consegue ir até Brasília. Queremos que os prefeitos mantenham união e representem as comunidades que os elegeram', comentou Márcia. Daniele acrescentou que é hora de uma mudança geral, especialmente no que se refere à legislação. 'Precisamos de penas bem mais severas. Não dá mais para sair na rua sem ter medo de ser assaltado. Queremos dureza com aqueles que praticam crimes, inclusive os políticos corruptos. As leis devem ser em benefício do povo, não dos vagabundos, como estão'.

 

LEGÍTIMO E MERITOSO - Ao se pronunciar, Giovane Wickert afirmou que o movimento era 'legítimo e meritoso', ressaltou que há poucos dias esteve, juntamente com milhares de prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, em Brasília, na marcha municipalista, e que as demandas foram repassadas ao presidente da República, Michel Temer. 'Há muito tempo defendemos que a pirâmide tem de virar, pois atualmente, somente 19% do que se arrecada volta para as prefeituras, e é no município que tudo acontece', argumentou. Wickert destacou ainda que a manutenção da mobilização da sociedade é importante para que estas pautas não sejam esquecidas.

'Parece que o povo perdeu a fé, a esperança e a dignidade. Não lutamos mais para viver, mas para sobreviver. Os grandes fazem o que querem com a gente.'

MÁRCIA MARLI WILDNER
Empresária

'A gente sabe que, neste momento, há uma revolta geral muito grande. Penso que a mobilização não pode parar, temos que ver a melhor forma de protestar, mas também precisamos dar uma retomada na economia.'

GIOVANE WICKERT
Prefeito de Venâncio Aires

'O que mais eu lamento é que muitas pessoas se aproveitam destes momentos de incerteza para subirem os preços dos produtos nos mercados e da gasolina nos postos.'

ANTENOR MARTENS
Autônomo

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Carlos Dickow 
Foto: Alvaro Pegoraro

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||