Circo chega às localidades do interior

Publicado em 23/10/2018 às 12h46

Equipe do Circo Texas, antes do espetáculo'Senhoras, senhores e crianças, o circo já vai começar'. Assim, se inicia mais um espetáculo do Circo Texas, que há quase um ano, faz um 'tour' pelas localidades do interior de Venâncio Aires. Nesta semana, os moradores de Vila Teresinha terão a chance de participar do espetáculo, assim como os moradores de Vila Deodoro, sede do terceiro distrito, que puderam acompanhar o palhaço Xispirito, as mágicas, o homem que 'come' fogo e todas as atrações oferecidas durante o show de arte de culturas milenares.

Alguns moradores de Vila Deodoro recordam e fazem as contas: foi nos anos de 1975 e de 1988 as últimas vezes que um circo esteve instalado na localidade. Em 1988, o circo era da família Firmino e, em 1975, há 43 anos, foi o circo do palhaço Xispirito que esteve na localidade. Na época, César Souto tinha 3 meses, mas já fazia parte da companhia da família. Em 2018, é ele que traz a família circense para se apresentar no interior da Capital Nacional do Chimarrão, estreando na região o Circo Texas.

César Souto, 43, que no palco assume o personagem do palhaço Xispirito; Marinisi Arend, 38; e o filho Ricardo, o palhaço Gomutcho; estão na linha de frente e são os proprietários do circo que passa pelas gerações da família Souto. Dos quatro filhos dos circenses Ricardo Souto e Maria Edite Prado - Paulo, Carlos, César e Estela -, apenas Paulo e César (Xispirito) continuam a jornada. Paulo está estreando na cidade de Espumoso, com o Circo Vitória.

 

Equipe 
Por questões de saúde, o pai Ricardo não está mais no circo e reside em Nova Santa Rita. ' Há mais ou menos 12 anos precisou se afastar, mas a sua vida ainda é o circo', diz o filho César. Com o grupo de colaboradores do Circo Texas é formado por oito pessoas, que são responsáveis pela montagem, desmontagem, cenários, mágicas, palhaços, personagens, trapézio e outras atrações que fazem parte do espetáculo.

No último ano, os municípios de Vale Verde e as localidades do interior receberam o circo. Em Venâncio Aires, foram várias localidades. As últimas foram Linha Isabel, Vila Deodoro e, hoje, estão instalados em Vila Teresinha, onde ficam por duas semanas. César Souto diz que no interior o circo ainda é valorizado. 'Não tem internet, as pessoas são mais tranquilas e o circo, muitas vezes, passa a ser a única diversão', diz.

Para o palhaço Xispirito, o circo vem na tentativa de resgatar a cultura circense e a alegria do palhaço pela interação com a plateia, em especial nas comunidades onde a diversão e as atrações culturais ainda são escassas. Entre os colaboradores também estão Junior Ferreira, Stéfani e o filho Lorenzo Ferreira, de seis meses, Fernando Huff e Kerle Boeira dos Santos. 

 

Interior é tudo de bom
A proprietária Marinisi diz que, no interior, 'é tudo de bom'. De acordo com ela, o aluguel dos espaços não é tão caro, existe a vontade das pessoas de acolherem o circo e ver o espetáculo, embora diga que ainda há desconfiança e discriminação em alguns lugares. 'Mas eu só tenho elogios ao povo de Venâncio Aires, onde fomos muito bem recebidos. As pessoas não sabem como nos agradar e nós ficamos felizes e satisfeitos em poder fazer o espetáculo aos moradores', completa.

 

Trajetória 
1 A questão econômica e perdas em função de temporais fizeram com que César e Marinisi parassem com o circo e fossem buscar uma vida 'normal' entre os anos 2000 e 2008. O casal recorda que César foi trabalhar como DJ, organizador e palhaço na animação de festas.

2 Marinisi foi atuar em casas de família, como doméstica. ' Não deu certo. A crise chegou e quem se acostuma a estar no mundo, livre, é difícil se adaptar fora dele', comenta César. 'Foi então que resolvemos resgatar a lona do circo do meu pai e voltar aos espetáculos', complementa.

3 'O nosso pontapé inicial foi por meio de um amigo de Ernestina, de apelido Magrão, que nos ofereceu o financiamento de uma lona nova para recomeçar. Somos gratos pela atitude dele, pois é por isso que hoje estamos aqui', diz Marinisi.

4 Ela conta que quando recomeçaram, não tinham praticamente nada, dormiam em barracas e, hoje, conseguiram adquirir o trailer, o ônibus e equipar melhor o circo, garantindo as condições para continuarem a jornada.

 

Formação da família
Quem já não pensou em viver uma paixão de circo, pegar as malas e seguir viagem com o espetáculo? Pois este foi o passado de Marinisi, que desde os 15 anos, faz parte do circo. Natural da cidade de Ernestina, seguiu os passos da irmã mais velha, Maria, circense casada com Paulo, irmão de César. Ao visitar a irmã no circo, nas férias da escola, acabou por seguir o mesmo caminho, acompanhada do palhaço Xispirito. 'E lá se vão 23 anos', conta. Atualmente, o filho Ricardo, 9 anos, é o principal artista do circo e pretende seguir os passos do pai e do avô.

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e foto: Jaqueline Caríssimi 

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||