Com alta procura, gás e combustíveis terminam rápido

Publicado em 02/06/2018 às 18h02

Temendo nova paralisação, motoristas voltaram a formar filas nos postos de Venâncio Aires nesta sexta-feiraPassados três dias do término oficial da greve dos caminhoneiros, alguns itens de consumo ainda não têm seus abastecimentos normalizados. Em Venâncio Aires, a demanda por combustíveis e gás de cozinha é grande e o que ajuda a explicar essa situação é o rápido término dos produtos entre os fornecedores. Em um distribuidor de gás da cidade, o botijão nem chega a ficar estocado. Segundo a proprietária da Copagaz de Venâncio, Lisiane Schimuneck, de duas cargas com 370 botijões recebidas nesta sexta-feira, 1º, à noite, cerca de 200 já estavam encomendados ou pagos. 'Pelo jeito que anda, não dura o sábado todo. Para segunda, não se tem previsão de entrega', destacou.

Nos postos de combustíveis, durante a tarde da sexta-feira, muitos já registravam falta de gasolina comum, com previsão de novo recebimento ao longo do fim de semana. Mas há postos que ainda nem receberam desde que a greve terminou, entre ele o Vamakito da rua Tiradentes. O posto Gasóleo do bairro Gressler não atendeu nesta sexta-feira.

No Posto São Cristóvão, o valor da gasolina comum, nesta sexta-feira foi de R$ 4,75 o litro, porém o estoque tinha terminado. Para este sábado, novo recebimento está previsto. Quanto ao diesel, uma carga chegou na noite desta sexta-feira. Segundo o gerente, Vilson Fagundes, nessa remessa está incluído um desconto. 'Quando fizemos a encomenda do diesel, já apareceu no sistema um desconto de R$ 0,40, o que será revertido na bomba e o litro deve ficar em torno de R$ 3,30', estimou.

 

SUPERMERCADOS

Nos supermercados, o movimento também é grande. Segundo o comprador do Super Lenz, Roderlei Lenz, aos poucos as mercadorias têm sido entregues. 'Até a metade da semana chegou a faltar itens como carne, ovos, hortifruti e alguma coisa de laticínios, mas agora está normalizando e ficando em dia', relatou. Lenz destacou ainda o grande movimento desta sexta-feira. 'Não sei se o pessoal está receoso que aconteça outra greve, mas também temos que considerar que é início de mês e muitos compram para o mês todo', ponderou.

 

PRECAUÇÃO

O receio por uma nova greve trouxe de volta as filas aos postos de combustíveis de Venâncio Aires. É o caso de Ivo Fischer, de Linha 17 de Junho, que aproveitou a estada na cidade para encher o tanque o carro e também abasteceu os seus dois tanques plásticos. 'Não sabemos se é verdade, mas na dúvida preferi abastecer e ficar mais tranquilo', disse. Quem também aproveitou para encher o tanque do carro e levar mais quatro litros extras em reservatórios foi Irineu Schuck, de Linha Travessa. 'Pode ser boato que vai ter uma nova paralisação. Mas, como preciso do carro para trabalhar, prefiro não correr riscos', declarou. O fiscal do Procon de Venâncio Aires, Marcelo Hickmann, acompanhou a movimentação e nenhuma irregularidade foi apontada.

 

Governo afirma que monitora suposta retomada de paralisação

Ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha disse nesta sexta-feira, 1°, que órgãos de inteligência estão atentos a vídeos e notícias que incitam a retomada da paralisação dos caminhoneiros e dizem que o governo não cumpre o acordo. Segundo ele, se for necessário, serão tomadas providências. 'No momento certo, se for o caso, haverá ação do governo para que quem estiver incitando de forma infundada inverdades pague a responsabilidade que esse ato porventura decorra. Não vai ficar sem punição quem tentar descaracterizar a verdade dos atos praticados pelo governo', afirmou, em entrevista coletiva após reunião do Grupo de Acompanhamento da Normalização do Abastecimento, no Palácio do Planalto.

Padilha reforçou que pontos do acordo feito com os caminhoneiros já estão em vigor: não cobrança de pedágio do eixo suspenso, a reserva de 30% de frete na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para caminhoneiros autônomos e a tabela de preço mínimo para o frete. O desconto de R$ 0,46 por litro de óleo diesel deve chegar às bombas de combustível até segunda-feira, 4. O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse que a partir de segunda deverão ser fixadas placas nos postos de combustíveis informando o valor cobrado pelo diesel em 21 de maio e o preço atual, com a redução dos R$ 0,46.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Cristiano Wildner

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||