Cooprova inicia fornecimento de alimentos para presídios

Publicado em 02/06/2018 às 18h11

Josenita Brandão, e seu marido Claudiomar, moradores de Linha Herval, estão entre os produtores que vão fornecer os alimentosA partir da próxima terça-feira, 5, a Cooperativa dos Produtores de Venâncio Aires (Cooprova) começará a entregar alimentos para os presídios estaduais de Encantado, Lajeado (masculino e feminino) e de Venâncio Aires (Peva). E, se houver necessidade, também, vai fornecer para o presídio estadual de Santa Cru do Sul. A Cooprova contará o apoio da Cooperativa dos Produtores de Santa Cruz do Sul (Coopersanta) para os produtos que não são produzidos hoje pelos associados.

No total, serão 13 entregas previstas para o mês de junho, cujo valor total somará R$ 14,1 mil. 'Não conseguimos efetuar uma entrega maior porque ainda é um mercado novo e não temos mais detalhes de como realmente funciona', salienta a secretária executiva da Cooprova, Carine Larsen.

Ela acrescenta que serão sete produtos que serão fornecidos por oito associados habilitados e que, apesar do número de associados ser considerável, isto ocorre por ser uma quantia reduzida de produtos. 'Por ser um mercado ainda desconhecido, precisamos contar com pessoas que a gente sabe que vão estar produzindo estes alimentos para podermos fornecer de forma correta.'

Na tarde da quarta-feira, 30, a diretoria da Cooprova se reuniu com os representantes da 8ª Delegacia da Superintendência Estadual dos Serviços Penitenciários (Susepe) em Santa Cruz do Sul, para as tratativas finais de como funciona o programa e o que a cooperativa precisa para efetuar a entrega dos alimentos. A delegacia garantiu o apoio para o êxito do programa e solicitou que haja uma maior consolidação das cooperativas para possíveis vendas futuras. 'Estamos procurando buscar a abertura deste nicho de mercado, porque acreditamos que ao longo do ano vamos firmar convênios com outras entidades e instituições e, também, com a Susepe', frisa Carine.

 

CONTINUIDADE

A princípio, a Cooprova se habilitou para fornecer alimentos durante dois meses para estes presídios - no caso, junho e julho. Porém, como este mês a compra soma somente R$ 14,1 mil, Carine acredita que o programa terá continuidade nos meses subsequentes, pois segundo ela, o valor total soma R$ 50 mil. 'Não acredito que no mês de julho serão comprados alimentos no valor de R$ 35 mil', observa. 
A entrega ocorrerá na terça-feira e será feita pela Cooprova, que tem veiculo específico e próprio. Porém, os produtores precisam levar seus produtos até a sede da cooperativa nas primeiras horas daquele dia.

7
é a quantidade de produtos que serão entregues aos presídios. São eles: Alface, cebola, couve, moranga kabotiá, repolho, tempero verde e tomate.

8
é o número de produtores habilitados e que fornecerão os alimentos.

13
é o número de entregas para os presídios definidas para o mês de junho.

R$ 1.762,50
será o valor que cada produtor receberá no primeiro mês

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Edemar Etges 
Foto: Carine Larsen / Divulgação

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||