Hospital atrasa salários de dezembro

Publicado em 09/01/2019 às 14h49

No início de 2018, casa de saúde também atrasou salários de dezembro de 2017Destaque nos últimos dias nas páginas da Folha do Mate, as finanças do Hospital São Sebastião Mártir (HSSM) voltam à pauta nesta semana. Mas, diferente das abordagens anteriores, quando destacou o valor do convênio com a Prefeitura para 2019 e a considerada 'administrável' dívida com bancos, dessa vez há uma preocupação imediata: o atraso no pagamento de salários e férias de funcionários.

Os depósitos a cerca de 500 funcionários - aqui incluídos os profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) - chegam a pouco mais de R$ 1 milhão. Eles deveriam ser feitos nesta terça-feira, 8, mas devem ocorrer, na melhor das hipóteses, apenas na sexta, 11. É o que indica um comunicado assinado pelo administrador da casa de saúde, Fernando Branco.

Segundo ele, o atraso é devido ao não pagamento dos repasses do Estado e do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPE). Juntos, os valores atrasados chegam a R$ 1,5 milhão. 'Isso está acontecendo com vários hospitais, porque Estado e IPE não estão cumprindo com o calendário. Por isso, nesse momento, não temos como honrar com a folha', lamentou Branco.

O administrador, por outro lado, se mostra otimista para a que a situação se resolva até o fim da semana. 'Estamos numa força tarefa para que até sexta esteja tudo em dia.'

 

PLANO B

Mesmo otimista em relação aos repasses atrasados, a administração do HSSM preferiu não arriscar e a situação já foi comunicada, também, à Prefeitura de Venâncio Aires. O Município seria o 'plano B' para ajudar com a conta e, se de fato tiver que dar auxílio, será antecipando a parcela dos serviços de janeiro. Assim, pela renovação do contrato assinado na última semana, seria algo em torno de R$ 664 mil. 'Já comunicamos a Prefeitura e provavelmente precisaremos dessa antecipação', destacou Fernando Branco.

Uma terceira alternativa, por enquanto, foi rechaçada pelo administrador. Assim, o plano C de recorrer a empréstimos não é cogitada.

 

SINDICATO

A expectativa do pagamento para o dia 11 não tem garantias. Ainda assim, o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Santa Cruz do Sul e Região prefere, neste primeiro momento, depositar as fichas no que foi apalavrado.

O presidente do Sindisaúde, José Carlos Haas, diz que espera pelo cumprimento do pagamento dos salários. 'Isso deixa todo mundo chateado e é muito desagradável para os funcionários. Esperamos que seja cumprido até o fim de semana. De qualquer forma, com o Judiciário em recesso, nem adianta encaminhar nada. Então vamos confiar que tudo se resolva até sexta.'

 

ATRASOS

Segundo o administrador do HSSM, Fernando Branco, o Estado deve cerca de R$ 1 milhão (dívida referente a outubro, novembro e dezembro de 2018) e o IPE deve em torno de R$ 500 mil (referente a novembro e dezembro).

Mensalmente, o Estado deveria repassar cerca de R$ 330 mil e o IPE, R$ 250 mil. União e Prefeitura estão em dia com seus repasses ao hospital.

No dia 4 de janeiro, a matéria da Folha 'Plano financeiro quer recuperar dívida de R$ 10 milhões' destacava que salários, atendimentos, impostos e fornecedores estavam 'em dia'. Com a diferença, agora, dos salários, Fernando Branco reafirmou que todo o restante está devidamente atualizado.

Em janeiro de 2018, o HSSM viveu situação semelhante. Com isso, os salários de dezembro de 2017 foram depositados em duas vezes. A quitação foi possível após antecipação da parcela do convênio com a Prefeitura.

 

'Se houver viabilidade, apoiaremos'

Abertamente apontada como principal 'fiadora' de recursos, a Prefeitura de Venâncio Aires afirmou que, se preciso, ajudará, como aconteceu em 2018. Segundo o secretário de Saúde, Ramon Schwengber, o Município ainda está nos dias de contabilização e fechamento de 2018, por isso ele solicitou uma análise financeira do Fundo Municipal de Saúde.

Conforme Schwengber, houve reuniões com as equipes da Secretaria da Fazenda, Procuradoria Jurídica e Controle Interno nesta terça, para analisar a viabilidade em ajudar o hospital. 'Ainda não encerramos o exercício do ano passado, estamos pagando vários fornecedores, tais como Samu e UPA. Para concluir a análise e dar um retorno ao hospital, precisamos concluir este trabalho, o que deve ocorrer até quarta [hoje].'

O secretário disse ainda que estão todo preocupados com a situação da casa de saúde, especialmente pelos funcionários. 'Se houver viabilidade, com certeza apoiaremos, como já fizemos anteriormente.'

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos: Débora Kist
Foto: Alvaro Pegoraro 

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||