Moradores cultivam saúde em horta comunitária no posto Coronel

Publicado em 15/11/2017 às 10h11

Com enxadas, ferramentas e muita vontade, moradores cultivam verduras, legumes e chás no terreno do postoTerça-feira, 14h. Mais de 15 moradores do bairro Coronel Brito comparecem ao posto de saúde. Eles não têm consulta agendada e também não é dia de retirar medicamentos. No entanto, têm compromisso marcado com a saúde preventiva: é hora de trabalhar na horta comunitária cultivada no terreno da unidade básica de saúde.

Desde o início do setembro, profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF) Coronel Brito e moradores do bairro colocam a 'mão na terra' para cultivar legumes e verduras sem agrotóxico, em uma horta comunitária. 

Aposentado, Alaídes Rosa, 68 anos, é um dos colaboradores assíduos: capina, planta e tira o mato que cresce no local. "É muito bom. Em vez de ir para a bodega ou sair para fazer fofoca, viemos aqui trabalhar um pouquinho", diz ele, em meio a uma gargalhada. 

É com a ajuda de pessoas como seu Alaídes que as alfaces, os tomates e o tempero verde plantados nos canteiros têm crescido vistosos. Ele mesmo já levou para casa uma alface cultivada nos fundos do posto de saúde. "Estava bem boa", aprova. 

Autor da ideia da horta comunitária, o técnico em enfermagem Wolmir Roque Weber explica que a ideia é exatamente essa: os moradores plantam, aprendem sobre os alimentos e têm a oportunidade de dividir a produção. "É uma maneira de melhorar a qualidade de vida das pessoas. Podemos buscar saúde, também, na alimentação, reforçando os benefícios das verduras e dos legumes ao nosso organismo."

''A ideia funcionou muito bem. Tem pessoas muito colaborativas, que estão sempre trabalhando na horta", Wolmir Roque Weber, técnico em Enfermagem.

Segundo a enfermeira Patrícia Anelise da Silva, o objetivo é que cada vez mais pessoas participem do projeto. Além dos benefícios do consumo de alimentos orgânicos, ela cita a integração entre os moradores do bairro como um dos pontos positivos da horta comunitária. Na atividade junto dos vizinhos, eles trocam informações, divertem-se e combatem a solidão. "Aqui eles interagem com outras pessoas, podem colher verduras e ter a orientação correta de como consumir os chás."

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Juliana Bencke 

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||