Morangos e hortaliças abrem caminho para diversificação na agricultura

Publicado em 07/01/2019 às 09h06

Em 2017, Rosilei e Valdemar tiveram produção de dois mil quilos de morangos, vendidos para estabelecimentos comerciais e diretamente aos consumidoresFoi pela determinação de Rosilei Machado Kolberg, que a família de Linha Bem Feita iniciou a diversificação de culturas. O processo começou há cerca de 7 anos, quando ela decidiu abandonar o tabaco e apostou no cultivo de morangos.

O marido Valdemar João Kolberg custou a acreditar que produção diferente daquela que conhecia desde a infância poderia garantir o sustento do casal e dos filhos Leonardo e Renan. Com o suporte técnico e o apoio da Emater/RS-Ascar, Rosilei insistiu. 'Hoje, posso garantir: nunca é tarde para diversificar', ressalta Kolberg.

Menos de 10 anos depois de serem Casal Fumicultor Modelo de Linha Bem Feita, Valdemar e Rosilei, que chegavam a plantar 70 mil pé de tabaco, por safra, abandonaram totalmente a cultura. Atualmente, são três mil pés de morangos, em estufa, que produzem o ano todo.

A partir da produção de moranguinhos, e por demanda dos consumidores, a família também investiu em hortaliças. Atualmente, são quase 20 tipos, que abastecem mercados e restaurantes, além de programas governamentais. Para o casal, além da possibilidade de utilizar apenas mão de obra familiar, a principal mudança com a diversificação de culturas está na qualidade de vida. 'Tanto nos morangos quanto nas verduras, trabalhamos totalmente sem veneno', enfatiza Rosilei.

>> 6 mil famílias venâncio-airenses vivem exclusivamente de renda obtida da agricultura, conforme estimativa da Emater/RS-Ascar.

 

Agricultura familiar: uma marca do município

A agricultura familiar está no DNA de Venâncio Aires e na base da economia do setor primário. Ao todo, são mais de 7,8 mil famílias que residem no meio rural, das quais mais de 95% são agricultores familiares.

Nessas propriedades, os rendimentos anuais oriundos do trabalho no campo variam entre R$ 20 mil e R$ 450 mil, e a renda agrícola corresponde a, pelo menos, metade dos recursos da família. Entre as características desses agricultores estão, ainda, a mão de obra prioritariamente familiar.

Do cultivo do tabaco à produção de hortaliças e à criação gado de corte e leite, produtores rurais garantem a consolidação do setor primário. Para o prefeito Giovane Wickert, embora Venâncio Aires tenha a cultura do tabaco como carro-chefe na agricultura, outros setores se destacam, como o de proteína animal, aipim, feijão, soja, arroz e leite, além do segmento de hortifrutigranjeiros, e têm papel importante no cenário econômico, ao propor a diversificação.

Para ele, essa diversidade promove um equilíbrio positivo no setor primário - benéfico tanto para as famílias produtoras quanto para toda a economia da cidade. 'Poucos municípios acima de 20 mil habitantes têm mais de um terço na população na área rural, como Venâncio Aires. Ter equilíbrio em vários setores, sem se basear em apenas um produto, é muito positivo.'

 

Fonte: Folha do Mate
Créditos e Foto: Juliana Bencke

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||