Município prepara nova licitação para recolhimento do lixo em 2019

Publicado em 03/12/2018 às 07h57

A pauta do lixo em Venâncio Aires ganhará força em 2019. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma) prepara uma nova licitação para a escolha de empresas que fazem o recolhimento, triagem, transporte e depósito do lixo gerado na Capital do Chimarrão. O último processo licitatório do tipo foi realizado em 2015 e podem ser prorrogados até 2020. Porém a proposta do poder público é de avaliar propostas e garantir melhor preço para o serviço de coleta.

Atualmente os gastos médios mensais com toda a rede de coleta do lixo alcançam R$ 400 mil. Para 2019 foram projetados R$ 4,7 milhões em despesas com este tipo de serviço. A expectativa do secretário Clóvis Schwernter é de reduzir em pelo menos R$ 50 mil por mês os gaAstos com os contratos, com o novo processo de licitação. Para isso, consultas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) são realizadas para construir o novo processo de seleção. “Este é o processo muito detalhado que leva em consideração os serviços realizados, tipo de caminhões e até mesmo o tipo de pneu dos caminhões. Vamos fazer um novo processo de contratação para buscar novas tecnologias e melhorias para a coleta seletiva, além de buscar economia aos cofres públicos,” destaca.

O processo de licitação deve ser aberto até setembro. Atualmente são quatro contratos firmados. O principal deles com a empresa Conesul, que realiza a coleta seletiva e dos contêineres na área urbana e perímetro rural. Outra contratação é para operação da Usina de Triagem, em Linha Estrela. O terceiro contrato envolve o transporte de resíduos entre Venâncio Aires e o município de Minas do Leão. Lá, um quarto contrato é firmado para o depósito em aterro sanitário.

 

ORGÂNICO

Aliado ao plano de nova licitação para os serviços de coleta do lixo, a pasta municipal quer ampliar ações para garantir menos peso no destino final. Para isso, avalia a criação de uma composteira junto a usina de triagem, com a proposta de diminuir o volume de resíduos depositados no aterro. “Isso ainda está em avaliação, mas poderemos garantir a destinação final de parte do nosso lixo orgânico. Atualmente estão enterrando dinheiro, e queremos buscar formas de economizar,” explica Schwernter.

 

DIAGNÓSTICO

No dia 03 de dezembro uma empresa contratada pelo Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale) vai visitar Venâncio Aires para realizar o diagnóstico dos resíduos. O objetivo é de construir o plano regional de resíduos sólidos, que será o ponta pé inicial para a criação de um sistema regionalizado para destinação final de lixo gerado nos 14 municípios que integram o grupo consorciado. O assunto tem sido pautado desde o ano passado e uma das ideias é de criar um aterro regional.

 

Fonte: Olá Jornal 
Créditos: Guilherme Siebeneichler

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||