Município tem cerca de 140 atendimentos de fisioterapia domiciliar, por mês, pelo SUS

Publicado em 20/10/2017 às 09h40

Tatiane se dedica integralmente aos cuidados do filho, Enzo, e comemora os resultados com a fisioterapia oferecida pelo Município Na casa de Enzo Siebeneichler, a fisioterapeuta Gheísa Marques, 35 anos, já é considerada membro da família. De segunda a sexta-feira, ela vai até a residência, no bairro Santa Tecla, para sessões de fisioterapia com o menino, que completou um ano no dia 12. Com síndrome Cornélia de Lange - doença rara, caracterizada por mal formações e que afeta o desenvolvimento -, Enzo é um dos 25 pacientes beneficiados com o serviço de fisioterapia domiciliar pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em Venâncio Aires.

Por cerca de uma hora, Gheísa realiza exercícios de fisioterapia respiratória, alongamentos e atividades de estimulação do controle cervical com Enzo, além de trabalhar aspectos auditivos e visuais. 'Vemos que ele já apresenta alguns reflexos', afirma a profissional, que desdobra-se em uma relação de carinho com o paciente. Apesar de não falar, caminhar nem engatinhar, Enzo bate palminhas e sorri, durante a sessão. 

A mãe Tatiane Cristina Lause, 28 anos, comemora o desenvolvimento do filho, que também faz sessões de estimulação precoce e fonoaudiologia - estas, pagas pela própria família. 'Depois de dez cirurgias e sete meses no hospital, em Porto Alegre, o Enzo veio para casa no dia 25 de maio. Quando chegou, ele não fazia nada, nem se mexia. Nesse período, já evoluiu muito.'

Gheísa comenta que, em casos como o de Enzo, a fisioterapia domiciliar garante um atendimento mais individualizado. 'Como ele tem imunidade baixa, corre mais riscos de infecção, por isso, é importante ser atendido em casa', explica. Além disso, o fato de o menino estar ligado 24 horas no oxigênio, por meio de uma traqueostomia, dificulta a locomoção.

Ampliação dos atendimentos

O secretário municipal de Saúde, Ramon Schwengber, comemora a ampliação dos atendimentos de fisioterapia domiciliar e a garantia de qualidade de vida a pacientes como Enzo. Por mês, são cerca de 140 procedimentos. 'Estamos gastando o mesmo valor do ano passado, em torno de R$ 5 mil, por mês, e atendendo mais do que quatro vezes mais', enfatiza.

De acordo com ele, a ampliação dos atendimentos foi possível devido à abertura de um chamamento público para credenciamento de fisioterapeutas. Antes, os atendimentos estavam a cargo de um único servidor contratado pelo Município. 'Além de aumentar o número de atendimentos, o credenciamento oportuniza aos profissionais formados em Fisioterapia que desempenhem sua função recebendo por consulta', observa o secretário. 

Schwengber observa que todos os pacientes que recebem o serviço domiciliar passam por análise com o fisioterapeuta concursado da Prefeitura, que avalia a necessidade do atendimento em casa. 'São atendidos desde crianças até idosos. A fisioterapia garante mais qualidade de vida aos pacientes', diz.

Atendimentos

140

sessões de fisioterapia domiciliar são realizadas, em média, pelo SUS, em Venâncio Aires, a cada mês.

Credenciamento

Atualmente, três fisioterapeutas estão credenciados para realizar os atendimentos domiciliares pelo SUS, em Venâncio Aires. Entretanto, o chamamento público segue aberto e outros profissionais podem se cadastrar.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Juliana Bencke
Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do Mate

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||