Obra levará água potável a famílias do interior de Vila Mariante

Publicado em 10/05/2018 às 13h20

Walmor e Denise contam os dias para substituir a água com aspecto sujo, do poço artesiano, pela água tratada pela CorsanO comissário de polícia aposentado, Walmor Machado Mariante, 60 anos, e a esposa Denise Terezinha Pereira Mariante, 48 anos, estão contando os dias para o momento em que poderão abrir a torneira e beber água tratada. "Só faltavam duas coisas para que tivéssemos toda a estrutura para morar aqui: sinal telefônico e água potável", diz Walmor, que reside há 21 anos em Linha Sertão, no interior de Vila Mariante.

A primeira demanda, ele mesmo resolveu, com a compra de uma antena telefônica. A segunda, deve sair do papel em breve, com a conclusão de uma obra da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). A expansão de 4,3 mil metros na rede de água deve ser concluída nos próximos dias e garantirá que em torno de 40 famílias da Avenida Beira Rio e de localidades como Itaipava das Flores, Linha Sertão e Linha Reversa tenham acesso à água encanada.

"A obra vai permitir que se leve água potável para essas pessoas. Era uma reivindicação antiga dos moradores", destaca o gerente local da Corsan, Ilmor Döor. Segundo ele, a ampliação da rede de distribuição de água tratada no 2º Distrito, ocorre em parceria entre a estatal, que fornece o material e conta com equipe de profissionais, e a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Sisp), que disponibiliza máquina e um operário para a obra. "Ao todo, foram cerca de três meses de obra. O serviço vai sendo realizado conforme a disponibilidade da secretaria", explica.

A expectativa é de que, até o fim da semana, a obra seja pronta, com a interligação dos canos na área de uma sanga. A partir de então, as famílias poderão fazer o pedido de ligação da água, no escritório da Corsan. Elas se somarão às cerca de 700 famílias que já utilizam a água captada no Rio Taquari e distribuída a localidades de Vila Mariante e também de Vila Estância Nova, após passar pela Estação de Tratamento de Água (ETA) de Mariante. 

De acordo com o gerente da Corsan, está prevista, ainda, em uma segunda etapa da obra, uma ampliação de mais 1,2 metros na rede de água, totalizando 5,5 mil metros de extensão ligada à atual rede. "Com isso, a região de Mariante ficará 100% atendida com água da Corsan."

>> 2,5 mil pessoas, aproximadamente, de 700 famílias, são abrangidas pelo abastecimento de água tratada na ETA de Vila Mariante, no 2º distrito e também em Vila Estância Nova.

>> 250 mil litros de água são tratados, por dia, na ETA de Vila Mariante.

 

"Saúde e qualidade de vida"

Para Walmor Machado Mariante, a ampliação da rede de água para a localidade onde mora há mais de duas décadas, representa um sonho realizado. "Isso é saúde pública e qualidade de vida para nós. Vamos poder abrir a torneira e ter água limpa."

Até agora, ele e a esposa buscam água tratada na casa dos filhos, na área central de Venâncio Aires, para beber, e utilizam água do poço artesiano para banho e limpeza da casa. "Não dá para lavar roupa branca, que fica toda encardida. O vaso sanitário e a pia também ficam todo manchados", afirma a esposa de Walmor, Denise Terezinha Pereira Mariante.

Moramos 'no meio' da água. De um lado está o Rio Taquari, de outro o Arroio Taquari Mirim e ainda tem uma sanga aqui perto de casa e, mesmo assim, até agora, não temos água tratada para beber", Walmor Machado Mariante, morador de Linha Sertão.

Além do aspecto sujo da água do poço, o casal afirma que a água é imprópria para consumo. "Há seis anos, pedimos para a Vigilância Sanitária realizar testes. Foram feitas 15 coletas de amostras de água em poços aqui da região, e em todas apareceram coliformes fecais e bactérias", conta Walmor, que esteve à frente de um abaixo-assinado, na época, em busca da ampliação da rede de água.

De acordo com o morador de Linha Sertão, dor de cabeça e diarreia, e até mesmo casos de hepatite, são comuns nas localidades onde há o consumo da água sem tratamento. "Quando tem enchente, vem toda aquela água suja, sem tratamento de esgoto, penetra no lençol freático e contamina os poços", observa.

Novo reservatório

Outro investimento que deve sair do papel, em breve, na ETA de Vila Mariante, é a instalação de um novo reservatório de água de 100 mil litros - o dobro da capacidade atual. Segundo o gerente da Corsan, Ilmor Döor, com o novo reservatório, será ampliada a capacidade de abastecimento e reduzidas as chances de falta de água no local. "Atualmente, como o reservatório é de apenas 50 metros cúbicos, se ocorre algum vazamento, a água do reservatório pode terminar, durante a noite, quando os funcionários não estão trabalhando", explica.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Juliana Bencke

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||