Pesquisa, desenvolvimento de projetos e formação profissional são caminhos para a inovação

Publicado em 22/11/2017 às 14h26

No processo de inovação, as instituições de ensino têm papel determinante para o desenvolvimento de novos processos e produtos. Com tecnologia, profissionais com alta qualificação e recursos para pesquisa, esses locais conhecem o contexto mercadológico e buscam soluções para oferecer maior produtividade, redução de custos, melhoramento de processos, ou produtos inéditos ao mercado consumidor.

Apesar de essa ser uma característica comum a instituições que visam a produção de conhecimento, algumas iniciativas se destacam. É o caso do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-Rio-Grandense (IFSul), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), por meio de seu Parque Científico e Tecnológico Regional.

IFSul
Com Ensino Médio Técnico Integrado nas áreas de Refrigeração e Informática, e também cursos técnicos pós-médio em Eletromecânica, Refrigeração e Climatização, o instituto norteia seu trabalho para a pesquisa e desenvolvimento de projetos. Além da formação específica, que permite aos alunos elaborarem o planejamento de uma câmara fria ou um complexo sistema computacional, por exemplo, outros projetos ampliam a aplicação dos conhecimentos, resolvendo problemas do cotidiano.

Preocupados com as enchentes que atingem moradores da parte mais baixa da cidade, estudantes criaram um software de monitoramento do nível das águas do Arroio Castelhano, o qual é capaz de enviar avisos para a Defesa Civil e outros órgãos. Outro aplicativo em desenvolvimento, busca auxiliar deficientes visuais no reconhecimento de cédulas de dinheiro.

Um carro elétrico, cujo objetivo é priorizar a eficiência energética, robôs feitos por meio de materiais recicláveis e o estudo de células fotovoltaicas para a produção de energia são outros dos projetos trabalhados no campus.

Senai
Presente há 23 anos em Venâncio Aires, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) Frederico Closs direciona seu trabalho para a qualificação e aperfeiçoamento profissional. Com cursos regulares nas áreas de mecânica, eletricidade, logística e administração, forma aprendizes com idades entre 14 e 24 anos. São 250 jovens que preenchem cotas de aprendizagem financiadas por empresas mantenedoras. Além disso, disponibiliza cursos abertos à comunidade nas áreas de metalmecânica, tecnologia da informação, eletroeletrônica, têxtil e vestuário. Cursos técnicos em eletromecânica, mecânica e eletroeletrônica também podem ser cursados na unidade Senai de Santa Cruz do Sul, com algumas opções na modalidade de Educação à Distância.

Com metodologia de ensino renovada, com o uso de salas de aulas virtuais e realidade aumentada em livros didáticos, o Senai tem buscado formar profissionais aptos para participar do que chamam de quarta Revolução Industrial, a qual envolverá, principalmente, a internet das coisas e a automação. Unindo teoria e prática em laboratórios, a entidade já tem apresentado ao setor empresarial projetos nessa linha, como por exemplo, uma casa automatizada controlada por smartphone.

TecnoUnisc
Com foco nas áreas de Tecnologia da Informação e da Comunicação, Tecnologia Ambiental, Biotecnologia, Oleoquímica e Tecnologia em Sistemas e Processos Industriais, a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) estimula a inovação e o desenvolvimento por meio de seu Parque Científico e Tecnológico Regional (TecnoUnisc), instalado junto ao campus de Santa Cruz do Sul.

Para os empreendedores, a instituição oferece infraestrutura para hospedagem e incubação, acesso a laboratórios, consultoria técnica especializada, diminuição do custo e riscos do processo de inovação, estabelecimento de alianças estratégicas, facilidades para o acesso rápido ao mercado, criação da cultura de gestão, inovação e planejamento, uso de práticas gerenciais competitivas, e redução dos custos operacionais.

Para fazer parte, é possível acessar o Edital do Fluxo Contínuo do TecnoUnisc, que oferece duas modalidades, uma com instalação na infraestrutura oferecida na universidade, e outra com associação externa. Além disso, ideias inovadoras são recebidas por meio de editais da Incubadora Tecnológica, com foco em pessoas que estejam iniciando seu projeto, e que podem participar da seleção sem empresa constituída.

19 empresas estavam pré-incubadas, incubadas, hospedadas ou associadas de forma externa no TecnoUnisc em outubro de 2017.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Ana Flávia Hantt 

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||