Seminário das Escolas do Campo evidencia educação nas comunidades do interior

Publicado em 09/11/2017 às 08h55

Professores compartilharam experiências e trocaram ideias, ao longo do dia de ontemDiretora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Dom Pedro I, de Linha Cerro dos Bois, a professora Cássia Roberta da Silva também é responsável pelos 24 alunos de 1º ao 5º ano, atendidos, todos, em uma única turma. "Durante a manhã toda, não dá nem tempo de sentar, mas é um trabalho muito satisfatório. Os alunos gostam muito de ir para a escola, não faltam aula", conta ela, em meio a sorrisos.

 

Depoimentos como o de Cássia são comuns entre os professores que atuam em estabelecimentos de ensino unidocentes e multisseriados, no interior de Venâncio Aires. Ontem, projetos, experiências e práticas pedagógicas das instituições foram evidenciadas, no 1º Seminário das Escolas do Campo de Venâncio Aires, promovido pela Secretaria Municipal de Educação.

 

"Gosto muito dessa realidade. Buscamos sempre valorizar o lugar onde os alunos vivem, fazendo com que se localizem e entendam que fazem parte de um todo", afirma a professora da Emef Dom Pedro I. 
Assim como Cássia, profissionais de outras 16 escolas municipais do interior do município participaram do evento de confraternização e troca de informações, que ocorreu na sede da Associação dos Servidores Municipais de Venâncio Aires (Asmuva), no Parque Municipal do Chimarrão.

 

Professora do 1º e do 4º ano da Emef Bento Gonçalves, Luciane Cristina Louzada Tica Zappe destacou o projeto 'Buscando um mundo melhor', desenvolvido junto à comunidade de Estância São José. 

 

A partir do problema de lixo depositado em frente à escola, em dias que não havia coleta seletiva, a instituição iniciou uma série de ações, como construção de uma nova lixeira, criação de horta e composteira e confecção de folhetos informativos. "Os alunos levaram fôlderes para casa e distribuíram para os vizinhos. Os pais auxiliar na construção de uma nova lixeira e, hoje, a comunidade não coloca mais o lixo em qualquer dia", relata.

 

"Elas são a alma da comunidade"
Para a coordenadora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação, Alice Theis, o envolvimento com as famílias é uma marca das escolas do campo, que também contribuem no combate ao êxodo rural. "Elas são a alma da comunidade, têm essa identidade de valorizarem e se preocuparem com o local onde estão inseridas", define, ao observar, também, que as escolas são as principais responsáveis por levar informação e conhecimento à área rural.

 

Na opinião da secretária municipal de Educação, Joice Battisti Gassen, o Seminário das Escolas do Campo permite conhecer as ações desenvolvidas nas instituições e valorizar as iniciativas, muitas vezes, realizadas por uma única professora que também atua como diretora e prepara a merenda dos alunos. "Percebemos quanta coisa rica é feita no nosso município, no dia a dia", elogia.

 


 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Juliana Bencke

 

 

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||