Sociedade de Leituras à procura de presidente

Publicado em 24/11/2017 às 15h22

Aos 130 anos, completados em abril de 2017, a Sociedade de Leituras, um dos mais tradicionais clubes de Venâncio Aires, está à procura de um timoneiro. Desde que a massoterapeuta e esteticista Nirley Bogorny renunciou à presidência - cargo que ocupou por quase quatro anos -, o presidente do Conselho Deliberativo, dentista Cássio Gauer, é quem comanda o clube. Ontem, ele confirmou que, nos próximos dias, convocará uma assembleia para discutir com os associados os rumos da Sociedade de Leituras.

Gauer afirmou que está buscando documentos oficiais, que comprovem o afastamento da última diretoria, para convocar a assembleia, oportunidade em que vai apresentar um balanço financeiro da sociedade e 'deixar quem eventualmente tenha interesse de assumir como presidente bem ciente da situação atual do clube'. Sem citar números, o líder do Conselho Deliberativo disse que a operação da Sociedade de Leituras é deficitária e que são extremas as dificuldade de pagar dívidas antigas e fazer reformas e investimentos na estrutura física.

Ele também descartou a possibilidade de fechamento da sociedade, ressaltando que comentários nesse sentido ganharam as redes sociais nos últimos dias, mas que não são verídicos. 'O que houve é que a professora de hidroginástica, que dá aula através de um convênio com a Prefeitura, vai sair de férias e informou que as atividades serão encerradas no dia 7 de dezembro. Aí acho que as pessoas entenderam que o clube vai fechar as portas', esclareceu. Antes da assembleia, reforçou ele, nenhuma decisão desta envergadura será tomada. 'Agora, se na assembleia, que é soberana, for definido isso (fechamento), é outra história', ponderou.

RECEITAS E DESPESAS - Por conta de exigências do Corpo de Bombeiros, nos últimos meses o clube perdeu suas receitas com aluguel de espaços para promoção de festas, que ocorriam normalmente aos finais de semana. Dessa forma, a injeção de recursos, atualmente, se dá apenas pelas mensalidades, cenário que reduz a arrecadação e prejudica a manutenção da estrutura. Os dois funcionários da Sociedade de Leituras, segundo Cássio Gauer, estão com as situações em dia. 'Estamos fazendo tudo o que podemos, da melhor maneira possível', afirmou ele, acrescentando que não tem interesse de assumir a presidência, cargo que ocupou entre 2012 e 2014.

'Também não há interdição, como foi comentado'

Paulo Leuckert, sogro de Cássio Gauer e que tem auxiliado o genro na tesouraria do clube, salientou ontem que, além de o fechamento da Sociedade de Leituras não ter sido colocado em pauta, também não confere a informação de interdição dos espaços utilizados para festas. 'Estamos nos adequando às exigências do Corpo de Bombeiros e, em breve, teremos o alvará para eventos com até cerca de 500 pessoas. Tivemos que optar por esta categoria, pois se quiséssemos nos habilitar para 1,5 mil pessoas, por exemplo, os requisitos seriam outros e demandariam investimentos que não temos condições de bancar', explicou.

Leuckert, embora não tenha formação na área, tem acompanhado, voluntariamente, a contabilidade nos últimos meses. Ele também não quis informar valores de receitas e despesas e das dívidas que o clube tem atualmente, no entanto assegurou que vai apresentar o balanço na assembleia. 'Quem for assumir, tem que saber o que vai ter pela frente. Não podemos deixar que alguém assuma tamanha responsabilidade sem ter noção da realidade para, ali na frente, desistir do trabalho', comentou.

Ele declarou ainda que, além do equilíbrio financeiro, a Sociedade de Leituras precisaria criar um fluxo de caixa que permitisse o pagamento de 'contas antigas', algumas delas relacionadas a tributos do Município. 'Se não pagarmos as dívidas, os juros vão aumentando. E também seria necessário promover algumas reformas e pinturas, mas isso vai depender de sobra de recursos, o que hoje é uma realidade distante', lamentou. Novas alternativas de receita, segundo Leuckert, devem ser uma preocupação dos associados que eventualmente tiverem interesse em assumir o comando do clube.

'São 100 pessoas frequentando o clube e 70 mil querendo saber o que está acontecendo lá. Se algum dia a decisão for de fechar a Sociedade de Leituras, a imprensa será a primeira a saber, pois daí eu vou convocar uma coletiva e falar para todos, de uma vez só' - Cássio Gauer, presidente do Conselho Deliberativo da Sociedade de Leituras.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Carlos Dickow e Ana Carolina Becker

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||