Unisc elabora projeto para implantar Centro Tecnológico de Proteína Animal em Venâncio

Publicado em 06/12/2017 às 09h52

Venâncio Aires poderá ter o segundo Centro Vocacional Tecnológico (CVT) do Vale do Rio Pardo. Para isso, a Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc) se adianta na elaboração do projeto que prevê um Centro de ensino especializado em Proteína Animal. Referência no setor produtivo agrícola, Venâncio Aires carrega o "sonho" antigo de implantar o CVT e abrir espaço para o desenvolvimento e capacitação dos agricultores e empreendedores rurais. 

Liderado pelo Pró-reitor de Extensão e Relações Comunitárias da Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), Angelo Hoff, o projeto está sendo concluído para que, futuramente, possa ser cadastrado e habilitado a participar dos editais que serão abertos pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, visando a implantação de CVTs. 'Estamos alinhando o projeto para deixá-lo pronto para concorrer.'

Uma cópia do projeto semipronto foi entregue ao prefeito Giovane Wickert ontem, durante visita de uma comitiva da Prefeitura à Unisc. O grupo atendeu o convite da Instituição para conhecer os ambientes de inovação da Universidade e, na oportunidade, a reitora Carmen Lúcia de Lima Helfer destacou a importância de reforçar as relações para o desenvolvimento das regiões.

Recursos
Segundo Hoff, faz dois anos que o Ministério de Ciência e Tecnologia não abre novos editais, porém, há a expectativa de que entre março e abril de 2018 um novo edital seja aberto e, a exemplo do primeiro CVT da região - que está sendo construído em Rio Pardo - sejam liberados mais de R$ 2 milhões para o projeto. O valor contemplaria a obra física, mobiliário, equipamento e o custeio dos primeiros cursos de extensão do Centro que está sendo projetado para ser implantado junto ao campus da Unisc em Venâncio Aires.

O Pró-reitor afirma que é preciso cautela e, ao mesmo tempo, planejamento. No caso do CVT de Rio Pardo, recorda Hoff, o projeto foi aprovado em 2013, teve recursos liberados a partir de 2015 e será inaugurado em 2018. Com a implantação do Centro, a Universidade deverá contar com parceria da Embrapa, Emater e Secretaria Municipal de Agricultura, entre outros órgãos e entidades. A proposta é oferecer diversos cursos que serão ministrados por docentes da própria Unisc e especialistas de fora. 'O projeto do CVT também busca incentivar a criação do polo de proteína no município', destaca.

''A expectativa é de que o CVT possa fomentar novas cadeias de comercialização, garantir maior rendimento e novos mercados."Angelo Hoff - Pró-reitor de Extensão e Relações Comunitárias da Unisc

Diversificação na agricultura
Para o prefeito Giovane Wickert, o projeto dialoga com o cenário econômico de Venâncio Aires e contribui para a busca de qualidade e de novos mercados, com o uso de tecnologia. 'Somos um polo de proteína de leite, carne e ovos. Essa é uma tendência em pequenas propriedades rurais e uma fonte de diversificação na agricultura', observa.

De acordo com ele, umas das possibilidades é implantar o Centro Vocacional Tecnológico na área da Fundação Ambiental de Venâncio Aires (Favan), em Linha Ponte Queimada - espaço que também deve sediar uma incubadora tecnológica, entre outros projetos. 'Em breve, a área de mais de 20 hectares deve ser repassada ao município. O secretário Nelsoir Battisti está buscando uma agenda com o ministro de Ciência e Tecnologia em busca de recursos para esse projeto', adianta.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Letícia Wacholz e Juliana Bencke

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||