Venâncio-airense recebe Comenda João-de-Barro

Publicado em 01/11/2017 às 17h58

Oli Joaquim Franco, ao lado da esposa, Teresinha Franco, em Passo FundoEm comemoração pela passagem dos 51 anos de história do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), ocorreu no sábado, 28, em Passo Fundo, no Centro de Tradições Gaúchas (CTG) Tropel dos Caudilhos, solenidade de homenagens, entrega de Outorgas e titulações. As distinções, criadas pelo MTG, são concedidas a pessoas que se destacam em prol da tradição gaúcha. Títulos de Conselheiro Honorário, Conselheiro Benemérito, Medalha Barbosa Lessa e Comenda João-de-Barro, entrega de Outorgas foram algumas das atividades que fizeram parte da programação alusiva à data.

Patrão do CTG Chaleira Preta, de Venâncio Aires, Oli Joaquim Franco, 61 anos, esteve entre os homenageados das 30 Regiões Tradicionalistas (RTs), que receberam a Comenda João-de-Barro. A distinção foi indicada pela coordenadoria da 24 RT, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados, pelo tradicionalista à tradição gaúcha, na Região, entidade e comunidade, a exemplo de outros venâncio-airenses que também já foram agraciados com a titulação. Neste ano estiveram a seu lado, para receber a homenagem os indicados pela coordenadoria da 24º RT, Regina Izabel Ferreira Rodrigues, do CTG Querência do Arroio do Meio, de Arroio do Meio e Adroaldo De Franceschi, do Piquete Cabanha da Fé, de Bom Retiro.

Outorga
Ainda, durante a solenidade, Oli Franco também recebeu a Outorga de Cavaleiro Aspirante, concedida pela Ordem dos Cavaleiros do Rio Grande do Sul (Orcav). Título este adquirido por direito, após cavalgar 1.392 quilômetros. Entres estes, a busca da Chama Crioula, neste ano, em Mostardas. Também, em território da 24 RT até General Câmara acompanhou a "Cavalgada da Chama - pela paz dos povos", que teve ato solene na festividade em Passo Fundo.

Homenageado
Oli Joaquim Franco, começou, efetivamente, a trajetoria no Movimento 55 anos, após aposentar-se e retornar às origens, quando aduiriu uma chácara. Influenciado por um vizinho criador de gado, adquiriu a primeira montaria. Em 2011 foi apresentado pelo sócio-fundador do CTG Chaleira Preta, Alcerino Carvalho à entidade. Meses depois assumiu o cargo de Capataz de Patrimônio, quando liderou reformas na área de acampamento e mangueiras da entidade. Na mesma época o CTG recebia um grupo artístico, passando a formar o Departamento Artístico. Em outubro de 2013, foi indicado a patrão, em chapa única.

Ainda, na área patrimonial, liderou a reconstrução do galpão, onde com o apoio dos sócios. Em dezembro de 2015, deu início à nova obra com 660 metros quadrados. Com promoções, pequeno auxílio da Prefeitura, à época, e em regime de mutirão o galpão foi construído. Em fase de conclusão, porém em pleno uso, o espaço atende às necessidades físicas das cinco invernadas de danças, oficinas e atividades culturais, bem como da invernada campeira.

Com a participação do Departamento Cultural, no mês de setembro, instalou a biblioteca tradicionalista no galpão, com acervo de mais de cem volumes, incluindo aquisições e doações.

"É muito gratificante e aumenta a responsabilidade com tamanha honraria. Por outro lado é leve quando se faz por gostar e acreditar com seriedade nesta trilha, que a cada dia se alarga com o aumento de pessoas de todas as idades carregando esta bandeira. Agradeço à coordenadoria, minha família, ao Chaleira e amigos que puderam me prestigiar"

Oli Joaquim Franco -patrão do CTG Chaleira Preta

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos: Beatriz Colombelli 
Foto: Libório Wilges/Divulgação / Folha do Mate

voltar para Notícias - Geral

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||