Receptadores e traficantes na mira da polícia

Publicado em 06/07/2018 às 13h31

Mandados foram cumpridos no bairro BattistiSempre que a polícia (leia-se Brigada Militar e Polícia Civil) faz grandes apreensões, principalmente de drogas, as organizações criminosas precisam buscar outros meios para sanar seu prejuízo. Assaltos e furtos são as maneiras mais rápidas de se obter recursos financeiros, que possibilitem a retomada dos valores perdidos. Só no final de semana a BM retirou quase 20 quilos de maconha das ruas e os policiais sabem que isso afetará o tráfico no município, mas ele seguirá atuando e recrutando gente.

Para o delegado Vinícius Lourenço de Assunção, o que alimenta o tráfico são as pessoas que consomem as drogas que são oferecidas. Quem tem poder aquisitivo paga com dinheiro e quem não tem, sustenta seu vício como pode. "E uma das maneiras é furtando mercadorias, sejam elas quais forem, e trocando por drogas", explica o titular da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA).

As mais visadas e que viram moeda de troca são celulares, máquinas de cortar grama, bicicletas, botijões de gás e aparelhos eletrônicos. Levantamentos da Polícia Civil mostram que entre janeiro e maio deste ano foram furtadas 107 máquinas (de cortar grama, aparadores, roçadeiras, motosserras, entre outras), 68 celulares, 21 bicicletas e 60 aparelhos eletrônicos. "Isto é o que chegou ao nosso conhecimento, mas sabemos que os números são maiores", salienta o delegado Vinícius.

 

COMBATE

Por isso, tanto a BM, quanto a PC - apesar da deficiência no efetivo -, estão intensificando suas ações neste sentido. Ontem, as investigações levaram os agentes da PC a uma casa, na Rua 4, no bairro Battisti. "Sabemos que lá funciona um ponto de venda de drogas e receptação, mas desta vez não encontramos o que procurávamos", observou um dos agentes que cumpriu o mandado.

Além de mercadorias de procedência ilícita, os agentes estavam à procura de drogas e armas. Entre os objetos recolhidos ontem está um play 3. O aparelho não tinha nem os cabos necessários para ligá-lo a uma TV para poder jogar, quanto menos nota de compra. "Negaram a receptação e disseram que jogam no aparelho, que nem cabos tem", mencionaram os agentes. Na casa também não havia TV para conectar o play, o que é um ítem essencial.

 

MUITO LIXO

O que dificulta as buscas, no bairro Battisti, é a quantidade de lixo e entulho que se acumulam em diversos locais. "A gente sabe que tem, mas não sabe onde estão escondidas a droga e outros objetos ilícitos", comentam os policiais. A situação é de conhecimento da Secretaria do Meio Ambiente, que até já notificou os infratores. Porém, além das casas, o lixo e entulhos tomam conta de algumas ruas.

 

SAIBA MAIS

Janeiro a maio / Estas são as estatísticas de objetos furtados e que foram registrados na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de Venâncio no período:

Janeiro - 13 furtos de aparelhos eletrônicos, três de bicicletas, 16 de celulares, cinco de máquinas e outros, que totalizaram 60 itens
Fevereiro - Dois furtos de aparelhos eletrônicos, seis de bicicletas, 11 de celulares, 18 de máquinas e outros, totalizando 57 itens
Março - 17 furtos de aparelhos eletrônicos, dois de bicicletas, nove de celulares, 12 de máquinas e outros, totalizando 81 itens
Abril - 16 furtos de aparelhos eletrônicos, quatro de bicicletas, 16 de celulares, 30 de máquinas e outros, totalizando 84 itens
Maio - 12 furtos de aparelhos eletrônicos, seis de bicicletas, 16 de celulares, 32 de máquinas e outros, totalizando 88 itens. No total, a Polícia Civil tomou conhecimento do furto de 370 objetos, entre janeiro e maio deste ano.

 

Fonte: Jornal Folha do Mate
Créditos e foto: Alvaro Pegoraro

voltar para Notícias - Polícia

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||