Pós intervenção, Casva tem aumento de 43% no número de alunos

Publicado em 25/06/2019 às 07h37

Quase 40 dias depois da intervenção, o Centro de Assistência Social Venâncio Aires (CASVA), passou do risco eminente de fechar as portas e deixar dezenas de crianças sem atendimento, para o ingresso de novos alunos. Agora, são 122 estudantes atendidos na entidade que desde o dia 16 de maio é gerida pela Prefeitura através do Decreto 6.575 que intervencionou o Centro de Assistência.

 Antes gerido pelo Rotary Club Venâncio Aires, o Casva possuía 85 alunos de 0 a 6 anos. Ano passado, a Instituição que mantinha o Centro já havia terminado com o chamado “Turno Oposto”, atendimento feito aos alunos que frequentavam escolas de Ensino Fundamental. Neste ano, com mais de 50 anos de serviços prestados à comunidade, o Casva correu o risco de também terminar com o atendimento do Ensino Infantil e foi intervencionado pela Prefeitura e, em pouco mais de um mês, já recebe novos alunos: 37 ingressaram na escola neste período. 

Conforme o interventor, Egon Sniedze, até o final do ano a entidade seguirá administrada pela Prefeitura que conta com o apoio da Diretora do Casva, Daine Teresinha Nunes e da Responsável Financeira, Joice Fernanda Kroth. Para 2020, o Casva poderá ser municipalizado ou então ser gerido por uma nova diretoria constituída por pessoas da sociedade civil, que queiram administrar o local que atende crianças das 6h30min até às 18h30min, sendo todos alunos em turno integral que recebem cinco refeições diárias e são atendidos, atualmente, por 26 funcionários, porém nos próximos dias ingressaram mais dois servidores, totalizando 28. 



Contas em dia

A saúde financeira do CASVA está em dia. Sniedze explica que desde o dia da intervenção a conta da entidade no Banco Sicredi foi bloqueada. A expectativa é que nesta semana a entidade financeira libere novamente a movimentação da conta que recebe os depósitos das contribuições espontâneas dos pais e responsáveis pelos alunos matriculados no local. Desde o dia 16, a direção trabalha com a movimentação apenas do Banco Banrisul, onde é depositado o valor repassado pela Prefeitura, que envia mensalmente R$ 48.312,31. O valor do repasse aumentou nos últimos dois anos, a Administração Pública saltou de R$293 mil por ano (valor pago em 2017 conforme previsto em 2016) para R$ 505 mil em 2018 e R$547mil, agora em 2019. 

 Nenhum dos fornecedores ou servidores do Casva estão em atraso e a entidade trabalha com as contas no azul. Conforme o interventor, o valor da venda do prédio onde funcionava o turno oposto está depositado para eventuais futuras necessidades da entidade, como no caso de ter que indenizar os funcionários em uma possível municipalização. “Este foi um cuidado do Rotary que vendeu a edificação já pensando na possibilidade de precisar de recursos para gastos mais altos fora dos custos operacionais. O valor seguirá guardado até que se tenha a definição da situação da entidade para 2020”. 

 

Fonte: PMVA
Créditos: Adriene Antunes

voltar para Notícias - Prefeitura

left show fwB tsN|left tsN fwB|left show tsN fwR|c05||skype_c2c_logo_img|news login uppercase c05 b01 bsd|fsN uppercase c05 fwB sbss|fwR c05 uppercase b01 bsd|login news uppercase b01 bsd fsN tsN fwB c15|tsN fwR uppercase c05|fwR c05 uppercase|content-inner c05||